Página inicial AméricaBrasilFoz do Iguaçu (PR) Foz do Iguaçu: as cataratas e mais 5 atrações imperdíveis para conhecer

Foz do Iguaçu: as cataratas e mais 5 atrações imperdíveis para conhecer

por Escolha Viajar
O que fazer em Foz do Iguaçu - Parque das Aves

Foto: Zig Koch/Mtur

Não é a toa que esta pequena cidade do oeste do Paraná se tornou o segundo destino mais procurado por turistas no Brasil, atrás apenas do Rio de Janeiro, que continua lindo. Localizada na encruzilhada de dois rios e três países, Foz do Iguaçu pode não ter praias, mas é uma mina de ouro de atrações turísticas. Nem pense em viajar até lá para ficar menos de três dias, ou você não conseguirá ver nem mesmo as coisas imperdíveis da cidade e arredores. Há o que fazer em Foz do Iguaçu pela manhã, o que fazer em Foz do Iguaçu à tarde ou o que fazer em Foz do Iguaçu à noite, com sol ou com chuva, quer você goste de urbanidade ou natureza, queira gastar pouco ou que o céu seja o limite do seu cartão de crédito.

⇒ ONDE FICAR EM FOZ DO IGUAÇU com bom custo-benefício

⇒ ROTEIRO EM FOZ DO IGUAÇU: O que fazer em 1, 2 ou 3 dias ⇐

É claro que as Cataratas do Iguaçu – lados brasileiro e argentino – são de longe a nata de o que fazer em Foz do Iguaçu. Mas há muito mais. A cidade e seus arredores abrigam ainda o maior parque de aves da América Latina e a usina que mais gera energia no mundo, a de Itaipu. Além disso, aquelas comprinhas agradáveis em Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina) estão logo ali ao lado. Sem falar na culinária e shows culturais dos três países que podem ser vistos e provados em restaurantes e churrascarias. E para avistar estas três nações de um só lugar, basta ir ao Marcos das Três Fronteiras. Confira seis coisas imperdíveis o que fazer em Foz do Iguaçu!

O que fazer em Foz do Iguaçu 1 – Cataratas do Iguaçu (Brasil)

A palavra Iguaçu significa ‘água grande’ em tupi-guarani. E não é preciso dizer muito mais do que isso para descrever a mais imperdível das coisas imperdíveis o que fazer em Foz do Iguaçu e, quiçá, do mundo. Faça chuva ou faça sol, não deixe de visitar o Parque Nacional do Iguaçu. Graças a um acidente geológico ocorrido há cerca de 200 mil anos, o Rio Iguaçu atravessa um enorme desnível de terreno 18 quilômetros antes de se juntar ao Rio Paraná. Neste desnível, a água se projeta em nada menos do 275 quedas de 40 a até 80 metros de altura! Das 19 principais, cinco ficam no parque brasileiro: Floriano, Deodoro e Benjamin Constant, Santa Maria e União.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

⇒ Vai para Foz do Iguaçu? Reserve aqui sua hospedagem pelo Booking ⇐

As demais estão localizadas no Parque Nacional do Iguazú, no lado argentino do rio que divide os dois países. Portanto, quem quiser ter uma visão completa e inesquecível das Cataratas deve visitar os dois parques. Do lado brasileiro, você pode pegar o ônibus que sai do Centro de Visitantes e descer na parada da Trilha das Cataratas. Percorrer este caminho de 1,2 quilômetros que leva a inúmeros mirantes e segue até a Garganta do Diabo, a maior de todas as quedas do Iguaçu, é a forma mais simples, barata e tradicional de conhecer as cataratas. Leve um casaco impermeável, pois pode haver spray d’água subindo da Garganta mesmo em épocas de baixa vazão das cataratas.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

E NUNCA alimente os quatis, pois eles rondam a trilha em bandos enormes e podem se tornar perigosos. Ao final da caminhada, você chegará ao restaurante Porto Canoas, onde é possível fazer uma refeição com vista para as quedas ou apenas pegar o ônibus de volta até o Centro de Visitantes. Mas existem outros ângulos para ver as cataratas. Um deles é o aéreo, a bordo de um helicóptero que sobrevoa o Iguaçu por 10 minutos. Este passeio é oferecido pela empresa Helisul, localizada poucos metros antes da entrada do parque, e custa R$ 430 (você pode reservar seu voo aqui).

Se ver as cataratas do alto está muito acima do seu orçamento, você pode tentar vê-las de baixo, a bordo de um ‘speed boat’ que te leva pelo Rio Iguaçu até muito perto das quedas d’água. Este passeio se chama Macuco Safari e está localizado dentro do parque, sendo que o acesso é feito com o mesmo ônibus que leva até a Trilha das Cataratas, bastando descer uma parada antes (não se preocupe em se perder, pois há avisos sonoros sobre cada estação de subida ou descida). O Macuco Safari sai a cada 15 minutos e não é necessário fazer reservas com antecedência, mas quem quiser chegar ao parque com os tickets na mão pode adquiri-los aqui por R$ 213.

Se optar por este passeio, lembre-se de levar uma câmera à prova d’água e uma muda extra de roupas, pois você vai se molhar MESMO. O Parque Nacional do Iguaçu abre das 9h às 17h e os ingressos regulares saem por R$ 37 (vendas online aqui). O Passaporte 3 Maravilhas – que também permite entrada no Marco das Três Fronteiras e na Usina de Itaipu – sai por R$ 79. Para chegar até as cataratas, você pode pegar um ônibus urbano desde o centro de Foz – linha 120 -, um táxi ou contratar um transporte turístico especializado. O Escolha Viajar usou e recomenda o da Agência Combo Iguassu, que custa R$ 45 ida e volta.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer em Foz do Iguaçu 2 – Cataratas do Iguaçu (Argentina)

Como dissemos acima, você só terá uma visão completa das Cataratas do Iguaçu se visitar os dois lado do parque: o brasileiro e o argentino. O passeio ‘hermano’ também é muito simples e acessível de fazer, portanto não use a fronteira como desculpa para perder uma das coisas imperdíveis o que fazer em Foz do Iguaçu! Você pode chegar às cataratas argentinas até mesmo de ônibus. Basta pegar a Linha Circular Internacional Urbana, que passa pelas principais avenidas da cidade e pelo terminal central, e descer na rodoviária de Puerto Iguazú, que é o ponto final. De lá parte outra linha de ônibus até o parque.

É claro que, quem preferir a comodidade e rapidez de um transporte privado pode procurar uma agência de turismo. O da Agência Combo Iguassu, que custa R$ 60 ida e volta. Em ambos os casos, não esqueça de levar o RG ou passaporte para fazer a imigração na fronteira! É necessário ainda levar o valor da entrada do parque (400 pesos para quem tem passaporte do Mercosul) e a taxa de saída (25 pesos) em moeda argentina, pois não são aceitos reais nem cartão de crédito. Passeios adicionais pela floresta e de barco pelo Rio Iguaçu estão disponíveis por tarifas extras através da empresa Iguazú Jungle. O parque abre das 8h às 18h, sendo que a entrada só é permitida até as 16h30.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Uma vez no parque, prepare-se para um leque de opções de passeios maior do que há no lado brasileiro. Enquanto por aqui só há uma trilha, do lado ‘hermano’ as cataratas podem ser vistas de pelo menos cinco caminhos diferentes: Garganta del Diablo, Circuito Inferior, Circuito Superior, Isla San Martín e Sendero Macuco. É claro que não é possível ver tudo isso em um único dia, por isso o parque oferece 50% de desconto no ingresso para quem quiser retornar no seguinte. Como não é todo mundo que tem tempo, disposição ou interesse em percorrer as cinco trilhas, vamos listar os ‘high lights’ do parque – que são a Garganta, o Inferior e o Superior – e podem ser todos vistos e uma única visita.

Comece pela trilha da Garganta del Diablo que é, de longe, a vista mais impressionante das cataratas. Ué, mas não é a mesma que a gente vê do lado brasileiro? Sim, é a mesma, mas no Brasil você está de frente e longe dela. Na Argentina, você estará vendo a queda de 80 metros de cima e muito mais de perto! Para chegar até ela, você vai pegar o trem que sai do Centro de Visitantes, descer na Estação Cataratas para trocar de vagão e seguir até a Estação Garganta del Diablo, que é o fim da linha. Da parada do trem até a queda d’água a caminhada é de apenas 2,2 quilômetros (ida e volta) por passarelas totalmente planas sobre o Rio Iguaçu. Leve um casaco impermeável, pois quase sempre há spray subindo da Garganta, mesmo em épocas de baixa vazão das cataratas.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Depois de ficar de boca aberta com a Garganta, pegue o trem de volta até a Estação Cataratas, onde começam as duas outras trilhas essenciais do parque. Comece pelo Circuito Superior, pois há menos chance de você se molhar nele e ter que passar o resto do dia com a roupa úmida. A trilha tem 1,7 quilômetros em formato circular – começa e termina no mesmo ponto, mas não vai volta pelo mesmo caminho, como ocorre na Garanta – e é quase totalmente plana e acessível. Nela, você terá a visão do alto de algumas das mais belas quedas das cataratas, lembrando que, das 19 principais, nada menos do que 14 estão no parque argentino. A trilha chega até o Salto San Martin.

Por fim, se ainda tiver fôlego e quiser ver as quedas do ângulo de baixo, você ainda pode percorrer o Circuito Inferior (dica: se só tiver tempo para escolher um dos dois, fique com este!). Esta trilha também tem 1,7 quilômetros em formato circular – começa e termina no mesmo ponto – e é quase totalmente plana e acessível, sendo entrecortada por alguns poucos pontos de escadas. Neste caminho, você poderá chegar muito perto de quedas pequenas, como os saltos Alvar Nuñez e Dos Hermanas, e do gigantesco Salto Bosseti. Aqui, o banho é quase garantido e, se quiser aquela foto espetacular na pontinha do mirante, quase tocando a água, é bom ter roupa impermeável e uma câmera à prova d’água.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer em Foz do Iguaçu 3 – Parque das Aves

Parque das Aves não é apenas uma das coisa imperdíveis em Foz do Iguaçu como também o maior parque de aves da América Latina. Centro de recuperação e conservação de aves com reconhecimento internacional, o local recebe visitantes desde 1994 e, hoje, abriga nada menos do que 1.320 animais de 143 espécies diferentes. O parque funciona em uma área de 16,5 hectares de Mata Atlântica, onde as aves habitam em viveiros fechados, abertos e semi-abertos – aqueles em que você pode entrar dentro da cerca e que ainda são raros de ver no Brasil.

Isso garante uma grande interação por parte dos visitantes com os animais, sendo possível chegar muito perto de alguns deles. Os destaques do passeio são, sem sombra de dúvidas, o lago dos flamingos e os viveiros dos tucanos e das coloridíssimas araras. A experiência de tê-las sobrevoando de rasante a sua cabeça é inigualável. E a foto do ladinho do tucano então? Mas tenha cuidado para não tocá-los ou tentar atraí-los com qualquer tipo de comida, pois eles podem acabar machucando você.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Se você tiver um orçamento de viagem mais folgado, recomendamos altamente que opte pela ‘Backstage Experience’, que leva grupos pequenos para uma interação bem mais intimista com os animais. Você entrará onde os visitantes comuns não têm acesso,  alimentará as aves e tirará fotos com delas e com elas. A ‘Backstage’ ocorre em três horários diários com vagas limitadas (7h30, 10h30 e 14h), sendo recomendado fazer sua reserva com antecedência. O custo é de R$ 200. Já o ingresso regular sai por R$ 40.

O Parque das Aves funciona das 8h30 às 17h e está localizado na Avenida das Cataratas, logo em frente ao parque das Cataratas do Iguaçu. Por isso, muita gente aproveita para fazer os dois passeios no mesmo dia. Se quiser fazer isso, trate de acordar cedo, pois os dois são passeios que vão te deixar maravilhado e as horas vão voar! Você pode chegar até o parque de ônibus urbano – linha 120 -, táxi ou contratar um transporte turístico especializado. O da Agência Combo Iguassu custa R$ 45 ida e volta.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer em Foz do Iguaçu 4 – Puerto Iguazú

Reserve um fim de tarde do seu roteiro em Foz do Iguaçu para cruzar a fronteira com a Argentina e visitar a cidade ‘hermana’ de Puerto Iguazú. Apesar de pequena – apenas 80 mil habitantes contra os 260 mil do lado brasileiro -, a cidade têm algumas outras atrações além do lado argentino das Cataratas. Você pode visitar o centro para fazer compras de produtos típicos como couros, vinhos, queijos, azeitonas, doce de leite e os sensacionais alfajores. Há uma feirinha que reúne tudo isso e que é muito popular entre os turistas. Além disso, você pode pagar pelas compras em real.

Depois, aproveite para jantar em uma das famosas churrascarias argentinas. É claro que a pedida é a parrilla, o churrasco assado na grelha sobre brasas. Para arrematar a noite, algumas oferecem shows de música, como é o caso da excelente El Quincho del Tío Querido (Avenida Presidente Juan Domingo Perón, 159). O restaurante existe há mais de 30 anos e é praticamente uma atração turística da cidade. Ele abre para janta todos os dias, das 18h30 às 23h30. Para fazer este passeio, não é possível se deslocar de ônibus, já que os coletivos internacionais em direção ao Brasil param de circular por volta das 18h30. Para contratar um transporte turístico especializado (o da Agência Combo Iguassu custa R$ 69 ida e volta).

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer em Foz do Iguaçu 5 – Usina de Itaipu

Nascida em 1973 de um acordo entre o Brasil e o Paraguai, a Usina de Itaipu é a maior geradora de energia do mundo. Para se ter uma ideia da sua importância, toda energia produzida em Itaipu desde que suas turbinas entraram em funcionamento, em 1983, seria suficiente para abastecer o mundo inteiro por mais de 40 dias! Não bastasse todo esse gigantismo, visitar Itaipu é uma oportunidade rara de estar em dois países ao mesmo tempo. Construída na fronteira do Brasil com o Paraguai, a usina é considerada território binacional, sendo que toda sua administração é dividida igualitariamente entre os dois vizinhos.

Por isso, Itaipu é uma das coisas imperdíveis o que fazer em Foz do Iguaçu, mesmo que você não seja nenhum grande fã de engenharia. A usina oferece diversas modalidades de passeios, para todos os bolsos e tipos de interesse. Quem quiser conhecer a usina em si pode optar pelo passeio panorâmico – feito em ônibus de dois deques – (R$ 36), pelo circuito completo (R$ 78) ou pela iluminação da barragem (R$ 18), que é um espetáculo de som e luzes. Para quem não quiser perder nada, o ideal é combinar o circuito completo, que leva você para conhecer a estrutura gigantesca não só por fora como por dentro, com o passeio noturno.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Quem quiser ir além da usina em si tem ainda mais opções. Fãs de natureza e passeios ao ar livre podem visitar o Ecomuseu (R$ 12) ou participar do passeio ao Refúgio Biológico da usina (R$ 24). Para os interessados nas estrelas, o Polo Astronômico de Itaipu é a pedida (R$ 24). Já para quem não perde um belo pôr do sol, há passeios de catamarã pelo lago represado da usina nos finais de tarde (R$ 80). É possível combinar alguns tipos de ingressos por preços especiais.

Cada um dos passeios acontece em dias e horários diferentes, então é bom consultar o site oficial de turismo em Itaipu antes de se programar. O Passaporte 3 Maravilhas – que também permite entrada no Marco das Três Fronteiras e nas Cataratas do Iguaçu – sai por R$ 79 e inclui o passeio panorâmico. Para chegar à usina, que fica a 12 quilômetros do centro de Foz, você pode pegar um ônibus urbano – linhas 101, 102 ou 104 -, um táxi ou ainda ou contratar um transporte turístico especializado (R$ 40 ida e volta com a Agência Combo Iguassu).

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer em Foz do Iguaçu 6 – Marco das Três Fronteiras

Foz do Iguaçu é o ponto de encontro do Brasil com outros dois países: o Uruguai e a Argentina. Para marcar essa tríplice fronteira, foi construído há mais de 100 anos um obelisco com as cores da bandeira em frente à junção dos rios Paraná e Iguaçu. Do outro lado do Rio Iguaçu está a cidade argentina de Puerto Iguazú, onde também existe um obelisco, mas azul e branco. E do outro lado do Rio Paraná está Ciudad del Este, onde fica o terceiro obelisco, nas cores da bandeira do Paraguai.

Este local tão simbólico passou anos praticamente abandonado, relegado a ser um simples marco no fim de uma estrada de não muito fácil acesso desde o centro da cidade. Mas, de outubro a dezembro de 2016, o Marco das Três Fronteiras foi cedido à iniciativa privada e totalmente reformado, se tornando um belo complexo turístico com centro de visitantes, toiletes, acesso à WiFi, loja de souvenires, mirante, museu, vila cenográfica, show de águas e luzes, espetáculos culturais e um restaurante. E voltou à rota das coisas imperdíveis o que fazer em Foz do Iguaçu.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

A grande pedida é chegar no fim da tarde, quando ainda há luz para ir até o mirante ver os marcos argentino e paraguaio nas suas respectivas margens (câmeras com bom zoom ou lentes de longo alcance ajudam nas fotos). Depois, assistir ao pôr do sol na junção dos rios. E, por fim, admirar o show de luzes e águas dançantes ao redor do obelisco. O horário de visitação é das 10h às 23h.

Os ingressos custam R$ 19,30. O Passaporte 3 Maravilhas – que também permite entrada nas Cataratas do Iguaçu e na Usina de Itaipu – sai por R$ 79. Para chegar até o marco, que fica a cerca de 8 quilômetros do centro de Foz, você pode contratar o serviço de transporte do próprio complexo turístico (pelo telefone 45 31324104), pegar um ônibus urbano da linha 103, um táxi ou ainda ou contratar um transporte turístico especializado – R$ 45 ida e volta com a Agência Combo Iguassu.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

 

LEIA TAMBÉM:

⇒ O QUE FAZER NO JALAPÃO: 15 atrações que são imperdíveis

⇒ ROTEIRO NA CHAPADA DOS VEADEIROS para 4 dias de viagem ⇐

⇒ O QUE FAZER NA CHAPADA DAS MESAS: 9 atrações imperdíveis ⇐

⇒ ROTEIRO NO CEARÁ para 1, 2, 3, 4 ou 5 dias de viagem + bônus ⇐

⇒ O QUE FAZER EM ALTER DO CHÃO: Roteiro para 1, 2, 3, 4 ou 5 dias ⇐

 

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

8 comentários

Jeh Berbert 18 de novembro de 2019 - 21:31

O passaporte normal serve para usar como esse passaporte das 3 maravilhas?

Responder
Escolha Viajar 23 de novembro de 2019 - 12:45

Olá, Jeh!
Desculpe, mas não entendemos a pergunta. O que seria o passaporte normal? O único ingresso em Foz do Iguaçu que se chama passaporte é o ‘Passaporte das 3 Maravilhas’, que inclui entrada nas Cataratas do Iguaçu (lado brasileiro), Marco das 3 Fronteiras e Usina de Itaipu. Você pode ler mais informações e comprar o passaporte no site das Cataratas do Iguaçu: https://cataratasdoiguacu.com.br/.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Aline 5 de setembro de 2017 - 05:18

Muito boa a matéria. Faltou colocar a Mesquita e p templo budista. Eu amei aquele lugar.

Responder
Escolha Viajar 5 de setembro de 2017 - 10:09

Olá, Aline!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
lu 1 de setembro de 2017 - 13:46

muito boas as dicas, e melhor ainda que colocaram os valores, pra podermos nos programar melhor.

Responder
Escolha Viajar 3 de setembro de 2017 - 06:48

Olá, Lu!
Ficamos muito felizes em poder ajudar na sua viagem.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Odaleia 24 de agosto de 2017 - 00:35

Gostei muito das dicas ! O bom da viagem e estar bem informado do lugar para onde vc vai conhecer.Parabens !!!

Responder
Escolha Viajar 27 de agosto de 2017 - 06:42

Olá, Odaleia!
Ficamos muito felizes em poder ajudar na sua viagem.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais