Página inicial ÁsiaTailândia O que fazer na Tailândia: 10 atrações que você não pode perder

O que fazer na Tailândia: 10 atrações que você não pode perder

por Escolha Viajar
Mulher boia nas águas fluorescentes de Bamboo Island, em Koh Phi Phi

Nem ‘só’ de ilhas paradisíacas vive a Tailândia. Embora tenha experimentado seu ‘boom’ turístico nos anos 2000 graças à Maya Bay – a praia do filme ‘A Praia’ -, este país do sudeste asiático oferece um cardápio de atrações de deixar qualquer viajante com vontade de comprar uma passagem agora mesmo. Dos elefantes de Chiang Mai, no norte, às belezas da Ilha de Koh Lipe, no sul, existe muito o que fazer na Tailândia! Para ajudar, elaboramos uma lista com 10 atrações imperdíveis.

⇒ ONDE SE HOSPEDAR NA TAILÂNDIA e pagar barato
⇒ GUIA DE VIAGEM TAILÂNDIA: Tudo que você precisa saber!

É claro que tudo o que é bom tem seu revés. Sendo um país de economia subdesenvolvida, a Tailândia sofre com a superpopulação, pobreza, poluição e exploração do turismo de massa. Isso quer dizer que há praias sujas, tours de má qualidade, restaurantes de carecem de higiene, ‘engarrafamento’ de barcos, crianças pedindo dinheiro, locais de maltratam os animais e superlotação de estrangeiros na alta temporada de férias.

Nada disso tira o brilho das incríveis atrações da Tailândia – um país que certamente vai morar no seu coração para sempre -, mas é melhor estar preparado e evitar decepções. Confira 10 delas que você não pode perder:

O que fazer na Tailândia 1 – Maya Bay

Desde que Leonardo di Caprio colocou seus pés nas areias de Maya Bay para a filmagem de ‘A Praia’, em 2000, este pedacinho da Ilha de Phi Phi Leh nunca mais foi o mesmo. Cercada de formações rochosas que quase ‘fecham’ a baía e banhada por águas verdes fluorescentes, ela tornou-se a praia dos sonhos de 11 entre 10 viajantes por todo mundo. Maya Bay fica no super turístico arquipélago de Koh Phi Phi e visitá-la é muito fácil.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

⇒ Reserve já seu hotel em Koh Phi Phi e garanta os melhores preços! ⇐

Mas não caia na besteira de pegar o Koh Phi Phi Day Tour, que percorre vários lugares em um único dia. Maya Bay merece muito mais do que uma simples horinha de visita e meia dúzia de fotos em meio a uma multidão de turistas fazendo exatamente a mesma coisa. Reserve um espacinho no seu orçamento para alugar um barco particular e sair de Phi Phi Don – a ilha principal de Koh Phi Phi – pela manhã bem cedo e aproveitar a beleza de Maya Bay antes que as multidões cheguem.

Maya Bay, a praia mais famosa da Tailândia, é iluminada pelo amanhecer

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

As embarcações têm lugar para até seis pessoas, assim você pode encontrar outros turistas com quem dividir o custo do passeio (que era de US$ 70 em 2015). Outra opção sensacional – mas cara – para conhecer Maya Bay é o tour chamado de ‘sleep aboard’. Ele é operado por uma única empresa, o que garante a preservação da área e que você terá a praia só para sí e o grupo que estiver no barco. Em 2015, o custo do tour era de US$ 250 por pessoa. Clique aqui para mais informações.

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!

O passeio parte de Phi Phi Don no fim da tarde, para em um ponto de snorkel e chega a Maya Bay pouco antes do pôr do sol. Na programação estão churrasco na praia, com direito a muitos drinques, mergulho com o plâncton fluorescente e passar a noite na coberta do barco, sob a luz das estrelas. De manhã, você volta à praia deserta para fazer fotos à luz do dia. Simplesmente sensacional! Veja também aqui nossa sugestão de hospedagem econômica em Koh Phi Phi.

ATENÇÃO! Infelizmente, desde meados de 2018, a praia de Maya Bay está fechada aos visitantes por tempo indeterminado. A intenção do governo Tailandês é dar ao escossistema local tempo para se recuperar da exploração turística massiva dos últimos 20 anos. No momento, os barcos de passeio podem apenas navegar pela baía, sem ancorar na praia. Aos viajantes é permitido nadar no mar, mas não ir até a areia.

Mulher posa para foto em Maya Bay ainda vazia ao amanhecer

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 2 – Centro de recuperação de elefantes

A Tailândia, e especialmente a cidade de Chiang Mai, no norte do país, ficou famosa como centro de turismo com animais como elefantes e tigres. Mas, nos últimos anos, denúncia atrás de denúncia de tortura e maus tratos têm levado ao fechamento de locais que promovem exibições dos bichos. Embora ainda esteja em pleno funcionamento, o famoso Tiger Kingdon é acusado de dopar parte dos animais para que os viajantes possam ser fotografados ao lado deles.

⇒ Reserve já seu hotel em Chiang Mai e garanta os melhores preços! ⇐

Isso e o crescimento do número de turistas com consciência ambiental gerou um novo tipo de atração na Tailândia: os centros de recuperação de animais. Alguns são grandes, outros pequenos, mas todos têm como proposta deixar que o viajante acompanhe o dia a dia do animal, sem shows ou montaria. Em Chiang Mai há vários lugares como esse, que resgatam elefantes abandonados, velhos ou doentes e que não têm mais ‘serventia’ para os locais de exibição tradicionais.

Para se sustentar, os centros de recuperação abrem visitação para os turistas interessados em ver os animais de perto e participar de interações leves, como alimentá-los e tomar banho no rio. Entre eles, destaque para o Happy Elephant Home, onde o dia de diversão é garantido, assim como fotos sensacionais e ainda aquela sensação boa de estar ajudando os bichões! O custo do passeio de meio dia era de US$ em 2015. Acesse o site deles aqui para mais informações.

Turistas se divertem tomando banho de rio com elefantes em Chiang Mai

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 3 – Bamboo Island

Nem só da beleza de Maya Bay vive o arquipélago de Koh Phi Phi. Outra atração da Tailândia que é imperdível e fica por lá é a Bamboo Island. Esta minúscula porção de terra é sombreada por uma mata de bambu, que lhe dá o nome, e suas areias muito brancas são banhadas pelas águas mais azuis que você poderia imaginar. De longe, é a praia mais bonita da Tailândia! Para visitá-la, valha-se da mesma máxima de Maya Bay: fuja do Day Tour, que costumam fazer lá a pausa para o almoço.

Reserve um espacinho no seu orçamento para alugar um barco particular e sair de Phi Phi Don – a ilha principal de Koh Phi Phi – pela manhã bem cedo e aproveitar a beleza de Bamboo Island antes que as multidões cheguem. As embarcações têm lugar para até seis pessoas, assim você pode encontrar outros turistas com quem dividir o custo do passeio, que era de US$ 70 em 2015. Lembre-se de levar água, comida e (muito) protetor solar com você, pois não há nada para vender em Bamboo.

Água azul fluorescente que cerca Bamboo Island é atração imperdível na Tailândia

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 4 – Templo de Wat Pho

Mais conhecido como ‘Templo do Buda Reclinado’ é um dos pontos turísticos ‘must see’ de Bangkok, a capital da Tailândia. Tanto que já tem site em inglês para quem quiser saber mais (acesse aqui). Localizado às margens do Rio Chao Phraya, este mosteiro real inaugurado em 1801 é facilmente acessível de ônibus ou ‘express boat’ e pode ser combinado com uma visita ao Grand Palace, que fica logo ao lado.

⇒ Reserve já seu hotel em Bangkok e garanta os melhores preços! ⇐

O templo abre das 8h às 18h30 e a entrada custa menos de US$ 3. Lembre-se de não usar roupas curtas, decotadas ou muito justas, além de não sentar com os pés voltados para Buda. A grande atração do Wat Pho é a ‘Phra Buddha Saiyas’, ou Estátua do Buda Reclinado. A imagem, feita de tijolos e coberta com laca e ouro, ocupa uma sala inteira do templo e tem nada menos do que 46 metros de comprimento por 15 metros de altura!

Estátua gigantesca de Buda deitado é destaque no templo de Wat Pho

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

É uma das maiores estátuas do mundo de Buda nesta posição, chamada de ‘leão adormecido’ e na qual ele teria morrido. Tanto o rosto como os pés da imagem tem 5 metros de altura, sendo que as solas são decoradas com 108 símbolos. Aliás, é neste ponto que você tem que ficar se quiser tirar uma foto da estátua em toda sua extensão, pois o lugar é pequeno e não há como tomar distância para conseguir enquadrar o Buda todo de uma vez, a não ser do ângulo dos pés.

Além da gigantesca sala do Buda deitado, existem dezenas de outras capelas no complexo, todas abrigando estátuas da figura máxima do budismo em diversas posições, como sentado com as pernas cruzadas (chamada de lótus), com os pés tocando o solo; ou de pé, com uma ou as duas mãos estendidas para a frente. E cada uma delas tem um significado diferente! Enfim, conhecer o Wat Pho é um programa para algumas horas e que rende muitas fotos incríveis.

Centenas de estátuas de Buda podem ser vistas no templo de Wat Pho, uma das atrações imperdíveis da Tailândia

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 5 – Railay Beach

Localizada em Ao Nang, a apenas uma hora de ferry do arquipélago de Koh Phi Phi e a 40 minutos de carro do aeroporto de Krabi, Railay Beach é uma das praias mais sensacionais da Tailândia. Banhada por águas verdes, calmas e cercada por paredões de rocha, ela abriga hotéis e pousadas pé de areia e um pequeno e animado comércio local, que conta com agências de turismo, restaurantes e bares.

⇒ Reserve já seu hotel em Railay e garanta os melhores preços! ⇐

No fim da tarde, a baía principal – chamada de Railay Beach West – fica de cara para um pôr do sol lindo de morrer! Além disso, Railay fica a poucos minutos de caminhada de outra praia belíssima, a Phra Nang Beach. Embora fique lotada de barcos de excursão durante o dia, é um excelente local para se ficar pela manhã cedo ou perto do fim da tarde. Destaque para os ‘food boats’ que atracam na beira da areia às dezenas e garantem petiscos e cerveja para os visitantes.

É claro que eles poluem a paisagem, mas essa é a Tailândia e sempre é possível encontrar um ângulo legal para tirar aquela foto inesquecível… Railay Beach também é muito procurada por praticantes de escalada, que encontram nos seus paredões um lugar ideal para o esporte. Além disso, a praia serve como base para visitar diversas outras belas ilhas da região, como Poda, Tup e Hong (leia mais adiante). Confira aqui nossa sugestão de hospedagem econômica em Railay Beach!

Rochas gigantescas fazem de Railay Beach uma das atrações imperdíveis da Tailândia

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 6 – Mercado Flutuante de Damnoen Saduak

Um dos mais tradicionais para se fazer nos arredores de Bangkok é o mercado flutuante de Damnoen Saduak, um pequeno vilarejo que cresceu à margens do rio a 100 quilômetros da capital da Tailândia. É possível pegar ônibus públicos para chegar até lá, mas tours costumam ser tão baratos no país que vale mais a pena relaxar no encosto de uma van com ar condicionado durante as duas horas de trajeto do que fazer tanta economia.

Garanta que o passeio saia bem cedo de Bangkok, pois o melhor horário para visitar o mercado é das 8h às 10h. Depois disso, o lugar fica absurdamente lotado. A van vai deixar você no acesso por terra mais próximo, de onde se pega um barco para chegar ao mercado. A maioria dos tours deixa você livre por duas horas para percorrer o local a pé – os setores são ligados por pontes e não é difícil ir e vir.

Turistas passeiam de barco entre os vendedores do Mercado Flutuante de Damnoen Saduak

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Outra opção para circular pelo local é pagar um tradicional ‘long tail boat’ para ficar navegando pelos canais por 30 minutos ou uma hora. Embora seja vendido como uma imagem das tradições milenares tailandesas, o mercado de Damnoen Saduak já se tornou uma atração totalmente turística. Os imensos barracões cortados pelos canais abrigam, em sua maioria, lojas de souvenires e restaurantes.

Há homens segurando cobras gigantescas e barquinhos vendendo comida típica, mas tudo é voltado para o turismo, e não mais para os moradores locais. Há tantos barcos lotados de visitantes que às vezes não sobra espaço para passar e eles ficam presos uns nos outros. Nada disso tira a diversão do passeio, mas é bom estar preparado. E não deixe de conferir aqui a nossa sugestão de hospedagem econômica em Bangkok!

Turistas posam para foto durante passeio de barco pelos Mercado Flutuante de Damnoen Saduak

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 7 – Ilha de Koh Lipe

Koh Lipe é uma pequena ilha localizada no sul do Mar de Andaman, a 60 quilômetros de terra firme tailandesa e a 30 da Malásia. Embora possa ficar lotada nos meses de férias, ela costuma ser menos procurada por turistas por estar longe do tradicional circuito Bangkok-Koh Phi Phi-Ao Nang. Suas três praias de areias muito brancas e o mar extremamente azul são um convite para relaxar e se desligar do mundo. Sem sombra de dúvidas, uma das melhores atrações da Tailândia!

⇒ Reserve já seu hotel em Koh Lipe e garanta os melhores preços! ⇐

Na verdade, não há muito mais a fazer em Koh Lipe a não ser se embebedar na sua beleza. Existem um pequeno centro comercial com bares e restaurantes e alguns tours para fazer snorkel ao redor da ilha. Nada de estradas, carros ou agito. A ‘vibe’ é alugar um bangalô pé de areia (veja nossa sugestão de hotel aqui), estocar algumas cervejas no frigobar e passar o dia alternando entre Sunrise Beach, onde o sol nasce, e Sunset Beach; onde ele encerra sua jornada diária.

Para chegar à Koh Lipe, você pode voar da capital até a cidade de Trang e, de lá, ir para o porto de Pak Bara, de onde partem inúmeros ferries até a ilha na alta temporada (só um opera na baixa). A empresa Nok Air vende o pacote completo: voo + transfer + barco (consulte aqui). Também é possível pegar um ‘speed boat’ que sai de Koh Phi Phi, passa por Koh Lanta e mais meia dúzia de ilhas menores, mas esteja preparado para o preço salgado e várias horas de viagem (mais aqui).

As praias da Ilha de Koh Lipe são atração imperdível na Tailândia

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 8 – Templo de Doi Suthep

O nome completo é ‘Wat Phra That Doi Suthep’, mas ele costuma ser chamada simplesmente de Doi Suthep, ou Templo da Montanha. Localizado a 15 quilômetros de Chiang Mai, no norte da Tailândia, é um dos redutos budistas mais belos a se visitar no país. Para chegar até ele, basta pegar uma das inúmeras vans que saem do centro da cidade por um preço irrisório a cada 10 ou 15 minutos. Qualquer hotel pode lhe indicar de onde partem os veículos.

O templo abre das 6h às 17h. Lembre-se de vestir roupas adequadas, pois é um lugar sagrado. Uma vez na montanha, você dará de cara com a belíssima escadaria ladeada por esculturas de dragões e mais de 300 degraus a subir. Mas o pequeno esforço vale a pena. Além de ver a cidade lá de cima, você poderá percorrer os belos recintos, decorados com dezenas de estátuas douradas de Buda em todas as suas posições.

Há também uma imagem em vidro verde que é uma réplica do Buda de Esmeralda do Grand Palace. Duas fileiras de sinos gigantes ornam uma das laterais do templo. Existe ainda um memorial ao elefante branco que, segundo a lenda, morreu sobre a montanha carregando um osso de Buda e, assim, originou a construção do local sagrado lá pelos idos de 1300. Não deixe de conferir aqui nossa sugestão de hospedagem econômica em Chiang Mai.

Escadaria decorada por dragões leva ao topo de Doi Suthep, nas montanhas de Chiang Mai

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 9 – ‘7 Islands Tour’

Embora seja considerado uma das atrações da Tailândia mais controversas entre os turistas, o ‘7 Islands Tour’ de Ao Nang é uma maneira barata e interessante de saber tudo o que há para ver na região e, depois, decidir o que vale uma visita com calma. O passeio parte de Krabi, Ao Nang e de Railay Beach e passa o dia no mar, entre ilhas, pontos de snorkel, um churrasco ao pôr do sol e um mergulho com plânctons fluorescentes.

Na verdade, o passeio original se chama ‘4 Islands’, mas depois ele cresceu para cinco e, agora, chegou a sete. Você pode fazer qualquer uma das versões, mas, se a ideia é ver tudo para, depois, alugar um barco particular e voltar aos lugares que realmente gostou, o sete é o ideal. Qualquer agência de Krabi, Ao Nang ou Railay Beach vende o passeio, mas os preços podem variar muito – de US$ 20 para US$ 50! -, então é bom pesquisar com calma.

O roteiro sofre variações de empresa para empresa, mas, via de regra, você passará por Chicken Island (apenas ao largo, para visualizar seu formato de galinha), a belíssima Hong Island (na foto), a pequena e surpreendente Tup Island e Poda Island, onde a magia do pôr do sol acontece. Depois, quando a noite já está bem fechada, há uma parada de 15 ou 20 minutos para snorkel com o famoso plâncton que brilha nas águas da Tailândia.

A Ilha de Hong é uma das paradas do '7 Islands Tour', em Ao Nang

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


O que fazer na Tailândia 10 – Grand Palace

Tesouro maior dos tailandeses, o Grand Palace de Bangkok é a antiga residência da muito amada família real que governa o país. Os soberanos já não habitam seus aposentos desde 1925, mas o respeito é tão grande que as regras continuam as mesmas: saias e bermudas devem ir até abaixo dos joelhos, chinelos são proibidos e todos precisam estar com os ombros cobertos. E não basta jogar um lenço, é preciso MANGAS. Tudo pode ser alugado na entrada do templo.

Escondido dos olhos do público por quase dois quilômetros de muros, o palácio está situado às margens do rio Chao Phraya e é facilmente acessível de ônibus ou ‘express boat’, podendo ser combinado com uma visita ao Templo de Wat Pho, que fica logo ao lado. O Grand Palace abre das 8h30 às 15h30 e a entrada custava menos de US$ 14 em 2015. Sua grande atração é a Capela do Buda de Esmeralda. Embora seja uma belíssima imagem de Buda, ela é feita de jade, e não de esmeralda.

Mas o lugar é gigante, cheio de outras capelas, museus, pequenos jardins, antigos aposentos reais e todos aqueles elementos dourados e brilhantes da arquitetura tailandesa que fazem a gente querer gastar o dedo de tanto tirar fotos. Portanto, reserve algumas horas para conhecer o Grand Palace como ele realmente merece. E prepara-se para encarar as multidões, pois esta é a mais popular das atrações da Tailândia!

Multidão lota o Grand Palace, atração turística mais popular da Tailândia

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteva na Tailândia em março de 2015 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

4 comentários

Neid 20 de novembro de 2017 - 00:14

Acho mais interessante fazer Chiang Mai antes e praias e descanso para o final. É o que farei agora no final do mês. Mas também utilizei suas sugestões. Como entro e saio por Bangkok dividi assim: de 01 a 05/12 Bangkok, 05 a 08/12 Chiang Mai, 08 a 11/12 Railay, 11 a 16 Phi Phi, 16 a 18/12 Bangkok para compras.

Responder
Escolha Viajar 25 de novembro de 2017 - 14:27

Olá, Neid!
Obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Ariane 30 de agosto de 2017 - 07:46

Oi tudo bem?

Parabéns pelo blog,muito bom!

Estou planejando uma viagem para Tailândia em Novembro do ano que vem,tá um pouco longe kkk,mas gosto de planejar antecipadamente.
Bom já tenho um roteiro montando por sinal bem parecido com o seu, a única diferença é que de Bangkok estou pensando em ir para Chiang Mai e depois ir para as praias e por último koh Lipe pois pretendo relaxar nos últimos dias repôr as energias.
O que você acha sobre deixar Koh Lipe por último?

Bjs

Responder
Escolha Viajar 3 de setembro de 2017 - 09:27

Olá, Ariane!
Não vejo nenhuma diferença em fazer o roteiro do norte para o sul ou do sul para o norte. Nós fomos do sul para o norte porque de Chiang Mai embarcamos direto para a Índia.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder