Página inicial AméricaBrasilCeará Roteiro no Ceará para 1, 2, 3, 4 ou 5 dias de viagem [com mapas]

Roteiro no Ceará para 1, 2, 3, 4 ou 5 dias de viagem [com mapas]

por Escolha Viajar
Mulher caminha próxima às falésias da Praia da Peroba, em Icapuí (Ceará)

Vai viajar e não sabe como organizar seu roteiro no Ceará? Não se preocupe, essa é uma dúvida mais do que comum! Há tantas praias lindas para visitar nesse estado que a gente fica mesmo com a pulga atrás da orelha na hora de escolher para onde ir. Isso sem falar nas atrações que ficam fora do litoral! Neste texto, vamos sugerir para você um roteiro ‘alternativo’, pois não inclui nem a capital, Fortaleza, nem as famosas Jericoacoara ou Cumbuco.

⇒ QUANTO CUSTA VIAJAR PARA O CEARÁ? Prepare seu bolso ⇐

Este roteiro no Ceará é focado na Rota das Falésias, que abrange quase todo o litoral leste do estado e uma parte do Rio Grande do Norte. A Rota das Falésias tem mais de 200 quilômetros com o mar muito azul de um lado e, do outro, paredões de areia branca, amarela e vermelha formados pelas ondas ao longo dos anos. É sem dúvidas uma das paisagens mais deslumbrantes do Brasil e vale muito a pena visitar, mesmo que seja por apenas 1 dia.

Listamos as atrações seguindo os critérios de importância e distância. Então, no ‘Dia 1’ estão os pontos turísticos mais legais e que ficam mais próximos de Fortaleza; no ‘Dia 2’, os um pouco menos legais ou que ficam mais longe e etc. Mas fique à vontade para pular dias e misturar atrações, pois o importante é fazer o que você gosta! O roteiro no Ceará é todo baseado em transporte de carro – cote seu aluguel aqui -, mas damos também as dicas de como ir sem ele.

⇒ O QUE FAZER NO CEARÁ: 10 atrações que são imperdíveis ⇐

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Mas, devemos dizer que, com um veículo próprio, fica mais fácil. Além disso, vamos dar uma dica bônus para quem puder viajar por mais dois dias na região: a Praia de Galinhos, no Rio Grande do Norte, um dos lugares mais lindos do Brasil! Tudo bem explicadinho, com dicas de onde comer, onde se hospedar, quanto custa cada passeio e mapas! Confira detalhadamente a seguir nossa sugestão de roteiro no Ceará para 1, 2, 3, 4 ou 5 dias de viagem + bônus!

Dia 1 – Praia de Morro Branco
Dia 2 – Morro Branco/Canoa Quebrada
Dia 3 – Praia de Canoa Quebrada
Dia 4 – Canoa Quebrada/Icapuí
Dia 5 – Praia de Ponta Grossa (Icapuí)
Dia 6 (bônus!) – Icapuí/Galinhos (RN)
Dia 7 (bônus!) – Galinhos (RN)

Letreiro é símbolo da Praia de Morro Branco, em Beberibe (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Roteiro no Ceará – Dia 1: Morro Branco

No seu primeiro – ou único – dia de roteiro no Ceará, você vai conhecer a Praia de Morro Branco. Ela pertence ao município de Beberibe e fica a 90 quilômetros de Fortaleza. De carro, é só setar o destino no GPS, a estrada é boa e o acesso, fácil. De ônibus, a Viação São Benedito conecta a capital a Beberibe em apenas 1h30. A passagem custa R$ 13,95 – acesse o site da empresa aqui. Da rodoviária até Morro Branco será necessário pedir um transfer, táxi ou Uber.

⇒ Reserve já seu hotel em Morro Branco e garanta os melhores preços! ⇐

Quem vai fazer apenas um bate-volta de Fortaleza pode ainda contratar um tour. O passeio dura um dia inteiro e inclui, além de Morro Branco, a Praia das Fontes e a Praia de Uruaú. O custo é de US$ 16,50 e você pode reservar o seu aqui. Para quem vai fazer a visita por conta própria, o primeiro ponto turístico é o o Monumento Natural das Falésias. A área de conservação de 30 hectares fica bem no coração da praia, sendo de fácil acesso.

No caminho, pausa para foto com o letreiro ‘Eu amo Morro Branco’. O monumento é aberto ao público a qualquer hora do dia ou da noite, sem cobrança de ingresso. São paredões de arenito cor de laranja queimado que fazem um contraste incrível com o mar azul logo em frente. A erosão causada pelo vento e pela água escava as encostas, formando paisagens quase lunares e pequenos cânions que descem até a praia.

Mulher posa para foto no Monumento Natural das Falésias, em Morro Branco (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

No fim do monumento há um caminho aberto entre as falésias que desce até a areia. Aproveite para se refrescar com uma cervejinha gelada na barraquinha que fica logo na saída do chamado ‘labirinto’ das falésias. Haverá ali também muitos buggies a postos, prontos para te levar por um passeio incrível pelas atrações da região. Somos bastante reticentes com os passeios de buggy no Nordeste. Achamos especialmente caros e não muito produtivos.

Mas o da Praia de Morro Branco é dos que vale a pena fazer. A primeira atração do trajeto é o paredão de arenito que se estende por cerca de 2 quilômetros entre Morro Branco e a Praia das Fontes. As cores variam do amarelo queimado ao branco e são permeadas por fontes de água doce, que formam pequenas cachoeiras em meio às falésias! A segunda atração do trajeto é a popular Fonte da Juventude, já na Praia das Fontes.

Falésias da Praia de Morro Branco, em Beberibe (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

São três bicas de onde jorra um bom volume de água. Uma é a da Juventude, claro, a outra do Careca – hehe – e a terceira, das Virgens. A terceira atração do passeio é a Gruta Da Mãe d’Água, uma caverna em meio às falésias que serviu de cenário para a novela Tropicaliente. A quarta atração foi, para nós, o ponto alto do tour: a Piscina dos Portugueses. É uma lagoa artificial criada por um dique que represa a água no meio das dunas.

O local é cercado de palmeiras que fazem sombra, tem redes na água e uma barraquinha que vende cerveja gelada e churrasquinho super barato. Tudo emoldurado pela areia branquinha. Não parece com o paraíso? Mas o passeio continua! A última atração são exatamente as dunas, onde o buggy faz as tradicionais descidas aceleradas cheias de emoção. O tour dura 2 horas e custa R$ 200. A essa altura, você deve estar faminto!

Rede dentro da lagoa Piscina dos Portugueses, na Praia das Fontes (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Peça para o bugueiro te deixar na área de barracas de praia de Morro Branco para almoçar e curtir a tarde. Pessoalmente, gostamos bastante da Barraca do Francisco, que fica um pouco mais afastada e é menos lotada. Combine com o bugueiro para ele voltar no fim da tarde e levar você para ver o pôr do sol nas dunas – o nosso não cobrou extra, mas pode ser que haja um custo a mais. Não dá para ver o mar, mas a vista sobre lagos e aquele sem fim de areia é linda!

Para quem vai voltar a Fortaleza, o dia termina aqui. Para quem vai seguir com o roteiro no Ceará, recomendamos uma noitada no Bebericos Gastrobar, que fica bem pertinho do acesso à praia – está marcado no mapa. O local é descontraído, tem bons preços, cerveja gelada e petiscos típicos deliciosos, como a carne de sol com macaxeira. Por fim, recomendamos que você se hospede na maravilhosa Pousada Familiar, com diárias a partir de R$ 180 (reservas aqui).


Roteiro no Ceará – Dia 2: Morro Branco/Canoa Quebrada

No segundo dia em Morro Branco, você vai conhecer um cantinho onde pouca gente vai: a Barra Nova. Trata-se de uma praia formada no encontro das águas salgadas do mar com as águas doces da foz do Rio Choró. Oficialmente, a Barra Nova fica do outro lado do rio, no município de Cascavel. Mas é do lado de Morro Branco que ela é mais deserta e bonita. Quando a maré baixa, forma piscinas naturais de água morna, rasa, cristalina e muito azul.

⇒ MORRO BRANCO: O que fazer em 2 dias, onde ficar e comer ⇐

Tudo emoldurado pelas dunas branquinhas e pelos geradores do Parque Eólico Rio Choró. Balsas fazem a ligação entre os dois lados da foz, podendo levar carros inclusive. A Barra Nova fica para o lado esquerdo da praia de Morro Branco – sentido Fortaleza -, a 7,5 quilômetros do Monumento das Falésias. Barracas abrem nos finais de semana e alta temporada de férias. Para chegar até a Barra Nova, é só dirigir pela rua que fica junto à praia até ela acabar.

Mulher toma banho na praia da Barra Nova, em Morro Branco (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Se você não estiver de carro, peça um buggy ou outro tipo de transporte junto ao seu hotel/pousada. À tarde, hora de botar o pé da estrada de novo e percorrer os 85 quilômetros que te separam da Praia de Canoa Quebrada. Localizada no município de Aracati, Canoa Quebrada é a principal praia do leste do Ceará, assim como Jericoacoara é a do oeste. De carro, é só setar o destino no GPS. De ônibus, a Viação São Benedito conecta as duas praias em 1h10.

A passagem desde Beberibe – onde fica Morro Branco – custa R$ 11,95 (acesse o site da empresa aqui). Nossa recomendação de hospedagem é a Pousada Lua Estrela. As diárias partem de R$ 130 para uma pessoa, R$ 150 para duas e R$ 200 para três. Para mais informações e reservas, clique aqui. Depois de instalado, siga as instruções da recepção e percorra a pé os 500 metros que separam a pousada da Duna do Pôr do Sol. Dá para subir a pé sem se cansar.

Entardecer visto do alto da Duna do Pôr do Sol, em Canoa Quebrada (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Depois de apreciar o espetáculo do entardecer do alto do morro de areia, volte pelo mesmo caminho. À noite, o destino não poderia ser outro que não a badalada Rua Dragão do Mar, mais conhecida como ‘Broadway’ e que também fica quase do lado da pousada! Ela se estende por algumas quadras desde o pórtico com o símbolo da praia – a lua e a estrela – até a Praça Dragão do Mar. A rua é fechada para pedestres e reúne a maior parte do comércio local.

Tem supermercado, lojas de artesanato, farmácia, sorveteria e muitos bares e restaurantes. A rua fica lotada de turistas que querem jantar, passear e curtir a noite. Músicos se apresentam ao ar livre e dentro dos bares, deixando tudo com ar de festa! Opções de comida não faltam, de restaurante italiano clássico – e caro – ao carrinho de tapioca. Nós preferimos bares a restaurantes e recomendamos dois: o John’s Bar e o Bar Caverna (estão marcados no mapa)


Roteiro no Ceará – Dia 3: Canoa Quebrada

O terceiro dia de roteiro no Ceará será dedicado a conhecer Canoa Quebrada. Comece na beira da praia. Para o lado direito estendem-se as famosas falésias. Os paredões de arenito são de um laranja vivo e se estendem por 1,5 quilômetros desde a Barraca Paraíso Canoa até o símbolo de Canoa Quebrada – tudo marcado no mapa. Não importa muito em qual ponto você inicia a caminhada, há ângulos fotogênicos das falésias em praticamente todo o trajeto.

⇒ CANOA QUEBRADA: O que fazer em 2 dias, onde ficar e comer ⇐

O objetivo é chegar ao grande cartão-postal da praia: o símbolo de Canoa Quebrada. Esculpido em relevo branco no arenito laranja, ele mostra a lua com uma estrela dentro. Existem outros esculpidos em vários pontos da praia, mas o original é este. Aos pés do símbolo, não poderia faltar uma barraquinha que vende cerveja gelada, hehe. Aproveite para fazer uma pausa e se refrescar. Logo em frente ao símbolo, durante a maré baixa, se formam piscinas naturais.

A água fica empossada entre as falésias e o oceano recuado, formando lagoas de água salgada, cristalina, rasa e morna. Uma bênção para quem não curte o mar aberto agitado e gelado! Quando cansar de aproveitar esse paraíso – ou quando a maré começar a subir -, é hora de subir por alguma brecha dos paredões de arenito e fazer o caminho de volta de um ângulo diferenciado: por cima das falésias. As vistas são de tirar o fôlego!

Mulher admira vista do alto das falésias da Praia de Canoa Quebrada (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

No caminho, você pode fazer uma parada estratégica para almoçar no famoso restaurante O Nain. Além de comida típica deliciosa e com preços justos, a vista do lugar é deslumbrante! Para fechar o dia, recomendamos a Barraca da Vera, que fica bem em frente ao Nain, só que na areia. Simples, pouco movimentada e com caipirinha a R$ 5!!! Outra opção é seguir andando sobre falésias até o fim delas, na Praça Dragão do Mar.

Dali saem voos de parapente para quem quiser ver Canoa Quebrada realmente do alto. Como morremos de medo de voar, não tivemos essa experiência magnífica pessoalmente, mas ouvimos relato de que o visual lá de cima é belíssimo, especialmente ao entardecer. À noite, o destino não poderia ser outro que não a ‘Broadway’, hehe! Escolha o seu bar ou restaurante da vez e aproveite sua última noite em Canoa Quebrada!

Parapente sobrevoa jangadas paradas na areia de Canoa Quebrada ao entardecer

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Roteiro no Ceará – Dia 4: Canoa Quebrada/Icapuí

O quarto dia de roteiro no Ceará será dedicado a conhecer vários pontos interessantes entre Canoa Quebrada e Icapuí, nosso próximo destino. Para quem não está de carro, a melhor opção é contratar um passeio de buggy. O tour custa R$ 350 para até quatro pessoas e dura 2h30. Ele te leva pela areia até as praias de Majorlândia, Quixabá, Lagoa do Mato e Ponta Grossa, além do cânion Garganta do Diabo. Mas avise ao bugueiro que você não vai voltar no fim!

⇒ Reserve já seu hotel em Icapuí e garanta os melhores preços! ⇐

Peça para ele te deixar em Ponta Grossa, já no município de Icapuí e que é a última atração do passeio. A poucos metros da areia fica nossa sugestão de hospedagem, o Refúgio Canaã. As diárias partem de R$ 170 e você pode fazer sua reserva aqui. Depois do chek in, curta a tarde livre na praia. Mas se estiver com um veículo próprio, o passeio pode se estender pelo dia todo. De todas essas possíveis paradas, recomendamos que você foque mais tempo e atenção em duas.

A primeira é a Garganta do Diabo. Sete o GPS para a Praia da Fontainha, a 30 quilômetros de Canoa Quebrada. Estacione na pequena vila, desça para a praia e ande para o lado esquerdo. São cerca de 30 minutos de caminhada pela areia. Não tem nenhuma placa indicando o lugar, mas sempre há buggies parados na frente. A Garganta do Diabo é um pequeno cânion que se formou entre os paredões de arenito branco e amarelo da região.

Falésias da Garanta do Diabo, na Praia de Fontainha (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Uma fonte de água doce abriu um verdadeiro corredor entre as falésias para fazer seu caminho até o mar. Além de ver a formação natural de baixo, você pode subir nas rochas e admirar a ‘garganta’ de cima, de onde se tem as melhores vistas. Mas tome cuidado com as beiradas, pois não há nenhum tipo de proteção e o arenito pode ceder! Depois de tirar quantas fotos quiser, volte para o carro e sete o GPS para a Ponta Grossa, 17 quilômetros adiante.

Estacione no Refúgio Canãa e, se ainda não tiver comido nada, aproveite para almoçar. A carne de sol com macaxeira + cervejas bem geladas sai por R$ 80 para duas pessoas. E prepare-se para ver um entardecer de cair o queixo! É que, pela posição geográfica da praia, ela fica de frente para o pôr do sol. Ou seja: em Ponta Grossa, é possível ver o disco de ouro do astro-rei se apagar nas águas do Oceano Atlântico. Lindo e de graça!

Jangada parada na areia durante o pôr do sol na Praia de Ponta Grossa, em Icapuí (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Roteiro no Ceará – Dia 5: Icapuí

No seu quinto e último dia de roteiro no Ceará, você vai explorar as belezas das praias do município de Icapuí, já na divisa com o Rio Grande do Norte. Pegue o carro ou peça na recepção um transporte para ir da Ponta Grossa até a vizinha Redonda. Aproveite a ampla faixa de areia para caminhar até a extremidade direita da praia. Lá há paredões de arenito laranja altos e muito bonitos. Se a maré estiver baixa, siga caminhando.

⇒ VEJA 100 FOTOS DO CEARÁ para querer embarcar agora! ⇐

Você vai sair na Praia de Peroba, adornada por morros cobertos de vegetação. Aliás, se preferir você pode se hospedar na Redonda, em vez da Ponta Grossa. Nós ficamos na Pousada Miau Miau e pagamos R$ 162 a diária (clique aqui). Na volta da caminhada, escolha uma dos restaurantes pé de areia para almoçar e beber uma cerveja gelada à beira-mar. Depois, retorne para a Ponta Grossa para visitar uma última parte da Rota das Falésias.

Neste trecho do litoral cearense, o arenito ganha uma coloração avermelhada e formas ainda mais esculpidas pela água e pelo vento. Existem duas formações que até ganharam nomes: a Pedra Furada e a Rocha da Mão. O acesso aos paredões é feito pela beira do mar, indo para o lado direito da praia, na direção das dunas. Não é preciso ir muito longe para ver a Pedra Furada. A Rocha da Mão fica um pouco mais adiante, mas a caminhada vale a pena.

Falésias da Praia de Ponta Grossa, em Icapuí (Ceará)

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Depois, volte para o Refúgio e peça para eles chamarem um guia para ir ver o pôr do sol do alto das dunas. Dá para subir até elas por conta própria, pois há uma trilha bem demarcada pela vegetação. Mas, uma vez na areia, pode ser meio difícil de se achar, já que não há mais nenhuma marcação e o vento apaga as pegadas. Por isso, recomendamos que você peça o guia. É super baratinho e ainda ajuda a comunidade local. O custo do passeio é de R$ 35 para o casal.

A caminhada duna acima é curtinha, cerca de 15 minutos. O que não quer dizer que o visual lá do alto não seja estonteante. Se andar para o lado oposto ao mar, você vai se sentir em pleno deserto do Saara. Mas a grande atração é mesmo ver o sol descer nas águas, rendendo fotos espetaculares. Assim, fechamos com chave de ouro nosso roteiro no Ceará! Mas se você tem mais dois dias livres, continue lendo esse texto, pois temos uma surpresa…


Roteiro no Ceará – Dia 6 (bônus!): Icapuí/Galinhos (RN)

No sexto dia de roteiro no Ceará você vai… sair do Ceará! Mas é por uma boa causa, podemos garantir. Infelizmente, esse bônus é apenas para quem está de carro, não há como ir de ônibus. Você vai setar o GPS para Galinhos, no estado vizinho do Rio Grande do Norte. O trajeto de 230 quilômetros não é o mais tranquilo de todos. Ele passa pela cidade de Mossoró, rodovias esburacadas e até mesmo um pequeno trecho de estrada de chão.

⇒ Reserve já seu hotel em Galinhos e garanta os melhores preços! ⇐

Mas é só dirigir com calma que você chega lá inteirinho, hehe. O seu destino, na verdade, é o Estacionamento Pratagil, na RN-402. Galinhos fica em uma península de areia e não existe acesso por terra até ela, apenas de barco. O Pratagil é administrado pela prefeitura e você pode deixar seu carro lá por quantos dias quiser de graça. Depois, é só se dirigir ao píer com sua bagagem e pegar um barco privado ou da prefeitura.

Barco chega ao píer de Galinhos

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

A viagem pelo braço de mar que separa a península de Galinhos do resto do continente dura 10 minutos. O barco privado sai quando você quiser. A partir de oito passageiros, o barqueiro cobra R$ 4 por pessoa. Se estiver viajando em menos de oito pessoas e não quiser esperar aparecer mais gente, é só fechar a embarcação por R$ 30. Os barcos da prefeitura partem a cada 30 minutos até as 17h – depois, os intervalos ficam mais longos, mas eles nunca param.

NINGUÉM precisa pagar passagem, mas os barqueiros cobram dos turistas mesmo assim. São R$ 4 por pessoa. Você vai chegar bem na hora de ver o pôr do sol, que é mágico em Galinhos. Mesmo que o astro-rei não mergulhe no mar, ele desçe nas dunas próximas ao farol, criando um visual incrível! Depois do entardecer, vá para a sua hospedagem. Recomendamos o Chalé Mar Rio, simples, aconchegante e com custo-benefício excelente (clique aqui).

Pôr do sol visto da praia principal de Galinhos

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Roteiro no Ceará – Dia 7 (bônus!): Galinhos (RN)

No seu sétimo dia de roteiro no Ceará + Galinhos, você vai fazer um passeio de canoa que percorre as atrações turísticas situadas ao longo do braço de mar. E não apenas isso: o tour inclui ostras vivas, ceviche e outros petiscos de peixe feitos na hora! Para marcar esse passeio, você pode falar com a sua pousada ou então com o barqueiro mais famoso da região: o Júnior Tubarão (84-991102965). Primeiro, você vai visitar a área de manguezal.

⇒ QUANTO CUSTA VIAJAR PARA GALINHOS? Prepare seu bolso ⇐

Depois, passa ao largo das famosas salinas de Galinhos para avistar de longe as montanhas brancas de sal. A terceira parada é na praia da Duna do Capim . Enquanto você toma banho, o barqueiro prepara os petiscos de peixe e frutos do mar para servir em redes na água. O cenário do lugar é incrível, com as turbinas gigantes do parque eólico ao fundo! Enquanto espera o almoço ficar pronto, contrate um dos buggies que ficam lá esperando pelos turistas.

A praia da Duna do Capim, com os geradores de energia eólicos ao fundo, em Galinhos

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

O custo é de R$ 140 por carro para até quatro pessoas. No passeio, você percorrerá as areias por cima, chegará bem perto das turbinas, visitará a Duna do André e sua incrível vista do braço de mar, assim como o Mirante das Dunas. Por fim, uma voltinha pela minúscula vila de Galos, que tem apenas 500 habitantes. De volta à Duna do Capim, se delicie com a refeição preparada pelo barqueiro e os drinques, vinho ou cerveja.

O passeio de canoa custa a partir de R$ 250 por casal e as bebidas são pagas à parte. Findo o tour, a embarcação retorna ao píer de Galinhos, de onde você pode cruzar a pé a cidade até a outra ponta, onde fica a praia principal. Aproveite para dar uma voltinha pelas poucas ruas, algumas ainda de areia, e curtir o clima de lugar perdido no tempo. O transporte é feito por buggy ou charrete. Na praia, admire o mar muito azul da baía, com o farol de Galinhos ao fundo.

Mulher caminha pela beira da praia de Galinhos

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

Procure pelo Bar Nativus, o melhor da cidade. Eles servem água de coco, cervejas, drinques, petiscos e refeições completas de peixe ou carne de sol, caso seu estômago esteja pedindo por algo mais substancial, hehe. Curta o resto da tarde com os pés na areia até a hora de admirar outro belíssimo pôr do sol. A noite em Galinhos costuma ser muito tranquila, principalmente fora da alta temporada de férias (dezembro-fevereiro e julho).

Há alguns restaurantes pela cidade, como o da Pousada Brésil Aventure, mas nós sempre preferimos fazer refeições mais simples e econômicas. Para isso, recomendamos a lanchonete da Família Silva. Há ainda os trailers de comida da praça, mas a maioria só abre nas noites de sexta e sábado. Outra boa opção é pedir sua janta para viagem, pegar uma canga e estender na praia. Ela fica iluminada à noite e você pode encerrar sua viagem com um piquenique à beira-mar!

*** O Escolha Viajar esteve no Ceará em agosto de 2019 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais