Página inicial ÁsiaJordânia Saiba como visitar Petra, a Maravilha do Mundo distante das multidões

Saiba como visitar Petra, a Maravilha do Mundo distante das multidões

por Escolha Viajar
Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Se você quer conhecer Petra longe das multidões que costumam lotar as Sete Maravilhas do Mundo, está na hora de comprar a passagem e fazer as malas. O turismo em Petra registrou um ‘boom’ em 2007, ano em que a cidade perdida dos Nabateus foi surpreendentemente eleita uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. Uma façanha para um sítio arqueológico localizado em meio ao deserto da Jordânia, um país minúsculo do Oriente Médio encravado entre vizinhos não muito amistosos. Mas não se preocupe, pois conhecer a Jordânia é fácil e seguro, embora não muito barato. E vamos mostrar passo a passo como visitar Petra sem perrengues, é claro.

⇒ ONDE FICAR NA JORDÂNIA? Hospedagem de Amã ao deserto
⇒ GUIA DE VIAGEM JORDÂNIA: Tudo que você precisa saber!

Situação que começou a mudar com a lista das Maravilhas e se consolidou em 2009, quando o lugar virou cenário de novela da Globo. Em 2010, o maior tesouro turístico da Jordânia registrou o recorde de 975 mil visitantes em um único ano. Tudo parecia um mar de rosas para a ‘cidade rosa’, mas os números mudaram bastante nos últimos cinco anos. O agravamento dos conflitos na Síria e no Iraque, vizinhos do pacífico reino da Jordânia, afugentou a maioria dos turistas ocidentais desta região historicamente convulsionada do mundo.

Nos primeiros oito meses de 2015, segundo dados divulgados pela agência de notícias ANSA, Petra recebeu apenas 280 mil visitantes, quase um quarto dos turistas que lotaram o sítio arqueológico seis anos atrás. Segundo o jornal britânico Telegraph, ao menos 10 hotéis dos 38 hotéis da cidade de Wadi Musa, onde Petra está localizada e cuja renda depende do turismo, fecharam as portas.

Todo o quadro parece muito desanimador, mas, se você está pensando em viajar para a ‘cidade rosa’, esse pode ser o melhor momento! É uma oportunidade única de visitar uma das Sete Maravilhas do Mundo sem multidões por perto. Dependendo do horário, até mesmo sem ninguém ao redor para atrapalhar suas fotos de Petra. Além disso, os preços de hotéis e pacotes turísticos estão mais baixos, o que é um grande alívio para o bolso em um país caro para o viajante como a Jordânia. E não há muito o que temer em relação à segurança: o governo só considera de risco ao visitante as áreas fronteiriças com a Síria.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Ter a incrível ‘cidade rosa’ quase só para você, poder caminhar com calma, sem filas ou empurra-empurra, sem levar bordoadas de ‘selfie stick’ e sem ônibus lotados de orientais chegando a cada 15 minutos é uma lembrança que não tem preço. Então veja tudo o que você precisa saber sobre como visitar Petra, sua história e curiosidades:

Como visitar Petra – Onde fica

Petra fica no sul da Jordânia, em uma cidade chamada Wadi Musa. Para chegar até ela você pode contratar um motorista particular ou pegar um táxi (privado ou coletivo, que funciona como ônibus) de qualquer cidade do país, pois o mesmo é muito pequeno. Desde a capital, Amã, são apenas três horas de carro pela rodovia expressa. Outra forma de visitar Petra é fazer um tour desde Israel ou do Egito. Existem passeios que saem destes dois países e voltam em um ou dois dias.

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Como visitar Petra – Quanto tempo

Reserve pelo menos dois dias para conhecer Petra, pois a área do sítio arqueológico é muito grande e fica extremamente cansativo tentar ver tudo em apenas uma visita, principalmente se você quiser percorrer as trilhas. Além disso, é só dormindo em Wadi Musa que você terá a oportunidade de ver a cidade à noite, no show ‘Petra by Night’.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Como visitar Petra – Quanto custa

O ingresso no sítio arqueológico de Petra custa 50 dinares (cerca de US$ 70) por um dia e 55 (US$ 77) por dois. Existe ainda um ingresso promocional para quem quiser ficar três dias na ‘cidade rosa’ a 60 dinares (US$ 85). O ‘Petra by Night’ sai por 12 dinares (US$ 17). Você encontra todas as taxas para visitar Petra, inclusive com guia e transporte de charrete, no site oficial do sítio arqueológico.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Como visitar Petra – Horários

O sítio abre sempre às 6h e fecha às 18h no verão e às 16h no inverno. O site oficial de Petra não especifica quais exatamente são considerados os meses de verão e inverno, mas leve em conta que o país fica no Hemisfério Norte e tem estações opostas ao Brasil.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Como visitar Petra – O cânion

A entrada em Petra é feita através de um cânion de dois quilômetros de extensão. O melhor horário para percorrê-lo é entre 7h e 8h, quando o sol ainda não bate na parte interna e o calor é suportável. Quem não quiser encarar a caminhada pode alugar um cavalo ou charrete.

O cânion de Petra não é só um caminho, mas uma atração em si. Não foi à toa que Mr. Jones, Indiana Jones, esteve por lá no terceiro filme da série: ‘Indiana Jones e a Última Cruzada’. As paredes de pedra vermelha se erguem a até 200 metros sobre sua cabeça e, às vezes, formam passagens muito estreitas. Existem vários nichos esculpidos nas paredes do cânion em que os antigos habitantes de Petra, os Nabateus, adoravam seus deuses.

As paredes de pedra do cânion guardam vestígios de outras esculturas além dos nichos, como este mercador com seus camelos (apenas as pernas são visíveis). Outra atração do cânion é o sistema de aquedutos, cavado nas paredes de pedra ao longo de dois quilômetros para o abastecimento de água na cidade.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – O Treasury

No fim da caminhada pelo cânion surge, em meio ao brilho do sol, a fachada mais famosa de Petra: o Treasury. É uma visão de tirar o fôlego! Apesar do nome e da imponência do lugar, o Treasury nunca abrigou um tesouro. Mas a finalidade de sua construção ainda não foi descoberta. Para alguns, trata-se de uma tumba real. Para outros, de um templo.

Muitas marcas de bala podem ser vistas no topo da fachada do Treasury. Os danos foram feitos por ladrões que buscavam um lendário tesouro que estaria escondido no prédio. Como não alcançavam o topo, eles atiravam para destruir as esculturas e tentar localizá-lo. Também podem ser vistas esculpidas ninfas e outras figuras romanas, resultado da dominação de Petra por aquele império após a queda dos Nabateus. Já o interior do prédio é fechado à visitação.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – Trilha Al Kubtha

Uma coisa que pouca gente sabe é que existe uma trilha que sobe o penhasco e proporciona essa incrível visão do Treasury lá embaixo. É claro que chegar até lá demanda um pouco de esforço. A trilha que leva ao topo do penhasco se chama Al Kubtha e tem muitos lances de degraus. São necessários 45 minutos para ir e outros 30 para voltar.

Primeiro, a trilha leva a uma vista panorâmica da cidade. Depois, à esquerda da casa abandonada, o caminho é marcado por montinhos de pedra e termina em uma tenda. Nessa tenda, um habitante local montou um pequeno ‘comércio’ onde oferece chá, café e sombra aos visitantes, além de vender água e refrigerantes. Ele também tira fotos, é claro! A gorjeta é por sua conta.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – Tumbas

As belíssimas fachadas de Petra são, em sua grande maioria, tumbas. Cerca de 500 resistiram ao tempo porque eram escavadas diretamente na rocha vermelha, enquanto os outros prédios da cidade ruíram com os terremotos e o consequente abandono da cidade. Existe uma sequência de belas tumbas reais conhecidas como Urn Tomb, Corinthian Tomb e Palace Tomb que merecem uma boa visita. Há ainda uma que exibe obeliscos em sua fachada, influência da cultura egípcia.

Embora suas fachadas sejam estonteantes, pouco há para ver dentro das tumbas de Petra. Nas poucas que estão abertas para visitação, é possível ver apenas algumas divisões em salas e nichos nas paredes. A beleza fica por conta das cores. Devido a ação da água e do tempo, a coloração das paredes internas ganhou inúmeros tons. Algumas parecem pintadas pelo homem, mas é tudo natural.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – Ruínas romanas

Parte dos prédios de Petra que ainda está em pé é herança do período de domínio do Império Romano sobre a região. Entre eles estão templos, um anfiteatro e uma avenida de colunas. No fim do vale onde fica a parte romana, se ergue a famosa formação rochosa do camelo. Falando neles, em Petra, você pode passear de camelo ou apenas tirar fotos com eles. Ao contrário de outros países árabes, na Jordânia ninguém cobra dinheiro por um retrato ao lado desse simpático animal.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – O Monastery

Se você achou cansativo percorrer o cânion para ver o Treasury, prepare as pernas para conhecer a segunda fachada mais famosa de Petra, o Monastery. Para chegar até o prédio, é preciso caminhar até o fim da cidade (dois quilômetros além do Treasury) e, depois do restaurante, ainda encarar uma subida de 800 degraus. Quem não estiver disposto a suar a camisa pode alugar um burro.

O Monastery era possivelmente um templo nabateu, que foi convertido em igreja quando o império romano se tornou cristão e bizantino. Assim como no Treasury, apenas a fachada pode ser visitada. Devido à distância, o Monastery está quase sempre vazio no começo da manhã e, se for até lá nos primeiros horários, você poderá tirar fotos com toda calma. Além disso, existe um restaurante em frente ao prédio com comida e bebida gelada para os corajosos que vencem a subida.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – ‘Petra by Night’

Uma forma diferenciada e imperdível de ver Petra é à noite, no show ‘Petra by Night’. Nele, os visitantes são guiados pelos dois quilômetros do cânion totalmente iluminado por velas até o Treasury. Em frente à fachada, também iluminada por milhares de velas, ocorre uma apresentação de música beduína, acompanhada de uma rodada de chá quentinho. O ‘Petra by Night’ ocorre nas segundas, quartas e quintas, às 20h30.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Como visitar Petra – Um pouco de história

‘Cidade rosa’, ‘cidade perdida’, ‘cidade de Moisés’. Petra atende por diversos nomes, todos eles adequados aos seus mais de 2 mil anos de história desde a fundação pelos Nabateus, um povo beduíno que governou parte da Jordânia. Vem das pedras vermelhas do deserto daquele país a alcunha de ‘cidade rosa’, já que seus prédios eram escavados nas rochas desta coloração. Bastião de caravanas que vinham ou iam para o Oriente, o lugar chegou a abrigar 30 mil pessoas em seu auge.

Uma delas foi Moisés, o personagem bíblico que passou parte de sua vida na Jordânia e por onde também morreu. Por causa dele, a cidade moderna onde hoje está localizado o sítio arqueológico de Petra se chama Wadi Musa, ou Vale de Moisés. Mas esta parte do mundo sempre foi um território muito disputado e Petra passou das mãos dos Nabateus para as do Império Romano, que depois se tornou bizantino, e foi ainda refúgio dos cavaleiros cruzados.

Há ruínas de todos estes períodos espalhadas por seus 264 km². Com a chegada dos árabes e as mudanças territoriais que isso acarretou, a posição de Petra perdeu importância e a cidade entrou em declínio, sendo completamente abandonada depois que um forte terremoto a destruiu parcialmente no ano 363. Ninguém ouviu falar do lugar por centenas de anos, o que lhe deu o nome de ‘cidade perdida’. Até que, em 1812, ela foi reencontrada por um arqueólogo suíço.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve em Petra em abril de 2015 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

4 comentários

Luiz 11 de novembro de 2016 - 01:23

Oi você saberia me ajudar com a dúvida sobre a questão de carimbos no passaporte entre Israel, Egito e Jordânia? Pretendo visitar os três países, mas tenho lido que Israel não aceita entrada de alguém com carimbo da Jordânia ou Egito.

Na lógica de carimbos no passaporte o ideal seria fazer nessa ordem Israel>Egito>Jordânia?

Se puder me ajudar. Ficaria muito feliz 🙂
Luiz

Responder
Escolha Viajar 11 de novembro de 2016 - 12:05

Olá, Luiz. Nós viajamos para Egito, Jordânia e Israel nessa ordem e não tivemos nenhum tipo de problema.

Responder
mario perz 2 de dezembro de 2016 - 18:51

Cara estive na Jordânia em setembro de 2013, entrei pela fronteira com Israel, abaixo da cidade de Jericó, é meio demorado, pois tivemos (eu e meus irmãos) que mostrar os passaportes umas quatro vezes, demorou mas sem outras pendengas, deu tempo até de fazer compras no Duty Free, instalado ali, depois pegamos uma Van, anteriormente contratada que nos levou para um belíssimo hote em Aman, três dia depois saímos em excursão pelos castelos do deserto, algumas horas depois fomos conhecer o Mar Morto, belíssimo e diferente, comemos num resort instalado ali mesmo, comida muito boa, á noitinha voltamos para Aman, no outro dia o ônibus de excursão nos levou para Petra, dormimos no Hotel e de manhã saímos de ônibus até a entrada do desfiladeiro e chegamos a pé na Cidade Rosa, visão magnífica, vale a pena conhecer, ficamos algum tempo lá, depois quis conhecer a parte mais alta e é uma boa caminhada, com centenas de degraus feitos naquele tipo de rocha de lá, quando chegamos, outra visão magnífica, tomamos um refrigerante e descemos, outra caminhada boa que vale muito, dali voltamos para o hotel, no outro dia de manhã saímos para fazer um passeio de caminhonete pelo deserto e estivemos num lugar que chamavam Pequena Petra, voltamos à noitinha para dormir em cabanas no deserto e vislumbrar aquele céu azul escuro com milhões de cintilante estrelas; o resto conto em outra oportunidade!!

Responder
ANDRE LUIS DE SOUZA RANGEL 6 de novembro de 2016 - 15:47

Acabei de ir a Petra, o que vc e verdade, nao aceite os cavalos da entrada, eles falam que esta incluido, mas vao te estorquir na gorjeta…
Para quem vem pela fronteira de Israel, NAO PEGUEM OS TAXIS, acertem com o hotel pra te pegar, pois eles sao verdadeiros ladroes, vao querer te enrolar ao massimo, no nosso caso acertamos o valor na hora, pois eles nao queriam seguir a tabela da fronteira e mesmo assim no caminho o infeliz disse que era por pessoa, nao aceitamos e ele parou no caminho e chamou outro taxi, fora a briga de um taxista com outro…

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais