Página inicial Dicas de viagem Coluna Escolha Viajar – Por que o brasileiro viaja pouco? Porque viajar não acumula nada

Coluna Escolha Viajar – Por que o brasileiro viaja pouco? Porque viajar não acumula nada

por Escolha Viajar
Brasileiro viaja pouco - Pôr do sol em Santorini, na Grécia

Filhotes da cultura norte-americana, assim como todo o resto do continente, nós, brasileiros, viajamos pouco. Primeiro terminamos nossos estudos, depois nos firmamos em uma carreira profissional, depois compramos um carro, depois casamos, depois compramos a casa própria, depois temos filho, depois criamos os filhos, depois nos aposentamos. Aí, talvez, damos uma viajada. Nesse meio tempo, apenas escapadas ocasionais nas férias, muitas vezes com o objetivo de descansar em alguma praia, e não de conhecer um lugar novo. E por que o brasileiro viaja pouco? Muita gente diria que é culpa da crise econômica, do salário ruim, da instabilidade do mercado de trabalho. Mas não é por isso. O brasileiro não viaja porque viajar não acumula nada.

⇒ VIAGENS NÃO PODEM SER MARATONAS! Leia na Coluna Escolha Viajar
⇒ VIAJAR É BARATO, VOCÊ FAZ CUSTAR CARO! Leia na Coluna Escolha Viajar

É claro que os fatores econômicos também pesam no fato de que o brasileiro viaja pouco. Afinal, para se viajar é preciso ter pelo menos um pouco de dinheiro. Mas não é esta a razão principal. Vemos muitas pessoas com carros, casas e salários mais do que razoáveis para viajar que não caem na estrada ou o fazem em raras ocasiões. O buraco é cultural, ou mais embaixo. Desde que coloca os pés no mundo, o brasileiro é criado para adquirir bens, acumular coisas. Isso é fruto do ‘American Way of Life’, ou modo de vida americano em tradução livre, uma política dos Estados Unidos para incentivar o consumo – e consequentemente a indústria – que foi espalhada pelo continente ainda nos anos 1950.

Foi assim que surgiram o sonho da casa própria e do carro zero, alimentados pelo slogan de que ter coisas era o espelho da família margarina feliz e perfeita. O tempo passou e a lista de sonhos de consumo só aumentou: à casa e ao carro se somaram o sonho do smartphone de última geração, o sonho da TV 4K, o sonho da cozinha planejada, o sonho do armário cheio de roupas da moda etc. E uma vez realizados esses sonhos, vem o sonho do apartamento maior com varanda gourmet, o sonho do carro mais potente, o sonho da bolsa de grife etc etc etc. O ciclo do consumo não acaba nunca, ele só nos draga para o seu interior cada vez mais e mais fundo.

E, na mesma medida em que acumulamos coisas, se acumulam também na nossa caixa de correio as pilhas de contas e faturas de cartão de crédito. Mas paga-se sem peso na consciência, porque o consumo é visto como sinônimo de estabilidade, carreira bem sucedida, sucesso financeiro. Comprar coisas é motivo de orgulho. E é por isso que não pensamos duas vezes em gastar R$ 40.000 em um carro, mas hesitamos muito em pagar R$ 10.000 por um mês de viagem. Uma viagem não é uma coisa, não pode ser acumulada em uma pilha no fundo do armário, não pode ser exibida para os parentes e amigos, não tem nota fiscal, não tem garantia, não pode ser devolvida nem vendida.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Quando você compra um carro você gasta mais, mas se sente mais rico. Quando viaja, você gasta menos, mas se sente mais pobre. Porque não há nada palpável em uma viagem. Todas as recompensas que ela te dá – e são muitas, mas acho que nem precisamos detalhar isso porque vocês já estão carecas de saber – estão na sua mente, na sua memória. Você vai e volta de uma viagem, com as mãos abanando. No máximo, traz na bagagem lembrancinhas e algumas centenas de fotos para ostentar no Facebook e aliviar a sensação de todo aquele dinheiro investido na viagem simplesmente evaporou da carteira como fumaça.

O brasileiro viaja pouco porque ainda não percebeu que esse é o maior investimento que se pode fazer em si mesmo.

Talvez por isso tenhamos tanto amor por comprar souvenires de viagem, porque assim, pelo menos, temos uma prova de que aquele dinheiro foi gasto em algo palpável, algo que existe fisicamente, e não apenas no plano mental. Comprar imãs de geladeira, camisetas, bolas de neve, copinhos de bebida, chaveiros traz nosso universo consumista para dentro do mundo abstrato da viagem e nos faz respirar aliviados: ufa, temos algo para mostrar, para colocar na estante ou no fundo do armário. Além de o brasileiro viaja pouco, ainda tem um hábito pior: viajar PARA FAZER COMPRAS.

Quer dizer, além de escantear a viagem por não ser um ‘bem’, usa suas economias preciosas e seu tempo mais precioso ainda para sair do país e acumular mais e mais coisas! E é difícil sair do furacão do consumo e conseguir enxergar as coisas por um ângulo diferente porque somos criados no olho desse furacão. Passamos a vida toda ouvindo que só devemos gastar dinheiro com coisas sólidas, e não com coisas ‘supérfluas’, como viagens. O brasileiro viaja pouco porque tem marcado a ferro e fogo no cérebro o mantra da estabilidade, da garantia de um teto e de uma renda nos tempos ruins. O resto pode ficar para depois. Só que muitas vezes acaba ficando para nunca.

Se você ama viajar, pense bem antes de fazer a próxima compra de um bem material. Você realmente precisa daquilo, ou guardar esse dinheiro para cair na estrada é mais importante? Esse vestido realmente vai te fazer mais feliz do que ver o pôr do sol em Santorini ao lado de alguém que você ama, como na foto que abre o texto? Esse sofá realmente vai mudar sua vida muito mais do que ver as luzes da Torre Eiffel se acenderem? Repense seu consumo, suas escolhas financeiras. E, quem sabe da próxima vez, você não escolha viajar?

*** Por Ticiana Giehl

Posts relacionados

Deixe um comentário

8 comentários

Carlos 3 de dezembro de 2020 - 07:16

Me senti ofendido,porque falaste uma verdade hahahah!
Eu e tantos outros falamos que não temos dinheiro mas a gente tá sempre trocando de celular(mesmo com o atual funcionando perfeitamente),comprando várias roupas(que usamos uma vez e nunca mais;as vezes só usamos no provador da loja),pagando mensalidade de tv por assinatura e Netflix(pra assistirmos coisas inúteis)e comprando algo novo pro carro,computador(mesmo não mudando em nada no desempenho).
Viajar é uma das coisas que ajudam o ser humano a evoluir mas como disseste,fomos criados sob o mantra da estabilidade(que não existe),estudar muito,ganhar muito dinheiro,comprar coisas e viver nessa corrida dos ratos até o fim de nossas vidas.Pelo menos dá pra gente olhar pra tudo e dizer”chega!”.Vou conhecer o mundo,vou conhecer outras pessoas,vou evoluir porque minha visão de mundo não deve se resumir ao buraco que eu vivo!

Responder
Escolha Viajar 5 de dezembro de 2020 - 15:32

Olá, Carlos!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Marlon 10 de setembro de 2019 - 17:34

Realmente a descrição feita acima é o que acontece. Temos bens materiais de alto valor e alem do mais, de alto valor de manutenção, mas estamos ”felizes” por isso. Temos que ser um povo com mais cultura, para depois se preocuparmos com bens desnecessários, pois não precisamos de mais da metade do que temos.

Responder
Escolha Viajar 14 de setembro de 2019 - 12:59

Olá, Marlon!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Vanesa Marcos 6 de outubro de 2018 - 14:59

Excelente texto! Vocês são top!! Precisamos sim começar a tirar esse atraso refazendo nossa percepção sobre consumo. Grande reflexão.

Responder
Escolha Viajar 7 de outubro de 2018 - 08:53

Olá, Vanessa!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Bia 7 de julho de 2018 - 13:02

Experiências vividas em uma viagem não emboloram ou apodrecem em um armário, ficam para sempre em nossas memórias.

Responder
Escolha Viajar 8 de julho de 2018 - 22:07

Olá, Bia!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais