Página inicial EuropaFrança Como visitar os jardins de Monet saindo de Paris [passo a passo]

Como visitar os jardins de Monet saindo de Paris [passo a passo]

por Escolha Viajar
O célebre lago das ninfeias é a parte dos jardins de Monet mais procurada pelos turistas

Você até pode não ser um grande fã de arte, mas se está planejando viajar para Paris com certeza vai querer conhecer os famosos jardins de Monet, em Giverny (França). A casa e ateliê onde o artista viveu e pintou durante boa parte da vida fica a apenas 75 quilômetros de distância, o que fez dela um excelente passeio de bate-volta para uma manhã ou tarde. Por isso, elaboramos um passo a passo – com mapas! – sobre como visitá-la saindo da capital francesa.

⇒ O QUE FAZER EM PARIS: 16 atrações que são imperdíveis
⇒ ONDE SE HOSPEDAR EM PARIS e gastar pouco dinheiro

Para quem cabulou a aula de História da Arte, aqui vai um resumo brevíssimo deste que foi o grande mestre do impressionismo. Claude Monet nasceu em 1840 em Paris, onde viria a entrar para a Faculdade de Artes muitos anos mais tarde. Mas o jovem Monet não gostava do estilo clássico dos grandes mestres, preferia pintar ao ar livre. Assim, podia retratar as paisagens sob diferentes luzes em diferentes horários do dia e diferentes cores em diferentes épocas do ano.

Dessa paixão de Monet nasceu a técnica de pintura que hoje chamamos de impressionismo, pois o efeito da luz é colocado na tela com rápidas pinceladas. Assim, tem-se apenas a impressão da paisagem, e não um retrato fiel. As obras mais famosas de Monet são Mulher com Sombrinha, Campo de Papoulas, A Ponte Japonesa, Lagoas com Ninfeias e a série Catedral de Rouen. Mas, sem dúvida, sua marca icônica é a série Ninfeias.

As célebres ninfeias ainda adornam o lago dos jardins de Monet

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Com certeza, você já viu algum desses quadros, pois eles se tornaram tão famosos que estão por toda parte, até mesmo em estampa de guardanapo e fundo de calendário. As 250 telas a óleo que compõem a série retratam o lago dos jardins de Monet em Giverny, foco principal da sua produção artística nos últimos 30 anos de vida. Mas nenhum quadro de Monet está em Giverny, ok? Para vê-los, você deve visitar o Museu D’Orsay ou o Museu de l’Orangerie, em Paris.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Por que ir até a casa do pintor, então? Porque é uma rara chance de ver de perto como trabalhou e no que se inspirou um dos grandes artistas da história da humanidade. Monet comprou a casa em 1883 e passou os 30 anos seguintes reformando os jardins, onde acrescentou árvores, estufas, flores, lagos ornamentais e toques orientais, como bambus e as célebres pontes japonesas. Este pequeno paraíso no quintal serviu como cenário para suas principais obras. E você pode visitar.

As pontes japonesas são marca registrada da obra e dos jardins de Monet

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Jardins de Monet – Quando ir

ATENÇÃO, ATENÇÃO! A Casa e Jardins de Monet não funcionam o ano inteiro! Se conhecê-los é um item fundamental na sua lista de viagem a Paris, precisa programar as férias para entre 23 de março e 1º de novembro. No período mais frio do ano, de 2 de novembro a 22 de março, tudo fica fechado. Quando em funcionamento, a casa abre suas portas todos os dias da semana, das 9h30 até as 18h (entrada permitida apenas até as 17h30).

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!

Recomendamos que você faça a visita no primeiro horário pela manhã e dê preferência aos dias da semana, evitando sábados, domingos ou feriados. Isso porque os jardins ficam cheios de turistas praticamente em qualquer horário, mas a superlotação ocorre mesmo nos dias de folga e a partir das 10h30, quando começam a chegar os ônibus de excursão vindos de Paris. Se possível, evite também a alta temporada de verão, de junho a agosto, para tentar fugir da multidão.

Visite os jardins de Monet no início da manhã para tentar fugir da superlotação

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Outro fator importante para definir quando vistar os jardins de Monet é como você quer vê-los, pois eles têm diferentes aspectos ao longo das estações. Para ver as folhas verdejantes e as flores abertas e coloridas, o período mais indicado é o mês de maio, quando a primavera está no auge. Brotam narcisos, tulipas, rododendros, glicínias, íris, papoulas e lírios. Com o início do verão, em junho, florescem as rosas, nastúrios e ervilhas-de-cheiro.

Na chegada do outono, em setembro, é a vez dos girassóis, dálias e álceas. É neste época do ano também que as cores dos jardins mudam, passando do verdejante e colorido para os tons mais quentes e alaranjados do outono. As folhas e flores começam a cair sobre o lago. Também é lindo, mas de um forma diferente do que você provavelmente espera, pois as fotos famosas de Giverny normalmente retratam a paisagem vibrante da primavera.

A paisagem e as cores dos jardins de Monet mudam no outono

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Jardins de Monet – Preços e ingresso

Para entrar na Casa e Jardins de Monet o custo é de 9,50 euros para adultos, 5,50 euros para estudantes e crianças acima de de 7 anos e zero para crianças menores de 7 anos. Você pode comprar seu ingresso na bilheteria em Giverny, mas não recomendamos que faça isso porque as filas costumam ser muito, muito longas. A melhor maneira de evitar a espera é adquirindo sua entrada com antecedência no site da Fundação Claude Monet.

Há um custo extra de 1,50 euros por ticket para a compra virtual, mas é um daqueles casos que valem a pena. Os ingressos na web não podem ser adquiridos para o mesmo dia da visita, apenas para a data seguinte ou adiante. O processo de compra é em francês, então deixe o Google Tradutor aberto para o caso de precisar de uma ajudinha. Feita a compra, você receberá as entradas por e-mail e pode imprimir ou apresentar no seu celular. O Paris Museum Pass não é aceito.

A bilheteria dos Jardins de Monet fica na casa museu do artista e costuma ter longas filas

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Jardins de Monet – Como chegar

Giverny, a cidade onde está localizada a casa de Monet, fica 75 quilômetros a noroeste de Paris, já na região da Normandia, extremo norte da França. Para chegar até ela saindo da capital é muito fácil. Se você estiver de carro alugado – faça cotação de preços aqui -, é só setar o destino no seu GPS e aproveitar as maravilhosas estradas francesas. A viagem demora mais ou menos uma hora. Como o passeio em Giverny é curto, você pode aproveitar para passear pela região.

Para quem quiser fazer um passeio guiado ou mesmo preferir a companhia de um grande grupo, a melhor opção é o tour da Paris City Vision, uma das maiores empresas de turismo da cidade. Há diversas modalidades de passeio, desde apenas transporte até Giverny até visitas privadas e com almoço incluso. Os ônibus saem da agência, localizada a apenas duas quadras do Louvre e dos Jardins des Tuileries. Os preços partem de 49 euros. Veja mais aqui.

Sugerimos que você pegue o trem das 8h19 para chegar a Giverny pouco antes de os Jardins de Monet abrirem

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Mas a forma mais econômica e simples de chegar à cidade é de trem. É muito fácil e você pode organizar tudo por conta própria. Primeiro, compre a passagem de trem com antecedência, através do site da SNFC, para evitar as filas das bilheterias nas estações ou ter que mexer nas máquinas de tíquetes sem saber como. Seu ticket terá como destino a Estação Vernon-Giverny, que fica na cidade vizinha, a sete quilômetros de distância.

As passagens custam a partir de 9 euros e o preço é o mesmo tanto no site quanto na bilheteria física. Os vagões saem mais ou menos de hora em hora a partir das 6h09, mas se você quer chegar a Giverny pouco antes de a casa abrir, recomendamos que pegue o comboio das 8h19. A viagem direta dura em torno de 45 minutos. Para a volta, recomendamos comprar as passagens para o trem das 12h51, assim você tem tempo de fazer a visita com calma e almoçar na fofa Giverny.

Ir de Paris até os jardins de Monet de trem é muito fácil e barato

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

O ticket será enviado para o seu e-mail, é só imprimir e levar com você para a estação. Nessa modalidade de passagem, você não precisa fazer a validação nas máquinas que ficam do lado de fora dos trens, basta subir na composição. Mas tenha ela sempre à mão para apresentar aos fiscais quando eles passarem. Se comprar os tickets direto na estação, sim, precisa validar antes de entrar no vagão. Apresentar uma passagem não validada gera multa.

Todos os trens para Vernon saem da Gare Saint-Lazare, que pode ser facilmente acessada através das linhas 3, 12, 13 e 14 do metrô de Paris. Uma vez lá, procure nos painéis eletrônicos de qual plataforma partirá o seu vagão e se dirija para lá. É preciso olhar os comboios para Rouen, que é o destino final da linha. Na dúvida, confira pelo número do trem. Uma vez em Vernon, é só seguir as placas que indicam os ônibus para Giverny.

Ônibus percorrem o trajeto entre a estação de Vernon e os jardins de Monet, em Giverny

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

É muito bem sinalizado, não tem como se perder. Os ônibus que percorrem os sete quilômetros finais ficam logo do lado de fora da estação, poucos metros adiante pela calçada da direita. Os tickets custam 10 euros para ida e volta e devem ser comprados na hora com o motorista. Os horários de saída são combinados com o de chegada dos trens, então não precisa de preocupar com isso. O trajeto até a cidade vizinha leva menos de 10 minutos.

O ônibus deixará você em um estacionamento a apenas cinco minutos de caminhada da entrada para os jardins de Monet. Mas atenção aqui: a maioria dos turistas vai seguir para a bilheteria, que fica na casa do pintor, no lado oposto aos jardins. Se você seguiu nossa dica e comprou seu ingresso antes pela internet, não é preciso ir até lá. Você pode entrar pela porta lateral, que não tem fila e dá direto nos jardins. Fizemos esse mapa aqui embaixo para mostrar exatamente onde é.


Jardins de Monet – Le Jardin D’Eau

Depois de mostrar seu ticket na entrada do jardim, é só virar para a sua direita e você verá uma passagem subterrânea. Ela passa por baixo da rodovia e dá no Jardin D’Eau, ou Jardim da Água, a parte mais bonita e famosa dos jardins de Monet. Seguindo todas as dicas que demos até aqui, você tem boas chances de chegar nele pelo menos 30 minutos antes das multidões de turistas vindas de Paris a bordo dos ônibus de excursão da City Vision e outras.

Esta parte do jardim na verdade é bem pequena – aliás, o lugar todo é – sendo composta do famoso lago das ninfeias, das duas famosas pontes japonesas pintadas de verdes, canteiros de flores e árvores. Há um estreito caminho ao redor do lago, que tende a ficar congestionando a partir das 10h ou 10h30. Aproveite a paz antes disso para circular pelo lago e tirar fotos das pontes antes de seja impossível fazer isso sem um monte de chineses em cima.

Entrar nos jardins de Monet logo na abertura, às 9h30, lhe dá chance de ver o lugar antes da superlotação

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Jardins de Monet – Le Clos Normand

Quando terminar de admirar o Jardin D’Eau – ou cansar de ser empurrado e espremido pela multidão de turistas – volte pela passagem subterrânea para conhecer a outra parte do jardim e também a casa de Monet. Esse conjunto é chamado de Le Clos Normand. Deste lado não há espelhos d’água, ninfeias ou pontes, por isso é muito mais fácil de circular e visitar, mesmo depois das 10h. No Clos Normand a grande atração são os canteiros de flores multicoloridas.

⇒ Reserve já seu hotel em Giverny e garanta os melhores preços! ⇐

O conjunto é um espetáculo para os olhos, principalmente na primavera. Do outro lado, você vai avistar a casa rosada que serviu como lar e ateliê do grande mestre do impressionismo. Deixe para visitá-la no fim, assim você já pode pegar a saída para a rua direto. A decoração foi toda mantida como no tempo em que Monet a habitava e é possível visitar o quarto onde ele dormia e o salão onde pintava. Como dissemos antes, todos os quadros exibidos na casa são réplicas.

Elas foram feitas para deixar o local o mais parecido possível com o original. Destaque ainda para a sala de jantar toda em amarelo e a cozinha, toda em azul. A visita termina aqui, basta procurar pelas placas de saída. É claro que, antes da porta da rua, você vai passar por uma imensa loja de souvenires. O passeio todo pela casa e jardins de Monet dura entre 1 hora e 2 horas, dependendo da quantidade de fotos que você gosta de tirar.

A decoração foi toda mantida como no tempo em que Monet vivia no Clos Normand

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve em Giverny em setembro de 2018 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

2 comentários

Fernando A S Ribeiro 3 de abril de 2019 - 16:19

Parabéns pelo trabalho. Simples, direto e objetivo.

Responder
Escolha Viajar 4 de abril de 2019 - 20:56

Olá, Fernando!
Muito obrigada por compartilhar sua opinião conosco.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder