Página inicial OceaniaNova Zelândia Roteiro de viagem pela Nova Zelândia: 23 dias de Auckland a Kaikoura

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia: 23 dias de Auckland a Kaikoura

por Escolha Viajar
Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Mapa

Montar um roteiro de viagem pela Nova Zelândia costuma causar pânico e sudorese nos viajantes. Afinal de contas, não é todo dia que se vai até este pequeno país ao sul da Oceania, separado do Brasil por uma jornada de, no mínimo 18 horas e meia dentro de um avião, sem contar as conexões. Você não vai querer deixar nenhuma grande atração para trás, porque será difícil voltar. E quando se trata de número de coisas para ver e fazer, a Nova Zelândia deixa de ser um país pequenininho para se transformar em um gigante!

⇒ ONDE SE HOSPEDAR NA NOVA ZELÂNDIA e pagar barato
⇒ GUIA DE VIAGEM NOVA ZELÂNDIA: Tudo que você precisa saber!

Passado o susto inicial, vamos falar da parte boa de viajar pela Nova Zelândia: é muito, muito fácil. Não importa qual seja o roteiro de viagem que você escolher, sempre há um ônibus que te leve até lá. Todas as cidades turísticas, mesmo as mais pequenas, tem centro de informações que podem te ajudar a fazer quase tudo: reservar hospedagem, comprar passagens, dar mapas, orientações, dicas, indicar tours. A rede de hostels, com camas a precinhos camaradas e excelente qualidade, é extensa. Dificilmente você chegará a algum lugar e ficará sem ter onde dormir.

Quando se fala em traçar um roteiro de viagem, a principal preocupação é o transporte, pois é fundamental estabelecer como e se há conexão entre os pontos do mapa que você escolheu.  Voar não é a melhor opção na Nova Zelândia, já que os preços de passagens aéreas por lá – e na Oceania em geral – não são exatamente uma ‘Brastemp’, mesmo em companhias que se consideram ‘low costs’. O modo de viagem mais popular entre os locais é alugar uma campervan ou trailer e se jogar na estrada. Há campings e locais devidamente equipados para passar a noite em todo canto do país.

Mas se você quer viajar ao custo mais baixo possível, a melhor maneira é comprar um dos passes de ônibus turísticos para percorrer o país. Pelo menos quatro grandes empresas oferecem combos por dias ou por quantidade de viagens que podem levar você de norte a sul. Não são ônibus de linhas, mas turísticos, sendo que alguns oferecem o simples transporte – como o NakedBus – e outros são verdadeiros tours, com direito a motorista dando explicações e parando pelo caminho para tirar fotos – como o InterCity. Em ambos os casos, os serviços são pontuais e muito satisfatórios, variando apenas o preço dos passes de cada empresa.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Depois de escolhido seu meio de transporte, é hora de saber para onde ir. Confira as dicas abaixo para montar um roteiro de viagem pela Nova Zelândia 23 dias, desde Auckland – na ilha norte -, até Kaikoura, na ilha sul:

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 1: Auckland

Auckland é maior cidade e porta de entrada da maioria dos viajantes na Nova Zelândia. Definitivamente, uma cidade grande tem poucas atrações turísticas se comparada à beleza natural do país, mas vale a pena reservar dois dias do seu roteiro para passear pelas ruas limpas e muito bem organizadas de Auckland. Comece seu giro circulando pela agitada Queen Street, a rua principal. Depois, suba até o alto dos 328 metros da Skytower.

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!
⇒ Reserve já seu hotel em Auckland e garanta os melhores preços! ⇐

Siga em direção ao mar até chegar à Quay Street, para uma visão privilegiada da baía de Waitemata e da Ponte de Auckland. Encerre o dia na  minúscula Vulcan Lane, uma travessa da Queen Street apenas para pedestres. Ali se localiza uma sequência de três pubs famosos: The Occidental, Vulture’s Lane e o Queens Ferry Hotel. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Auckland do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Pubs da Rua Vulcan Lane, em Auckland

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 2: Auckland

O segundo dia em Auckland será dedicado a ter duas vistas panorâmicas e opostas da cidade. A primeira é a partir do Mont Eden, um vulcão extinto que que fica a cerca de uma hora de caminhada do centro. Após uma subida suave de 300 metros, pode-se ver a antiga cratera e descortinar vistas deslumbrantes da cidade abaixo e da baía ao fundo. A segunda é a partir do mar.

Pegue o ferry que vai até o balneário de Devonport, uma charmosa cidadezinha cheia de cafés, casas de verão e galerias de arte. Lá também fica o Mont Victoria, outro ex-vulcão de onde se pode ter uma bela vista de Auckland. Encerre o dia no pub mais famoso da cidade – o Brothers Beer -, que oferece mais de 200 tipos de cerveja em garrafa, além das torneiras.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Auckland vista do Mont Eden

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 3: Auckland/Hahei (Cathedral Cove)

Reserve o terceiro dia na Nova Zelândia para se deslocar de Auckland até a Península de Coromandel, famosa por seus balneários. O destino é a minúscula cidade de Hahei, cerca de 90 km a leste de Auckland. Ela é o ponto de partida para conhecer Cathedral Cove, a praia mais bonita da Nova Zelândia. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Hahei do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Hahei

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 4: Hahei (Cathedral Cove)

A Nova Zelândia não é um destino famoso exatamente por suas praias, mas você ficaria surpreso com a beleza que elas têm a oferecer. Depois de uma noite bem dormida em Hahei, é hora de acordar cedo para aproveitar o sol na mais bela delas: Cathedral Cove. Ela está localizada dentro de uma reserva natural e só é acessível por trilha de cerca de uma hora de caminhada, que começa no fim da praia de Hahei (lado esquerdo).

⇒ Reserve já seu hotel em Hahei e garanta os melhores preços! ⇐

A ‘catedral’ do nome é um arco gigantesco na pedra, como o teto alto como de uma igreja, e que forma um túnel ligando duas faixas de areia branca e fofa. Do outro lado, um enorme bloco de rocha parece flutuar sobre o oceano hora muito azul, hora muito verde. Um lugar para passar o dia todo admirando, embora não haja nenhum serviço por perto, como banheiros. Confira aqui tudo o que você precisa saber sobre como visitar Cathedral Cove.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Cathedral Cove

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 5: Hahei (Cathedral Cove):

Já que você foi até Hahei, o melhor é reservar um segundo dia para relaxar e curtir a praia local (na foto), que também é bem bonita e agradável. Compre petisco no minimercado, estenda sua canga na areia e deixe o tempo passar. Quem estiver de carro ou campervan tem como alternativa conhecer a famosa Hot Water Beach, que fica a cerca de uma hora de distância. A praia se tornou uma atração turística por conta de suas águas muito quentes. A grande diversão é cavar um buraco na areia para relaxar na sua própria ‘banheira’.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Hahei

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 6: Hahei (Cathedral Cove)/Waitomo

Reserve o seu sexto dia na Nova Zelândia para se deslocar de Hahei até Waitomo, o que pode não ser tão fácil se você não estiver dirigindo seu próprio veículo. Como o balneário é minúsculo, há poucos horários de ônibus por dia, sendo impossível ir diretamente para a cidade das famosas cavernas de vermes brilhantes, que fica 195 quilômetros ao sul de Auckland. O melhor é voltar até Auckland e, de lá, pegar um dos frequentes coletivos que saem para Waitomo. Se não for possível fazer os dois trajetos no mesmo dia, dormir mais uma noite em Auckland e sair cedinho na manhã seguinte é uma boa opção.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Caverna de Waitomo

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 7: Waitomo/Rotorua

Você não precisa de mais do que um dia para conhecer as cavernas de Waitomo, lar dos surreais vermes fluorescentes da Nova Zelândia, mesmo que tenha de chegar pela manhã no primeiro ônibus vindo de Auckland. Você vai desembarcar no Centro de Visitantes e, ali mesmo, pode escolher e reservar quais cavernas quer visitar. As mais famosas – e recomendadas – são a Waitomo Glowworm Caves e a Ruakuri Cave (os ingressos ficam mais baratos se você comprar o combo para as duas).

Ruakuri é popular por suas estalactites e estalagmites, mas é na Glowworm que o espetáculo acontece. Nela, os vermes ocupam paredes inteiras, formando um verdadeiro céu ‘estrelado’ de pontinhos azuis. No fim do dia, pegue a estrada ou embarque em um ônibus em direção a Rotorua, a 140 quilômetros de distância. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Rotorua do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Caverna de Waitomo

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 8: Rotorua

A cidade de Rotorua é mundialmente famosa por estar em uma região de atividade geotérmica constante. Isso significa que você pode ver por lá coias bastante incomuns, como gêiseres, piscinas de lama, lagos de água fervente e nuvens de enxofre. Aproveite o primeiro dia para conhecer o parque geotérmico Te Puia, que fica a uma distância que pode ser percorrida a pé desde o centro da cidade. Ele é o lar do famoso gêiser Pohutu, que entra em erupção constantemente e joga água e vapor a até 30 metros de altura! Além da paisagem lunar, o parque tem ainda atrações culturais, como refeições e apresentações de dança típicas de cultura maori.

⇒ Reserve já seu hotel em Rotorua e garanta os melhores preços! ⇐
Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Parque Te Puia, em Rotorua

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 9: Rotorua

No segundo dia em Rotorua, você pode aproveitar para fazer passeios a baixo ou alto custo, dependendo do seu orçamento de viagem. Para quem tem uma verba sobrando, há tours para ver vulcões, rios de águas termais e outros parques geotérmicos. Para quem não tem, recomendamos começar com uma caminhada ao redor do lago que leva o nome da cidade, que também sofre os efeitos da atividade geotérmica e exibe cores bizarras.

Depois, você pode ir até o parque Kuirau, que tem piscinas de lama, lagos ferventes e águas termais onde relaxar as pernas e pés (na foto, entrada franca). Caminhe pelas ruas do centro e pare na sorveteria Lady Jane’s, a mais famosa da cidade. Encerre seu dia nas piscinas públicas, que são aquecidas por águas termais e estão abrigadas em um belo prédio do século XIX.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Parque Kuirau, em Rotorua

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 10: Rotorua/Taupo

Pela manhã, pegue um ônibus de Rotorua até Taupo, que fica a apenas 90 quilômetros de distância em direção ao sul. A cidade é famosa pelo lago do mesmo nome, pelas Huka Falls e também por servir como ponto de partida para os trekkings pelo Parque Nacional Tongariro. Uma vez instalado, você pode ir até o Centro de Visitante e pegar um dos cruzeiros pela Lago Taupo, que saem em pelo menos quatro horários diários por diversas empresas.

⇒ Reserve já seu hotel em Taupo e garanta os melhores preços! ⇐

O passeio dura duas horas e tem como ponto alto os desenhos maoris esculpidos nas pedras, que só podem ser vistos da água. Depois, dirija ou encare os 90 minutos de caminhada até as Huka Falls, uma impressionante cachoeira de águas muito, muito azuis. E acabe o dia aqui, pois você será acordado muito cedo para ir ao Tongariro. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Taupo do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Lago Taupo, em Taupo

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 11: Taupo

Seu décimo primeiro dia na Nova Zelândia será para acordar muito cedo e pegar uma das vans de transporte que sobem a montanha até o Parque Nacional Tongariro. Normalmente, os passeios não são guiados – apenas te levam até o início da trilha e te pegam no fim -, mas você pode procurar por uma empresa com guia se não se sentir seguro.

Isso porque a caminhada pelo Tongariro é uma jornada de nada menos do que 12 quilômetros em meio a altitude de vulcões extintos e sujeita a temperaturas baixas e ventos fortes. Portanto, só encare a jornada se tiver certeza de que suas condições físicas estão em ordem. Se não tiver equipamento para trekking, as empresas de transporte alugam para você. E, com certeza, essa será a única e exaustiva atividade do seu dia em Taupo.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Parque Nacional Tongariro, em Taupo

Foto: Jeffrey Pang/Wikimedia Commons (CC BY 2.0)


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 12: Taupo/Kaiteriteri (Abel Tasman)

Se não estiver de veículo alugado, o décimo segundo será um longo dia para você. Isso porque vai se deslocar desde Taupo, na ilha norte, até Kaiteriteri, um minúsculo balneário já na ilha sul da Nova Zelândia. Para fazer o trajeto em transporte público, você deve pegar o ônibus que sai de Taupo à meia-noite e vai até Wellington, de onde partem as barcas para a ilha sul. Você deve chegar a tempo de pegar a que sai às 8h ou 8h30.

O trajeto de barca demora outras três horas e meia, mas vale a pena ser feito assim, e não de avião, porque no seu caminho está Marlborough Sounds, uma sequência incrível de vales sobre o mar. Você vai desembarcar em Picton, de onde pegará um ônibus até Motueka, cidade que pode servir como base para conhecer o parque Abel Tasman, mas que fica um pouco distante do mesmo. O ideal, é tomar um táxi ou ônibus urbano até Kaiteritei, a praia que está localizada realmente ao lado do parque. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Kaiteriteri do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Marlborough Sounds

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 13: Kaiteriteri (Abel Tasman)

É na ilha sul da Nova Zelândia que a beleza natural do país realmente se agiganta. O Parque Nacional Abel Tasman é uma sequência de belas praias de águas muito verdes abrigadas por pequenas baías, totalmente preservadas da ação humana (apenas acampamento é permitido). Para o primeiro dia, recomenda-se sair de Kaiteriteri para fazer o tour completo de barco pelo parque, assim você terá uma boa ideia do quanto ele é lindo.

⇒ Reserve já seu hotel em Kaiteriteri e garanta os melhores preços! ⇐

Na volta, você pode optar por ser deixado diretamente em Kaiteriteri ou parar em alguma das baías do parque, retornando em dos barcos do fim da tarde. Para quem gosta de caminhadas, o trajeto entre Bark Bay e Anchorage Bay é a campeã na preferência dos turistas.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Parque Nacional Abel Tasman

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 14: Kaiteriteri (Abel Tasman)

Depois de fazer tantas caminhadas, reserve seu décimo terceiro dia na Nova Zelândia para relaxar em uma das belas praias do Parque Nacional Abel Tasman. Basta pegar o ‘taxi boat’ em Kaiteriteri e escolher o seu destino. Recomendamos Anchorage Bay ou Te Pukatea Bay (na foto), que fica logo ao lado. Leve tudo o que precisar com você, pois não há nenhum tipo de comércio no parque, apenas sanitários.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Te Pukatea Bay, no Parque Nacional Abel Tasman

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 15: Kaiteriteri (Abel Tasman)/Franz Josef

Mais um dia para se deslocar pela Nova Zelândia, o que não quer dizer que você não verá atrações turísticas. Saindo de Kaiteriteri, você volta para Motueka de táxi ou ônibus urbano e, de lá, segue com coletivo de linha para a cidade de Franz Josef. No caminho entre as duas está localizada uma formação rochosa natural chamada de Pancake Rocks, já que as pedras lembram uma pilha de panquecas sobrepostas.

Se você estiver com veículo alugado é barbada conhecê-las, mas, se estiver de ônibus, pergunte se a empresa pela qual você vai viajar para no local. Como há uma cafeteria ao lado, muitos ônibus fazem lá sua pausa para o café da manhã e dão aos turistas meia hora para uma voltinha rápida e fotos. No fim da tarde, você terá chegado ao seu destino. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Franz Josef do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Pancake Rocks

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 16: Franz Josef

Franz Josef é a cidade lar da geleira do mesmo nome, considerada uma das mais acessíveis do mundo. Ela está localizada a apenas cinco minutos de helicóptero da cidade ou 30 minutos de caminhada. A melhor opção para ver Franz Josef de perto e, literalmente, pisar no gelo, é fazendo o tour de helicóptero seguido de caminhada guiada de duas horas pela montanha. Custa caro, mas vale o preço.

⇒ Reserve já seu hotel em Franz josef e garanta os melhores preços! ⇐

A segunda opção é admirar a geleira apenas de longe, pela trilha que sai da cidade e vai até um mirante. Não é mais permitido se aproximar de Franz Josef a pé porque ela está derretendo muito rápido, o que causa desabamentos e abre fendas gigantescas no gelo. Seja qual for sua opção de passeio, na volta vá para as piscinas térmicas para relaxar. Quem faz o tour de helicóptero tem entrada franca.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Geleira Franz Josef

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 17: Franz Josef/Queenstown

Mais um dia de deslocamento pela Nova Zelândia e belezas pelo caminho. Desta vez, na estrada entre Franz Josef e Queenstown. Além de ver muitos lagos e riachos de águas azuis que descem pelas montanhas, você vai passar pela bela Thunder Creek Fall, uma cachoeira onde os ônibus de linha turísticos costumam fazer uma rápida parada para fotos.

Mas a grande atração da estrada chega quase no fim do trajeto, pouco antes da entrada em Queenstown. Trata-se do Lago Hawea, adornado pelo maciço de montanhas conhecido como The Remarkables. Novamente, a parada é rápida para algumas fotos, mas o suficiente para gravar o cenário na memória. No fim da tarde, você terá chegado ao seu destino final. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Queenstown do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - The Remarkables

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 18: Queenstown

Queenstown é uma cidade jovem e animada, cheia de bares e vida noturna às margens do Lago Wakatipu. Conhecida como berço e paraíso dos esportes radicais, não faltam por lá opções do que fazer para quem gosta de adrenalina, como bungee jump, parasailing e jet boat. Para quem não gosta, o dia pode começar com uma caminhada até o topo da Queensown Hill, de onde se descortina uma bela vista panorâmica da cidade.

⇒ Reserve já seu hotel em Queenstown e garanta os melhores preços! ⇐

Para ver tudo de cima sem grandes gastos de energia, a opção é o teleférico ‘Skyline ‘. Depois, um passeio pelo lago e Jardim Botânico da cidade. No fim da tarde, pegue um sorvete da Patagonia, uma das melhores sorveterias em que já colocamos os pés no mundo, e vá assistir o pôr do sol na praia do Wakatipu.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Lago Wakatipu, em Queenstown

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 19: Queenstown (Milford Sounds)

Queenstown serve como base para fazer o tour até o parque Fiordland, onde está localizado o famoso fiorde de Milford Sound. Há diversas opções de passeios, desde o simples transporte até o píer para o cruzeiro de barco e volta, até tours de um dia inteiro parando em várias atrações do parque.

Este é o mais recomendado, assim você poderá ver montanhas, cachoeiras, caminhar na floresta e admirar a paisagem refletida nos ‘Mirror Lakes’, ou Lagos Espelho. A última parte é o passeio de barco de uma hora pelo fiorde, composto por paredões de rocha de altura impressionante e muitas cachoeiras. No fim do dia, o ônibus leva você diretamente de volta a Queenstown.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Milford Sounds

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 20: Queenstown/Christchurch

Último dia de deslocamento longo pela Nova Zelândia, desta vez para deixar Queenstown, no centro da ilha sul, para ir até Christchurch, a maior cidade desta parte do país e localizada na costa leste. O trajeto de oito horas de ônibus é quebrado pela parada estratégica para almoço no belíssimo Lago Tekapo. Compre um sanduíche para comer depois e gaste todo seu tempo passeando e admirando a belíssima paisagem ao redor da água, cercada de flores e montanhas. Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Christchurch do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Lago Tekapo

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 21: Christchurch

Embora seja uma cidade grande, não há muitas atrações turísticas em Christchurch. Aproveite para bater perna pela cidade, comprar souvenires para levar para o Brasil e descansar, uma boa pedida depois de tantos dias passados a bordo de ônibus para lá e para cá. Se ainda tiver energia sobrando, você pode pegar a gôndola, uma espécie de bondinho aéreo, para ter uma vista panorâmica da cidade, visitar o International Antarctic Centre ou fazer um piquenique no calmo e agradável Jardim Botânico. O canteiro de rosas é de uma beleza especial.

⇒ Reserve já seu hotel em Christchurch e garanta os melhores preços! ⇐
Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Jardim Botânico de Christchurch

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 22: Christchurch/Kaikoura

Acorde cedo e pegue o primeiro ônibus que puder em direção a Kaikoura, uma cidade litorânea localizada 180 quilômetros ao norte de Christchurch. Kaikoura é, nada mais, nada menos, do que o melhor lugar do mundo para avistar baleias. Isso porque a cidade fica às margens de um gigantesco cânion submarino, onde as águas se mantém mornas e cheia de comida para as cachalotes em qualquer época do ano.

⇒ Reserve já seu hotel em Kaikoura e garanta os melhores preços! ⇐

Os passeios de barco de duas horas são operados pela empresa Whale Watch Kaikoura e saem em diversos horários ao longo do dia. Reserve o seu com antecedência pela internet se estiver viajando na alta temporada de férias (dezembro a março). E prepare o coração para ver esses animais gigantescos de pertinho! Confira aqui a sugestão de hospedagem econômica em Kaikoura do Escolha Viajar.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Kaikoura

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro de viagem pela Nova Zelândia – Dia 23: Kaikoura/Christchurch

Além de baleias, Kaikoura também é um ótimo lugar para observação de aves marinhas e focas. No seu segundo dia na cidade, você pode reservar um tour para ver as primeiras ou caminhar até a Ohau Point Seal Colony. Esta península é uma reserva natural onde centenas de focas costumam se esticar ao sol e fazer pose para os turistas. A entrada é franca, mas a caminhada desde o centro da cidade é um pouco longa, de cerca de 45 minutos.

Na volta, aproveite para ‘curtir’ um pouco a curiosa praia de pedras negras e águas muito azuis de Kaikoura. Não dá exatamente para atirar uma canga e relaxar, mas as fotos ficam muito bonitas! No fim do dia, hora de pegar um ônibus de volta para Christchurch e, de lá, encerrar sua viagem pela Nova Zelândia embarcando para o Brasil.

Roteiro de viagem pela Nova Zelândia - Kaikoura

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve na Nova Zelândia em dezembro de 2014 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

12 comentários

Gustavo 30 de agosto de 2018 - 13:43

Olá. Adorei seu post. Muito esclarecedor! Uma dúvida: sabes dizer com relação a melhor época para viajar para Nova Zelândia? Estou querendo ir na época do carnaval do ano que vem (março/2019) e pretendo passar uns 20 dias ou um pouquinho mais.

Sabes dizer se é uma época boa para ir (vi que no verão escurece mais tarde não é?)? Obrigado desde já.

Responder
Escolha Viajar 1 de setembro de 2018 - 10:44

Olá, Gustavo!
Você pode encontrar um panorama mais geral sobre o clima na Nova Zelândia e outras informações aqui: https://www.escolhaviajar.com/nova-zelandia/. Mais especificamente sobre o mês de março, as temperaturas médias mínimas e máximas vão de 14ºC a 22ºC em Auckland, que é a maior cidade da Ilha Norte; e de 9ºC a 20ºC em Christchurch, que é a maior cidade da Ilha Sul. A quantidade de dias de chuva no mês é de 8 e 6 em média, respectivamente. Sim, o sol se põe mais tarde no verão, entre 19h e 20h.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Vanessa 31 de janeiro de 2018 - 22:28

Muito boas as dicas! Adorei! Me ajudou a planejar minha viagem 🙂

Só fiquei com uma dúvida…o que seriam esses coletivos para pegar de Auckland para Waitomo, e como encontro eles?

Responder
Escolha Viajar 3 de fevereiro de 2018 - 12:37

Olá, Vanessa!
São ônibus de empresas de turismo que percorrem a Nova Zelândia. Nós viajamos com a NakedBus, mas há várias outras, como a InterCity e a Kiwi Experience. É só escolher a melhor para você e comprar a passagem. Os coletivos costumam sair do centro de Auckland, mas cada empresa tem um ponto de parada diferente, por isso é preciso consultar a passagem antes de embarcar.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Vanessa 6 de fevereiro de 2018 - 15:39

Ah, entendi!Muito obrigada! Quando vocês viajaram, compraram as passagens com antecedência, ou deixaram pra comprar no dia/alguns dias antes?

Responder
Escolha Viajar 10 de fevereiro de 2018 - 19:56

Olá, Vanessa!
Compramos um pacote de 15 viagens da NakedBus com seis meses de antecedência.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Elis 21 de agosto de 2017 - 13:34

Muito legal o post! qual mês vocês viajaram? estou com viagem marada para o mês de outubro.. tomara que consiga dias de sol lindo assim!

Responder
Escolha Viajar 27 de agosto de 2017 - 06:44

Olá, Elis!
Estivemos na Noza Zelândia em dezembro de 2014. Moradores nos disseram que o tempo só firma por lá depois do Natal 🙁
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Donini 1 de agosto de 2017 - 20:34

Achei muito interessante a forma de descrever todos os dias e destaques de cada local, parabéns! poderia informar o custo medio de regiões e custo total de um roteiro como esse?

Responder
Escolha Viajar 6 de agosto de 2017 - 00:22

Olá, Donini!
Os custos da viagem estão todos aqui: https://www.escolhaviajar.com/quanto-custa-viajar-para-nova-zelandia/.
Uma abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Tatiana 4 de junho de 2017 - 14:55

Ameeeeeeeeeeeeei o seu roteiro, bem explicativo e foi excelente como base pra montar o meu, que vou ficar passaeando por lá por pouco mais de 2 meses!

Responder
Roana 24 de outubro de 2016 - 13:24

Como é difícil montar um roteiro. Mas esse foi o roteiro mais explicativo e legal que achei. Obrigada por compartilhar. 🙂

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais