Página inicial EuropaMontenegro O que fazer em Montenegro: 10 atrações que você não pode perder

O que fazer em Montenegro: 10 atrações que você não pode perder

por Escolha Viajar
O cânion do Rio Tara é o maior da Europa e atração imperdível em Montenegro

Montenegro é um país que ‘nasceu’ em 2006, no último desdobramento da antiga Iugoslávia. Sendo tão jovem e com uma área de apenas 13.810 quilômetros quadrados – metade do tamanho do menor Estado brasileiro, Sergipe – não é de se esperar que o país abrigue uma grande diversidade de belezas ou pontos turísticos, não é mesmo? Mas não é assim. Há muito o que ver e o que fazer em Montenegro!

⇒ ONDE SE HOSPEDAR EM MONTENEGRO e gastar pouco
⇒ GUIA DE VIAGEM MONTENEGRO: Tudo que você precisa saber!

A história de ‘Crna Gora’ – que significa montanha negra na língua local – começou muito antes de 2006, quando a região era dominada pelo Império Romano. Montenegro foi declarado um dos primeiros reinos independentes dos Bálcãs, mas nunca pôde usufruir muito dessa tal liberdade.

Passou centenas de anos batalhando contra a dominação pelo Império Turco-Otomano, o Império Austro-Húngaro, a República de Veneza, o Reino da Iugoslávia – depois transformado em federação de países sob o domínio da União Soviética – e, finalmente, da Sérvia.

Em um referendo realizado em 2006, os cidadãos montenegrinos votaram por recuperar aquilo pelo qual lutaram durante séculos e séculos: o direito de ser um ‘pequeno grande’ país independente. Localizado nos Bálcãs, região da Europa que era uma bomba-relógio até os anos 1990, Montenegro demorou um pouco até cair no gosto do turismo mundial.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Almoço às margens do Lago Skadar

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Em 2006, quem cruzava suas fronteiras – com os antes nada amistosos Albânia, Kosovo, Bósnia, Croácia e Sérvia –  não era considerado um viajante, e sim um aventureiro. Mas, 10 anos depois da independência, as atrações de Montenegro conquistaram muita gente.

O país é o balneário de férias favorito de russos e ingleses, abriga algumas das praias mais lindas da Europa, o maior cânion do Velho Continente, cidades medievais, baladas e restaurantes de primeira, parques com montanhas a perder de vista, lagos, esportes de aventura e trilhas de bike. Tudo isso sob um dos climas mais quentes do continente e uma economia que, apesar de ter adotado o Euro, continua acessível ao bolso do turista com orçamento de viagem restrito.

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!

É muita coisa boa para um país tão pequeno, não é mesmo? Pois essa é mais uma das vantagens de Montenegro como destino de férias: você pode alugar um carro e conhecer tudo em uma semana, ou fixar base em Budva ou Kotor e fazer tours pelo país todo. Não vai faltar nenhum cantinho do país que fique de fora do seu roteiro. Animou? Então confira o que fazer em Montenegro que não pode ficar fora da sua lista de viagem!

As praias da cidade de Budva estão entre as mais bonitas da Europa

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 1 – Fortaleza de São João (Sveti Ivan)

Subir as escadarias desde a cidade de Kotor até a Fortaleza de São João é uma daqueles atividades que parecem mais esportivas do que turísticas. São nada menos do que 1.350 degraus morro acima e, se você quiser ter uma boa visibilidade, com o sol ‘assando o lombo’. Mas é claro que vale a pena, ou a Fortaleza de São João não estaria entre as 10 atrações de Montenegro que você não pode perder!

A entrada para as escadarias fica próxima ao Portão do Rio (ou Norte) da muralha, basta passar o arco atrás da Igreja de Santa Maria (Sveta Marija), e é preciso pagar 3 euros para subir. Existem fortificações em Kotor desde o século VI, ainda durante o Império Romano, mas foi sob o domínio da República de Veneza, a partir de 1420, que elas ganharam seu formato atual. As muralhas que envolvem a cidade tem 4,5 quilômetros de extensão, sendo que, em alguns pontos, chega a ter 20 metros de altura e 16 metros de largura.

A Fortaleza de São João está na lista de o que fazer em Montenegro que você não pode perder

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

A Fortaleza de São João é o ponto mais alto da fortificação, a 280 metros do nível do mar. E é até lá que você vai subir, hehe. O caminho nem sempre é composto de degraus propriamente ditos, mas apenas de rampas ou sulcos na terra. A cidade toda foi muito danificada por um terremoto em 1979, principalmente as muralhas, e parte das estruturas históricas foi restaurada depois que a região entrou para a lista de Patrimônios da UNESCO. Mas nem tudo está uma ‘Brastemp’.

No caminho morro acima, você vai passando por ruínas de muros, portais, terraços, torres de vigia e por uma igreja minúscula, a de Nossa Senhora dos Remédios, construída em 1518. Esta é mais ou menos a metade do caminho e de onde você tem a melhor vista de toda a subida (não, não é lá de cima da fortaleza, é daqui mesmo). Então, se o seu corpo estiver pedindo para parar, pode abandonar o caminho por aqui sem medo.

Cidade de Kotor vista do alto da Fortaleza de São João

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Isso porque subir a escadaria toda e voltar não leva menos de duas horas, chegando a três ou quatro se você não estiver com aquele preparo físico ou se for parando para tirar fotos. Sem falar que o calor pode ser extenuante nos meses de verão em Montenegro. Para quem decidir completar a subida, aproveite para se refrescar com uma bebida gelada com os vendedores que normalmente ficam com seu isopores em frente à igreja.

Ao fim dos 1.350 degraus, você chegará às ruínas da fortaleza. De lá, sob uma sempre tremulante bandeira de Montenegro, você verá toda a Baía de Boka Kotorska e seus fiordes aos seus pés e também o Monte Lovcen, que segue subindo imponente por trás da fortificação.

É preciso subir 1350 degraus para chegar ao topo da alto da Fortaleza de São João

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 2 – Lago Skadar

É um dos cartões-postais de Montenegro, com seu formato de ferradura ao redor das montanhas. Este é o maior lago da região dos Bálcãs e está localizado na fronteira entre Montenegro e a Albânia, sendo que dois terços dele ficam em território montenegrino. Considerado importante habitat de mais de 260 espécies de aves, sua área foi transformada em parque nacional em 1983. A estrada de onde é possível ter a vista mais famosa do Lago Skadar – esta da foto – é bastante estreita, esburacada e mau sinalizada.

Mas se perder por esse caminho pode nem ser tão ruim, pois a região está cheia de pequenas vinícolas e destilarias de ‘rakija’, a aguardente local. Se não quiser arriscar ir de carro, você pode contratar um tour até o Skadar. Depois de tirar sua foto panorâmica do alto da estrada, siga até o vilarejo na beira do lago, onde existe uma ponte antiga e é possível fazer passeios de barco ou caiaque. Aqui também é o lugar ideal para provar a culinária montenegrina, sendo que restaurantes familiares servem peixe fresco e vinho produzido nos arredores com vista para as águas.

O Lago Skadar tem formato de ferradura ao redor das montanhas

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 3 – Monastério Ostrog

Conforme o veículo vai vencendo os 50 quilômetros de estrada desde a capital de Montenegro, Podgorica, até o rochedo Ostroska Greda, você começa a divisar uma pequena mancha branca no paredão. Quanto mais perto você chega, mais percebe que aquela construção reluzente não é fruto da natureza, mas de mãos humanas que escavaram a rocha no século XVII. Até que, em uma curva da rodovia, ele fica totalmente nítido, e os veículos param para que todos possam ver.

Encravado no alto da pedra está o Monastério Ostrog, um dos lugares mais visitados da cristandade. Não só pela beleza e singularidade de sua arquitetura – não é todo monastério que tem uma igreja esculpida na montanha -, mas também porque ele é o lugar de repouso de seu construtor, São Basílio (Sveti Vasilije Ostroski). Seus milagres, relacionados à saúde, atraem fiéis do mundo todo.

Assim como em todos os monastérios e igrejas ortodoxos, não é possível tirar fotos dentro do lugar, além de ser necessário cobrir os ombos e pernas (mulheres devem usar saia ou uma canga amarrada ao redor da cintura, pois calças compridas não são permitidas). O templo é todo coberto por afrescos, e a vista desde o alto da igreja também é belíssima.

Encravado nas montanhas, o Monastério Ostrog não pode ficar fora da lista de o que fazer em Montenegro

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 4 – Península de São Estêvão (Sveti Stefan)

Talvez este seja o cartão-postal mais famoso de Montenegro. E não é para menos, já que a minúscula península parece um reino de casinhas de brinquedo em meio às belas cores do Mar Adriático. Sveti Stefan fica próxima do badalado balneário de Budva, de onde se pode chegar de carro ou ônibus local. Antigamente habitada por um vilarejo, a península foi transformada em hotel pelo governo comunista da antiga Iugoslávia e, hoje, abriga um resort de luxo cinco estrelas.

⇒ Reserve já seu hotel em Sveti Stefan e garanta os melhores preços! ⇐

Apenas os hóspedes de um dos seus 58 quartos podem entrar na península, assim como frequentar a praia que fica a sua direita. Já a faixa de areia da esquerda é livre para o deleite dos olhos e todos os outros sentidos dos menos afortunados, que podem alugar cadeiras e passar o dia vendo o mar azul do Adriático e os carrões dos ‘jet setters’ entrando e saindo de Sveti Stefan. E a melhor vista da península, da estrada lá em cima, também é de graça, hehe.

Península de São Estêvão é o cartão-postal mais famoso do país

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 5 – Lago Negro (Crno Jezero)

É a principal atração do Parque Nacional de Durmitor, localizado na região norte de Montenegro. O Negro é o maior dos 18 lagos glaciares que existem no Monte Durmitor e fica a uma altura de 1.416 metros acima do nível do mar. Por isso, pode ser um lugar bem frio, mesmo nos dias escaldantes do verão montenegrino. O Lago Negro é formado por duas lagunas menores, ligadas por uma passagem estreita quando a água está alta e isoladas quando o nível baixa.

O acesso ao lago é muito fácil, sendo que você pode contratar um tour até lá ou dirigir até a cidade de Zabljak, de onde é possível andar até o Crno Jezero. Quem não tem medo de água fria pode nadar no Negro, e quem tem pode alugar um barco a remo para passear sequinho sobre sua superfície. Existe ainda uma trilha que dá a volta completa no lago, mas são 3,5 quilômetros de distância, então garanta tempo se pretende fazer este passeio. Uma visita perfeita ao Lago Negro termina com uma refeição típica no restaurante local. 

Lago Negro é a principal atração do Parque Nacional de Durmitor

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 6 – Cidade de Budva

Não existem muitos lugares pelo mundo em que você pode tomar banho de mar com vista para as muralhas de uma cidade medieval. E os russos sabem muito bem disso. Tanto que transformaram a pequena cidade litorânea de Budva em seu balneário preferido de férias. Sendo um dos poucos lugares da Europa que adotou o Euro, mas manteve um custo de vida relativamente baixo, Budva recebeu os antigos compatriotas soviéticos e suas fortunas do petróleo de braços abertos.

⇒ Reserve já seu hotel em Budva e garanta os melhores preços! ⇐

O resultado disso é que a pequena e charmosa cidade medieval à beira-mar se tornou um conglomerado de hotéis, prédios de apartamentos para temporada, restaurantes de primeira linha, cassinos e baladas que bombam madrugada adentro (aproveite e confira aqui nossa sugestão de hospedagem econômica na cidade). Iates milionários no melhor estilo ostentação aglomeram-se na marina.

A bailarina é o símbolo da cidade medieval de Budva

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Quase todas as lojas exibem cartazes na porta dizendo ‘fala-se russo’. Com certeza, o charme de Budva se perdeu para sempre, mas ela também se tornou uma cidade agitada, cheia de gente jovem e bonita, atrações culturais e opções para se divertir. E não deixou de abrigar algumas das praias mais bonitas de Montenegro, como Mogren I e II.

Acessíveis por uma curta caminhada a pé desde a cidade, ao se dirigir até elas você passa pela estátua da bailarina, símbolo da cidade. Obra do escultor Gradimir Aleksic, ela foi inspirada na lenda local de uma jovem que esperava todos os dias seus noivo marinheiro voltar do mar, até que morreu na praia sem que ele nunca tivesse aparecido novamente.

As praias de Budva estão entre as mais populares de Montenegro

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em  Montenegro 7 – Cânion do Rio Tara

Embora Montenegro seja um país minúsculo, a região do Rio Tara é um lugar para se falar de superlativos. É aqui que estão localizados o maior cânion da Europa e também a mais longa tirolesa em atividade no Velho Continente. O rio está localizado na região nordeste de Montenegro e corre por 144 quilômetros, até a fronteira com a Bósnia, sendo muito popular entre praticantes de rafting. Já o cânion faz parte do Parque Nacional de Durmitor, além de ser Patrimônio da UNESCO.

Sua extensão é de 78 quilômetros, alcançando 1.300 metros de profundidade. Se você quiser um passeio com emoção, pode fazer rafting nas corredeiras do cânion contratando um tour especializado, ou cruzar o desfiladeiro de tirolesa, que fica junto à ponte Djurdjevitsa e tem 350 metros de extensão. A maioria dos tours para exatamente nesta parte, pois quem não quiser a ’emoção’ pode cruzar essa bela ponte de arcos de concreto e admirar as cores impressionantes do cânion e do rio Tara lá embaixo.

O cânion do Rio Tara é muito praticantes de rafting e tirolesa

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em  Montenegro 8 – Monte Lovcen e Mausoléu de Njegos

O Monte Lovcen é nada mais, nada menos do que a ‘montanha negra’ que deu origem ao nome ‘Montenegro’. Seu pico mais alto alcança 1.749 metros, sendo que o topo do monte foi declarado parque nacional em 1952. Para chegar até ele, saindo da cidade de Kotor, você vai percorrer – de carro ou de excursão – uma das estradas mais cênicas do mundo.

Curva após curva, a Baía de Boka Kotorska fica cada vez menor lá embaixo, assim como as outras montanhas que a emolduram, formando um quadro que todo mundo vai querer parar para eternizar em uma foto. A rodovia vai de Kotor até o pequeno e pitoresco vilarejo de Njegusi, lugar de nascimento da antiga família real de Montenegro.

Monte Lovcen é a 'montanha negra' que deu origem ao nome Montenegro

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Tão simbólico para os montenegrinos, o Lovcen foi também onde começou e terminou a vida de seu mais importante líder: Petar II Petrovic-Njegos, que comandou o país até 1851. Atendendo a seu último desejo, ele foi enterrado em uma pequena capela dentro do que hoje é a área do parque, a 1.657 metros de altura. Mas a capela foi destruída durante os bombardeios da Primeira Guerra, e um monumento polêmico foi construído pelo governo soviético em seu lugar.

O atual mausoléu é uma típica construção do período comunista, cinza, imponente e fria; e é preciso pagar para entrar no local. Mas – e se isso consola o falecido Njegos – vale a pena comprar o ingresso, pois, nos fundos do mausoléu, existe um mirante que proporciona uma vista aterradora da Montenegro que ele tanto amou.

A subida ao Mausoléu de Njegos proporciona uma das mais belas vistas do país

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 9 – Ilha de São Nicolau (Sveti Nikola)

É uma pequena porção de terra, ou melhor, de rochas, de apenas 2 quilômetros de extensão localizada no Mar Adriático, em frente à cidade costeira de Budva. O mar – em tons que variam do verde translúcido ao azul ‘Kolynos’ – recortado contra as falésias de 120 metros de altura tornaram o lugar um cartão-postal do país e destino popular entre os turistas da região. Há três praias – de cascalho e pedras, brasileiros! – acessíveis a partir da marina, além de outras pequenas baías que só podem ser alcançadas alugando um barco.

Os táxis aquáticos e os ferries, que funcionam na alta temporada de verão, percorrem apenas o trajeto de cinco minutos entre a marina de Budva e a da ilha. Uma vez lá, há dois restaurantes que servem comida, bebida e alugam cadeiras e guarda-sol. Mesmo que você não seja muito fã de praia de pedrinha e da água fria do Adriático, vale a visita apenas para apreciar a vista e beber uma cervejinha gelada.

A Ilha de São Nicolau é minúscula, mas não pode ficar fora da lista de o que fazer em Montenegro

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer em Montenegro 10 – Cidade de Kotor

Em poucas palavras, é um dos lugares medievais mais charmosos que você pode conhecer no mundo todo e a principal entre as atrações de Montenegro. Muitas vezes chamadas de ‘irmã mais nova’, Kotor costumava ser tratada como um passeio de bate-volta desde a vizinha famosa, Dubrovnik (Croácia).

⇒ Reserve já seu hotel em Kotor e garanta os melhores preços! ⇐

Mas a cidade murada que os venezianos construíram na belíssima Baía de Boka Kotorska, onde estão localizados os únicos fiordes do Mediterrâneo, tem ganhado cada vez mais vida – e visitantes – próprios. Cruzeiros chegam lotados nos dias escaldantes de verão, enquanto ônibus viajam várias vezes por dia entre o balneário de Budva, a capital Podgorica e a própria Dubrovnik.

A cidade medieval de Kotor é a principal atração turística de Montenegro

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Embora não tenha sido cenário das filmagens de ‘Game of Thrones’, Kotor foi palco de muitas batalhas reais, o que levou a República de Veneza a construir no local 3,5 quilômetros de muralhas. As fortificações preservaram a cidade através dos séculos, mas não puderam salvá-la dos terremotos. O último e mais forte ocorreu em 1979, quando boa parte do patrimônio histórico de Kotor, tombado pela UNESCO, teve que ser reconstruído.

Mas quem caminha hoje pelas ruas da cidadela muralhada não vê sinal de destruição. Tudo parece estar exatamente onde esteve há centenas de anos: os prédios de pedra, a torre do relógio, o poço, os palácios das famílias abastadas. Apenas quem entra na Catedral de São Trifão (Svetog Tripuna) ou outra das muitas igrejas e capelas da cidade, percebe o rastro da destruição na ausência dos afrescos, nas colunas em ruínas etc.

Nada que diminua Kotor ante os nossos olhos. Compre sua passagem e se perca pelas ruelas medievais recheadas de lojinhas simpáticas, boutiques, lancherias, restaurantes e até um bizarro Museu do Gato (o lugar está cheio deles). Mas, se não quiser pagar os olhos da cara por nada, é bom só comer e fazer compras do lado de fora das muralhas. Aproveite e confira aqui nossa sugestão de hospedagem econômica na cidade.

Cercada por muralhas, Kotor não pode ficar fora da lista de o que fazer em Montenegro

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve em Montenegro em junho de 2015 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

4 comentários

Kerolayne 25 de fevereiro de 2020 - 08:10

Amei as dicas! Estou organizando minha viagem à Montenegro de 05 à 9 de abril e estou em dúvida se vou para o Norte, para a região de montanhas ou estico um dia para ir em Dubrovnik na Croácia. Minha amiga, que é de lá, quer muito me levar para as montanhas, será que vai estar muito frio nessa época ? O que você acha que vale mais a pena?
Até agora to organizando assim: 06 – Podgorica para conhecer a cidade dela e família, 07 – (Dubrovnik ou Norte de Montenegro), 08- Kotor 09- Budva

Responder
Escolha Viajar 28 de fevereiro de 2020 - 19:10

Olá, Kerolayne!
A média de temperatura em abril em Podgorica é entre 9ºC e 20ºC, o que é bem agradável. Claro que, nas montanhas, o frio será um pouco mais intenso. Dubrovnik é uma cidade linda, mas eu aceitaria o convite da sua amiga para conhecer as montanhas. Visitar um país ao lado de uma moradora do lugar é uma oportunidade única, ela com certeza vai te mostrar coisas que outros turistas não vão ver. Deixe Dubrovnik para conhecer em uma próxima viagem, quem sabe você não aproveita e passa mais tempo na Croácia, que é um país que vale uma visita completa.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Lia Christo 2 de julho de 2019 - 22:17

Amei as dicas! Acreditam que eu nunca tinha ouvido falar deste País? Onde eu vivi até agora? hahaha
Fiquei fascinada pela história e pelas paisagens. Com certeza é um local que eu ia adorar visita. Quem sabe algum dia?
Muito obrigada pelas dicas e por compartilharem suas experiências.
Bjus

Responder
Escolha Viajar 6 de julho de 2019 - 14:08

Olá, Lia!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais