Página inicial AméricaCosta Rica Pura vida! Confira 10 dicas da Costa Rica que você precisa saber antes de viajar

Pura vida! Confira 10 dicas da Costa Rica que você precisa saber antes de viajar

por Escolha Viajar
Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

A Costa Rica é um destino popular entre europeus e americanos há alguns anos. Menor, mais barato e mais seguro que o Brasil – embora tão bagunçado quanto – é um país de reservas naturais, vegetação luxuriante, muita observação de animais, rafting, tirolesa, arvorismo, caminhadas, banhos de cachoeira e algumas praias simpáticas. Atrações que poderíamos econtrar nas nossas próprias terras, não fossem os custos e distâncias de viajar pelo Brasil. Além disso, mochilar pela América Central é a nova menina dos olhos dos turistas tupiniquins, sufocados pela alta do euro e do dólar. Se você é um deles, veja a seguir algumas dicas da Costa Rica.

⇒ ONDE SE HOSPEDAR NA COSTA RICA gastando pouco
⇒ GUIA DE VIAGEM COSTA RICA: Tudo que você precisa saber!

Ué, mas não somos todos ‘hermanos latinos’ que falam quase a mesma língua e têm hábitos e cultura muito parecidos. Mais ou menos. Na Costa Rica todo mundo é tão fã de arroz e feijão quanto o brasileiro, mas se come no café da manhã e temperado com coentro… E ‘tico’, ‘pura vida’ e ‘gallo pinto’ não são exatamente expressões que você vai econtrar em um dicionário de espanhol, hehe. Melhor ler e prevenir do que remediar, não? Confira 10 dicas da Costa Rica que você precisa saber antes de viajar!

Dicas da Costa Rica 1 – ‘Ticos’ e ‘Pura vida’

Existem três palavras e expressões totalmente típicas da Costa Rica e que você vai ouvir e ler com muita frequência. A primeira é ‘ticos’, denominação usada para se referir ao que é natural do país. Quem nasce na Costa Rica é tico, molho típico da Costa Rica é molho tico e assim por diante. Por vezes, o país é até mesmo chamado carinhosamente de ‘Tiquicia’.

A segunda expressão é ‘pura vida’, que você verá em outdoors turísticos, nomes de hotéis, restaurantes e mesmo assinatura de e-mails. É difícil encontrar uma tradução literal para estas duas palavras, que se tornaram lema da Costa Rica, principalmente na área do turismo, mas ela simboliza o bem viver, alegria, satisfação, beleza, tudo o que for ligado à beleza natural e qualidade de vida do país. Às vezes, é usada como saudação de chegada ou saída, no lugar de ‘bem-vindo’ e ‘até logo’.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 2 – Arroz com feijão

A terceira e última expressão é a que soará mais divertida as ouvidos e ao estômago dos brasileiros e também é uma dica relacionada à culinária local. Trata-se do ‘gallo pinto’ ou, simplesmente, arroz com feijão preto. Esse é o prato mais típico da Costa Rica e muito apreciado, principalmente… no café da manhã! Além do nome e do horário, você também estranhará o sabor, apesar de gostoso, pois no país se usa coentro para temperar o feijão.

Foto: Legendre17/Wikimedia Commons (CC-BY-3.0)

Foto: Legendre17/Wikimedia Commons (CC-BY-3.0)


Dicas da Costa Rica 3 – Transporte do aeroporto

Para sair do aeroporto Aeroporto Internacional Juan Santamaría, que fica na cidade metropolitana de Alajuela, e ir para San José, haverá muitos táxis disponíveis no portão de desembarque, mas uma corrida até o centro da cidade pode custar nada menos do que US$ 30! Existem duas boas alternativas para economizar esse dinheiro.

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!

Uma, é ficar hospedado em Alajuela mesmo, já que as atrações turísticas mais populares da capital – o Vulcão Poás e a Cachoeira La Paz – ficam mais próximas dessa cidade do que da capital propriamente dita. O ônibus que vai para o vulcão, por exemplo, sai de Alajuela, e não de San José. A segunda opção é sair do aeroporto para a avenida e dobrar à direita. Você verá uma parada de ônibus onde passam coletivos constantemente em direção ao centro da capital.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 4 – Transporte pelo país

O transporte na Costa Rica é uma grande bagunça, dentro e, principalmente, para fora das cidades. Só na capital, San Jose, existem cinco rodoviárias diferentes, todas localizadas em pontos distantes umas das outras. Se ficar hospedado na capital e quiser ir para Alajuela, por exemplo, deve pegar um ônibus no terminal TUASA. Já para ir à cidade turística de La Fortuna, os coletivos saem do novo terminal 7-10. Se o destino for o balneário de Puerto Viejo, já na fronteira com o Panamá, é preciso se dirigir ao terminal Atlántico Norte etc.

Além disso, não é possível comprar passagens pela internet, existem poucos horários de ônibus intermunicipais, os veículos são velhos e sem ar condicionado e podem viajar superlotados, com passageiros em pé. Sem falar que é quase impossível ir para qualquer ponto do país sem ter que voltar a San José, tanto pela deficiência do sistema quanto pelo fato de a Costa Rica ser repartida ao meio por uma grande cadeia de montanhas.

Ainda é preciso ter muito cuidado com a sua bagagem, pois não é incomum que malas de turistas desapareçam do compartimento durante alguma parada. Por tudo isso, muitos turistas acabam optando pelo transporte em vans, que aproveitam a brecha e operam com regularidade entre os destinos mais populares do país. Mas os preços são exorbitantes. Uma viagem de La Fortuna até Manuel Antonio, por exemplo, sai por US$ 40.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 5 – Segurança

Apesar do péssimo sistema de transporte, alugar um carro e sair viajando por conta própria pode não ser uma boa ideia na Costa Rica. Apesar da alta qualidade de vida no país, a segurança não é nenhuma ‘Brastemp’, e turistas costumam ser alvos de furtos diversos (como no caso das malas retiradas dos bagageiros dos ônibus). Há relatos de viajantes que encontraram o veículo arrombado e vazio depois de deixá-lo estacionado em lugares pouco movimentados. Além disso, algumas estradas da Costa Rica são péssimas para dirigir.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 6 – Economia dolarizada

A Costa Rica é um país de economia dolarizada extra-oficialmente. Isso quer dizer que quase tudo o que está ligado ao turismo – preço de tours, hotéis, transfers, igressos em atrações – é cotado e cobrado na moeda norte-americana. É claro que você pode pagar com dinheiro costa-riquenho, o colón , mas nem sempre a conversão é feita de forma favorável ao turista. No comércio comum, como lojas e supermercados, e no transporte público, você terá que usar a moeda local obrigatoriamente.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 7 – Praias

Você já ouviu falar na beleza das praias da Costa Rica? Deveria, não é mesmo, já que o país é banhado tanto pelo Pacífico quanto pelo Caribe e deve ter uma centena delas… Tem, é verdade, mas elas são ‘patinhos feios’ perto dos vizinhos da América Central e Caribe. Enquanto do lado do Pacífico predominam as ondas fortes famosas entre surfistas, do outro as faixas de areia até tem certo charme com seu mar verde menos bravio, vegetação luxuriante e clima ‘relax’ trazido pelos imigrantes jamaicanos, mas nada marcante em termos de beleza.

Talvez o fator predominante seja a areia marrom escura característica das duas costas do país. Mas existem duas praias que se destacam, pelo menos um pouco. Pelo lado do Pacífico é Manuel Antonio, que fica dentro do parque nacional do mesmo nome e está cercada de muita flora e fauna ‘ticas’. Pelo lado do Caribe é Punta Uva, localizada nos arredores da cidade de Puerto Viejo e praticamente deserta.

Pura vida! Confira 10 dicas da Costa Rica que você precisa saber antes de viajar


Dicas da Costa Rica 8 – Evite os tours

Pelo motivo mais simples do mundo: eles são super caros. E nem todos valem o preço que se paga. Um passeio de um dia saindo de San José para visitar o Vulcão Poás, a Cachoeira La Paz e uma fazenda de café custa mais de US$ 100! Uma quantia que não se cobra nem mesmo nos países mais caros da Europa. Em La Fortuna, o tour até o Vulcão Arenal, caminhada na floresta e visita às fontes termais, sai por US$ 65.

É possível conhecer a maior parte dos pontos turísticos por conta própria, de ônibus ou de táxi. Embora estes últimos não tenham tarifas muito baratas, eles usam taxímetro – o que quer dizer que você não será extorquido por ser turista – e ainda é possível dividir a corrida entre quatro pessoas. Um táxi até o Vulcão Arenal (na foto abaixo), por exemplo, custa cerca de US$ 20.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 9 – Aproveite os hostels

Há muitos albergues super econômicos e bem avaliados em sites de hospedagem na Costa Rica. Isso porque muitos europeus e americanos trocam seus gelados países de origem pela ‘pura vida’ e calor da América Central e acabam abrindo negócios relacionados os turismo. Dos 1.700 estabelecimentos cadastrados no site de reservas ‘Booking’, quase 600 têm diárias abaixo de US$ 50. É possível ficar em dormitórios compartilhados em San José por US$ 9, em La Fortuna por US$ 16, em Manuel Antonio por US$ 8 e em Puerto Viejo por US$ 15.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Dicas da Costa Rica 10 – Quando ir (clima)

A Costa Rica tem uma estação seca e uma molhada. E põe molhada nisso! De chover litros e litros sem parar, às vezes por horas ou até por dias inteiros. Ela vai de maio a novembro e deve ser evitada pelos turistas como o demônio, pois tem todo potencial para destruir sua viagem. Os melhores meses para visitar o país são de dezembro a abril, quando o tempo fica predominantemente seco e a temperatura mínima não costuma baixar dos 20ºC, a não ser em zonas de maior altitude.

Fora isso, é bom saber que amanhece e escurece MUITO cedo na Costa Rica. Por volta das 7h, parte do comércio já está aberto, enquanto às 17h já está completamente escuro. Isso acaba fazendo com que as refeições também sejam servidas antes do que nós, brasileiros, estamos acostumados. O café da manhã termina por volta as 8h e o jantar ocorre normalmente às 19h.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve na Costa Rica em novembro de 2015 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

2 comentários

Maria Anita 11 de outubro de 2018 - 09:22

Bem azedos seus comentários sobre a Costa Rica! Pelo jeito só tem defeitos e os europeus e americanos que escolheram o país para viver são todos bobinhos. Então?!

Responder
Escolha Viajar 17 de outubro de 2018 - 22:52

Olá, Maria!
Não há nenhum ‘comentário azedo’ neste texto, apenas constatações sobre como o país funciona e o que o turista vai encontrar lá. Não pintamos quadros que não existem. Também não podemos opinar sobre quem escolheu a Costa Rica para viver, já que conhecemos o lugar apenas como viajantes.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais