Página inicial AméricaArgentina 10 dicas de Ushuaia que você precisa saber antes de viajar

10 dicas de Ushuaia que você precisa saber antes de viajar

por Escolha Viajar
Bandeira argentina tremula em barco que leva turistas ao Canal de Beagle com a cidade de Ushuaia ao fundo

Não vá viajar sem ler estas 10 dicas de Ushuaia! Neste texto, vamos te falar sobre como é o clima no ‘fim do mundo’, quando viajar, quanto custa, como ver pinguins, como ver neve, se vale a pena alugar um carro, como se preparar para os trekkings e outras informações que pesquisamos antes de ir para lá e achamos útil compartilhar. Embora a Argentina seja um país vizinho e muito similar ao Brasil, Ushuaia parece ficar em outro planeta.

⇒ Reserve já seu hotel em Ushuaia e garanta os melhores preços! ⇐

Então é melhor se preparar um pouco antes de embarcar. É claro que o principal fator de dificuldade para o brasileiro é o frio, que atinge a cidade em maior ou menor escala ao longo do ano. Isso afeta não só as roupas que levamos na nossa mala, como também os passeios que podem ser feitos e como será a paisagem que vamos ver ao chegar lá. Além da temperatura, há outras questões que tonam Ushuaia muito diferente de Buenos Aires ou Mendoza.

Uma delas é o preço. Viajar para Ushuaia é caro demais! Enquanto ir para as cidades do norte da Argentina costuma ser uma festa para os brasileiros, lá no fim do mundo a coisa é bem diferente. Hospedagem, passeios, comida, transporte, todos os preços são salgados. Muda muito também o tipo de turismo que você vai fazer: saem o tango e o vinho, entram pinguins e trekkings nas montanhas. Confira 10 dicas de Ushuaia que você precisa saber antes de viajar!

Placa dá as boas vindas aos visitantes que chegam ao porto de Ushuaia

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 1 – Clima

O primeiro item que você precisa ter em mente quando for planejar uma viagem é o clima. Ushuaia fica na Terra do Fogo, nos confins da Patagônia argentina e mais de 3.000 quilômetros ao sul de Buenos Aires. Ou seja, é um lugar muito frio na maior parte do tempo, sujeito a ventos fortíssimos, chuva, neve e mudanças bruscas de temperatura. As estações ocorrem nos mesmos meses que as do Brasil, mas com temperaturas muito mais baixas!

⇒ ROTEIRO EM USHUAIA: O que fazer em 1, 2, 3 ou 4 dias ⇐

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

No verão – dezembro a fevereiro -, o termômetro oscila em média entre 5ºC e 14ºC. A chance de nevar é mínimas e apenas os glaciares e o topo das montanhas mais altas permanecem brancos. Os dias são extremamente longos, com entre 15 e 17 horas de sol. No inverno – junho a agosto -, prepare-se para encarar muita neve e temperaturas médias entre -2ºC e 6ºC. As horas de luz reduzem para entre 7,5 e 9,5 ao dia e o cenário fica todo branquinho!

A chuva é bem distribuída ao longo do ano, mas os meses mais úmidos são março, abril e maio. Os mais secos são julho, outubro e novembro. O vento forte é uma constante em todas as estações em Ushuaia, mas ele costuma ser mais ameno em outubro/novembro e março/abril. A temporada de neve vai oficialmente de junho a agosto, mas é possível que ela já dê uma passadinha pela cidade em maio, despedindo-se definitivamente em setembro.

Mulher admira a Laguna de Los Tempanos com o Glaciar Vinciguerra ao fundo, em Ushuaia

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 2 – Passeios

Como você viu acima, o clima sofre alterações extremas ao longo do ano em Ushuaia. Enquanto os termômetros podem chegar a 20 graus em alguns dias de verão, a cidade fica soterrada de neve em alguns dias de inverno. Isso significa que há passeios turísticos que só se pode fazer no verão e passeios turísticos que só se pode fazer no inverno! Atividades ao ar livre em geral acontecem apenas entre setembro e abril, quando não neva.

⇒ O QUE FAZER EM USHUAIA: 6 atrações que são imperdíveis ⇐

Entre elas os passeios de caiaque ou canoa, algumas modalidades de excursão para a ‘pinguinera’ da Ilha Martillo, os trekkings do Glaciar Vinciguerra e do Parque Nacional Tierra del Fuego. Aliás, a temporada de observação de pinguins de Magalhães na vai de outubro a março, mas vamos explicar melhor no próximo item. A agência dos Correios ‘do fim do mundo’, que fica dentro do parque, fecha de 15 de maio a 15 de outubro.

Já os esportes de inverno só acontecem no auge da temporada de neve, entre o fim de junho e fim de agosto. Nessa época do ano, pode-se passear de trenó, andar de moto de neve, praticar snowboard, fazer caminhadas no gelo e esquiar. As estações de esqui do Cerro Castor e do Cerro Martial estarão em pleno funcionamento, assim como o teleférico até o topo do Glaciar Martial. Pode-se fazer o trekking até a Laguna Esmeralda, mas ela estará congelada.

Catamarãs levam turistas para navegação pelo Canal de Beagle, com Ushuaia ao fundo

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 3 – Pinguins

A Ilha Martillo, localizada no Canal de Beagle, é uma das principais atrações turísticas de Ushuaia. Ela abriga uma ‘pinguinera’, ou colônia de pinguins, que podem ser observados a bordo de catamarãs desde o mar ou pessoalmente, bem de pertinho. Para saber detalhadamente como fazer o passeio, acesse nosso texto sobre o que fazer em Ushuaia. Há um pequeno número de pinguins Papua que vivem em Martillo o ano todo.

Isso possibilita que haja tours para a ilha mesmo nos meses mais frios. Mas a temporada oficial de observação vai de outubro a março, quando o verão leva milhares de pinguins de Magalhães a Martillo para seu período de reprodução. Dependendo do mês escolhido para a visita, é possível ver os ovos e os filhotes, além dos adultos em processo de troca de plumagem. Se é esse espetáculo que você quer ver, precisa viajar entre outubro e março!

Pinguins de Magalhães são vistos durante passeio à Ilha Martillo, em Ushuaia

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 4 – Quando viajar

Depois de ler as três primeiras dicas, você já deve ter percebido que é preciso planejar com cuidado quando será a sua viagem para Ushuaia. É preciso levar em conta qual clima quer encontrar, quais paisagens quer ver e quais passeios quer fazer. Além disso, é preciso acrescentar na sua equação que a cidade estará lotada durante o verão e no auge da neve – períodos que coincidem com as férias escolares no Brasil e na Argentina.

⇒ 60 FOTOS DE USHUAIA para querer embarcar agora mesmo! ⇐

É quando os preços sobem também e hospedagem e passeios ficam mais caros (vamos detalhar mais sobre custos no próximo item). Se você faz questão do ‘calor’ e não se importa com pontos turísticos cheios, com certeza deve viajar na alta temporada de verão. Mas lembre-se que vai perder as montanhas nevadas, o cenário branquinho e os esportes de inverno. Se quer muito frio e cidade cheia, seu mês é julho. Mas vai perder alguns passeios e os pinguins.

Se você prefere evitar multidões e tem disponibilidade para viajar em qualquer data, recomendamos os meses da baixa temporada: abril e maio no outono; ou setembro, outubro e novembro na primavera. O clima não é tão agradável quanto no verão e possivelmente não haverá atividades de inverno, mas pode-se ver montanhas nevadas, um pouco de verde e quase todos os passeios estarão disponíveis. Talvez haja neve em maio e setembro. Além disso, venta menos!

Paisagem da histórica Estância Harberton, construída às margens do Canal Beagle

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 5 – Preços

Prepare seu bolso por que os preços em Ushuaia são bem salgados. Hospedagem, transporte, alimentação, passeios, tudo sai caro no fim do mundo! Mesmo que você possa viajar na baixa temporada, a economia decorrente da menor demanda e ocasionais promoções não chega a transformar essa numa viagem barata. Escolhendo uma hospedagem simples, não indo muito a restaurantes e fazendo passeios por conta própria dá para gastar menos.

Mas não para gastar pouco – confira em detalhes quanto custa viajar para Ushuaia. Hotéis e pousadas bem avaliados no site de reservas Booking e com localização central saem por entre US$ 60 e US$ 150 a diária. Saindo do centro, dá para achar apartamentos modestos por menos de US$ 30 (confira nossa sugestão aqui). Se quiser fazer refeições nos restaurantes do centro e provar os pratos característicos da cidade, também vai ter que abrir a mão.

Quarta de apartamento alugado em Ushuaia

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

No Tía Elvira, o mais famoso de Ushuaia, a centolla – crustáceo gigante típico do Pacífico – sai a partir de US$ 12 sem guarnições. Se quiser fresquinha, retirada ainda viva do aquário, o preço sobe para US$ 37 a centolla média e US$ 43 a grande. Já a merluza negra, outro prato típico de Ushuaia, sai por US$ 15 sem qualquer acompanhamento. Se colocar uma garrafa de vinho na jogada, pode aumentar a conta em pelo menos mais US$ 12.

Já o Casimiro Biguá, serve o famoso cordeiro patagônico a partir de US$ 6 sem guarnições. A parrillada patagônica para duas pessoas sai por US$ 10. Os passeios feitos com agências de viagem também não são nada baratos… O trekking ao Glaciar Vinciguerra custa US$ 109 (reserve aqui), e para a Laguna Esmeralda, US$ 81 (aqui).  Outro passeio imperdível – e caro – é a navegação pelo Canal de Beagle + Caminhada com Pinguins. O custo do tour é de R$ 1.500!

Restaurante serve o típico cordeiro patagônico com batatas fritas

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 6 – Paisagens

Ushuaia é sim um destino sensacional de viagem e você deve incluí-lo no seu roteiro, mas NÃO é lá que ficam as famosas belas paisagens da Patagônia. Essa região é gigantesca, se estendendo desde a Península Valdés até a ilha da Terra do Fogo – onde fica Ushuaia – e sendo dividida entre Argentina e Chile. Seus cartões-postais são o Parque Torres del Paine (Chile), o Glaciar Perito Moreno, em El Calafate; e o Monte Fitz Roy, em El Chaltén (ambos na Argentina).

⇒ 24 LUGARES INCRÍVEIS PELO MUNDO e como visitá-los ⇐

Todas essas atrações ficam a distâncias muito consideráveis de Ushuaia. Mas nenhuma delas é o ‘fim do mundo’, então ninguém deve deixar de ir até lá, hehe. É só saber direitinho o que esperar. Nada de uma vila pacata com casinhas charmosas cobertas de neve. Ushuaia é uma cidade portuária de 70.000 habitantes, com avenidas movimentadas, trânsito agitado, grandes supermercados, resorts de alto padrão, estações de esqui e aeroporto internacional.

Ao seu redor estendem-se os últimos braços da Cordilheira dos Andes, antes que ela mergulhe no mar. À sua frente está o Canal de Beagle, onde fica o principal símbolo turístico da cidade: o Farol Les Éclaireurs. Nas montanhas ao redor estão algumas das paisagens que se destacam em Ushuaia, como o Glaciar Vinciguerra e o Glaciar Ojo del Albino – onde fica a Laguna Esmeralda. O agradável Parque Tierra del Fuego também vale a visita.

Turistas olham mapa da Enseada Zaratiegui, no Parque Nacional Terra do Fogo

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 7 – Trekking

Embora não seja o lar dos trekkings mais famosos da Patagônia – os de Torres del Paine e de El Chaltén -, Ushuaia tem recebido um número cada vez maior de turistas interessados em caminhar pelas montanhas de descobrir as paisagens ainda pouco fotografadas da cidade. As trilhas populares de Ushuaia são as dos Parque Tierra del Fuego, a do Glaciar Martial e a da Laguna Esmeralda. Nos últimos anos, cresceu muito a procura pelo Glaciar Vinciguerra também.

E a outras mais entrando na mira dos visitantes, embora ainda não haja passeios guiados sendo vendidos até elas. Mas muito em breve devem começar a ser exploradas a Laguna Turquesa, Laguna 5 Hermanos, Laguna Bélgica, Laguna Holanda, Laguna e Cascata Submarino. Se você vai para Ushuaia e pretende fazer qualquer um desses trekkings, recomendamos que leve na sua bagagem dois itens essenciais: botas impermeáveis de trilha e bastões de caminhada.

Paisagem da trilha que leva à Laguna de Los Tempanos e ao Glaciar Vinciguerra

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

No verão, o solo vai descongelando com o calor do dia e vira um lamaçal. Tênis comuns não sobrevivem e você ainda corre o risco de escorregar feio. Bastões são essenciais para saber onde pisar nas turbas, um solo esponjoso que pode esconder muita água por baixo. Vimos gente afundar até a coxa e precisar de ajuda para sair! Quem faz os trekkings com agência de viagem normalmente recebe um bastão emprestado, mas se vai caminhar sozinho, leve o seu 😉

No inverno, a lama deixa de ser problema, pois o solo estará congelado. O problema vira não escorregar no terreno acidentado e liso, por isso é preciso usar grampões nos sapatos. Se você tem equipamento e experiência para fazer isso sozinho, vá em frente. Mas a maioria dos viajantes brasileiros não tem, então recomendamos que só encare trekkings de inverno com agências de viagem. Eles vão fornecer os bastões e os grampões para andar no gelo.

Mulher senta para admirar a vista na trilha da Laguna Esmeralda, em Ushuaia

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 8 – ‘Fim do Mundo’

Pois então… sinto informar que Ushuaia NÃO é mais a ‘cidade do fim do mundo’, nem a ‘cidade mais ao sul do mundo’. Ela perdeu o título em 2019, quando Puerto Williams foi oficialmente elevada da categoria de povoado para a de município. Puerto Williams fica na Ilha Navarino, no Chile, cerca de 50 quilômetros mais ao sul que Ushuaia. Mas é difícil imaginar o fluxo turístico migrando para lá tão cedo, já que a nova cidade tem apenas 2.000 habitantes.

⇒ Veja 29 atrações que podem ser MUITO DECEPCIONANTES ⇐

Enquanto Ushuaia conta não apenas com quase um século de fama como ‘fim do mundo’, com seus 70.000 habitantes ela oferece ampla infraestrutura e conforto ao turista. Aliás, se você quiser visitar Puerto Williams, vá ao píer turístico de Ushuaia, onde são vendidas passagens de ferry + ônibus até lá. Além disso, note que o local habitado mais ao sul do mundo não é Puerto Williams, mas sim a minúscula aldeia de pescadores de Puerto Toro, na mesma ilha.

Uma curiosidade: o ‘Correio do Fim do Mundo’, que fica no Parque Nacional Tierra del Fuego, também já não é mais o detentor do título! A agência mais austral do planeta hoje está localizada na Antártida, mais de 1.000 quilômetros ao sul. Aí fica difícil concorrer… Mas a de Ushuaia continua sendo muito charmosa e vale a visita. Toda em madeira, ainda é atendida pelo mesmo funcionário desde a sua abertura! Aproveite para carimbar seu passaporte por 150 pesos.

Passaporte com estampa especial em frente ao 'Correio do Fim do Mundo', em Ushuaia

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 9 – Carro

Vale a pena alugar um carro em Ushuaia? Definitivamente não. Você pode solicitar ao seu hotel transfer de ida e volta ao aeroporto, contratar tours para fazer os passeios e ocasionalmente chamar um táxi ou Uber se quiser ir a algum ponto mais distante por conta própria. Se você decidir alugar um veículo mesmo assim, a vantagem é poder procurar hospedagem fora do centro, que é mais econômica. Faça sua cotação para alugar um carro aqui.

E ir até Ushuaia de carro ou moto? Aí sim é uma viagem que vale a pena, apesar de bastante longa. As paisagens da Patagônia são incríveis e você tem a possibilidade de conhecer várias outras cidades turísticas, fora Ushuaia. Além de ser uma oportunidade única de dirigir em duas rodovias famosas: a Ruta 40 e a Carretera Austral (Chile). Você pode tanto alugar um veículo lá e circular pela região quanto sair do Brasil com o seu próprio carro ou moto.

Trecho da Ruta 3 na Patagônia argentina

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Se for esse o caso, lembre-se que é preciso o seguro Carta Verde para circular na Argentina. Além disso, para chegar a Ushuaia você vai ter que cruzar a fronteira com o Chile também, então é necessário o seguro específico daquele país – o SOAPEX. Os dois podem ser feitos junto a sua seguradora brasileira ou na internet, e só jogar no Google. Se for viajar no inverno, compre correntes para os pneus para poder circular nas lisas estradas congeladas.

Se for de moto, lembre-se que venta MUITO na Patagônia e pode ser necessário parar a viagem em algum momento. Fique alerta aos aplicativos de previsão do tempo e consulte pessoas locais se ele se mostrar excessivo. São emitidos alertas quando não é recomendado que motos e veículos leves circulem nas rodovias. Não é brincadeira, não tente enfrentar o vento patagônico, pois ele é capaz de virar até mesmo carretas, imagine uma motocicleta! 

Mulher de moto posa para foto na placa que indica o fim da Ruta 3, no Parque Nacional Terra do Fogo

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Dicas de Ushuaia 10 – Visto e vacinas

Brasileiros não precisam de visto para viagens de turismo à Argentina, por até 90 dias. Ao entrar no país, você deve apresentar apenas um passaporte válido ou RG. Além disso, não é exigida nenhuma vacina para viajar à Argentina. Isso no que se refere a doenças que não a COVID-19! As exigências de cada país em relação ao coronavírus mudam a toda hora e não faria sentido escrevê-las aqui. Para saber as atuais normas, consulte aqui o site da Embaixada da Argentina.

Passaporte com vistos de entrada e saída da Argentina

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve em Ushuaia em março de 2020 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

2 comentários

Vagner Roberto Iglesias 7 de setembro de 2021 - 15:13

show

Responder
Escolha Viajar 11 de setembro de 2021 - 00:41

Olá, Vagner!
Muito obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um grande abraço,
Tici&Marquinhos

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais