Página inicial ÁsiaJordânia Uma das maravilhas do mundo e um deserto estão entre as atrações na Jordânia

Uma das maravilhas do mundo e um deserto estão entre as atrações na Jordânia

por Escolha Viajar
O que fazer na Jordânia - Deserto de Wadi Rum

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

A ideia de fazer a viagem á Jordânia pode assustar algumas pessoas no começo. Além de ser um destino praticamente desconhecido entre brasileiros, este pequeno reino árabe está encravado no coração do Oriente Médio e faz fronteira com alguns vizinhos nada amistosos. Mas a Jordânia em si é um local quase 100% pacífico, com uma cultura bastante ocidentalizada e que recebe muito bem os turistas. E ainda abriga em seu território uma das novas Sete Maravilhas do Mundo: as ruínas da cidade de Petra. Mas não reserve apenas um dia para visitar o país e dar um pulinho em Petra, pois há muito mais o que fazer na Jordânia para se deliciar!

⇒ ONDE FICAR NA JORDÂNIA? Hospedagem de Amã ao deserto

⇒ GUIA DE VIAGEM JORDÂNIA: Tudo que você precisa saber!

Se quiser conhecer o melhor do país, é bom se preparar para uma viagem de pelo menos seis dias. O território é minúsculo e dá para visitar basicamente todas as coisas imperdíveis o que fazer na Jordânia de norte a sul neste período de tempo. Mas garantimos que você não vai se arrepender. Só em Petra se deve passar pelo menos 48 horas tal é o tamanho e a quantidade de ruínas incríveis que há para ver, trilhas para percorrer e o show noturno para assistir. Próximo das ruínas, também no sul, fica o inacreditável deserto de Wadi Rum, com suas dunas vermelhas, inscrições milenares e um pôr do sol matador.

No norte estão as ruínas de cidade greco-romana de Jerash, algumas das mais bem preservadas do mundo. Na capital, Amã, vale uma parada para admirar o magnífico anfiteatro. Ainda no norte, não perca a oportunidade de se hospedar em um resort à beira do Mar Morto e flutuar na água ultra salgada. E no meio do caminho entre o norte e sul, estão mais algumas joias como o cânion de Wadi Mujib, o Castelo de Kerak e Madaba, a cidade dos mosaicos. A melhor maneira de conhecer tudo isso é alugar um carro ou contratar um motorista particular, pois o transporte público é muito deficiente.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Faça uma viagem muito além de Petra e confira estas 8 coisas imperdíveis o que fazer na Jordânia:

O que fazer na Jordânia 1 – Ruínas de Jerash

O Escolha Viajar já visitou uma boa quantidade de cidades greco-romanas e pode afirmar com propriedade que Jerash, no norte da Jordânia, é uma das mais incríveis para visitar pelo mundo! A WikiTravel chega a se referir a Jerash como a ‘Pompeia’ do Oriente, vista a amplitude da cidade e alto grau de preservação das ruínas. Sem falar que Jerash, assim como Pompeia, também foi destruída por uma manifestação da fúria da natureza. Enquanto a italiana foi soterrada em uma erupção do Monte Vesúvio, a jordaniana foi dizimada pelo grande terremoto do ano de 749.

Fundada pelos gregos no século III AC, a cidade prosperou graças à posição estratégica nas rotas comerciais de incenso e especiarias que vinham da Síria. Chegou ao seu auge já sob domínio romano, tendo se tornado a cidade favorita do Imperador Adriano e erguido um arco em honra a sua visita no século I. Nesse período, Jerash ocupava uma área fortificada de 800.000 m² que abrigava uma gigantesca praça oval cercada por 160 colunas, uma avenida de 600 metros também ladeada por colunas, fontes, um templo dedicado à deusa Artemis, um hipódromo, um anfiteatro e o arco já mencionado.

E tudo ainda está lá, de pé e preservado para ser visitado! Jerash fica 48 quilômetros ao norte de Amã e pode ser visitada em um bate-volta desde a capital, pois o passeio, mesmo incrível, não dura mais que uma manhã ou tarde. As ruínas abrem para visitação das 7h30 às 19h no verão (abril a setembro), e das 8h às 17h no inverno (outubro a março). O ingresso custa 10 dinares, ou cerca de US$ 14. O restaurante do lado de fora do sítio pratica preços acima da média, mas serve boa comida e fica como sugestão para quem quiser fazer o ‘pit stop’ por lá.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer na Jordânia 2 – Anfiteatro de Amã

Muita gente faz de Amã, a capital da Jordânia, apenas uma parada de uma noite para pegar o voo de ida ou volta para seu país, mas há pelo menos uma atração imperdível a se visitar por lá que merece que você fique uma manhã ou tarde. É o gigantesco e muito bem anfiteatro, resquício dos tempos de domínio romano sobre a ‘Cidade das Sete Colinas’. Construído no século II, o local abrigava nada menos do que 6.000 pessoas divididas em três níveis de assentos – do mais baixo ao mais alto. Hoje, é usado para eventos como a feira do livro local, premiações e espetáculos musicais. O anfiteatro pode ser visitado das 8h às 17h e a entrada custa menos de US$ 3.

⇒ Vai para Amã? Reserve aqui sua hospedagem pelo Booking ⇐

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer na Jordânia 3 – Mar Morto

O Mar Morto é um lago, apesar do nome, que se estende por 50 quilômetros entre as fronteiras de Israel/Palestina e a Jordânia. O ‘Dead Sea’ é o ponto mais baixo da terra, localizado 430 metros abaixo do nível do mar. Mas o que o tornou uma atração turística é o nível de sal na água. A salinidade do Mar Morto é de 34,2%, o que equivale a 9,6 vezes mais do que os oceanos. Embora haja fontes de água mais salgadas, como a Laguna Cejar, no deserto do Atacana, a quantidade no Mar Morto é mais do que suficiente para que você nade nele sem afundar. Nem tentando muito, hehe! A experiência é bem engraçada, mas lembre-se de proteger feridas e cortes, porque ardem para valer.

O Mar Morto foi um dos primeiros SPA’s da humanidade, frequentado desde os tempos de Herodes, e a prática segue viva até hoje. Há inúmeros resorts localizados na costa jordaniana do lago, a apenas uma hora de viagem de Amã. Neles, você pode simplesmente pegar uma ‘praia’ e brincar de flutuar nas águas salgadas, ou fazer tratamentos estéticos com os famosos produtos extraídos dele. O mais popular é a lama, que promete pele macia e jovem instantaneamente. Pura, ela costuma estar disponível de graça para os hóspedes em baldes espalhados à beira-mar. E não perca o incrível pôr do sol no Mar Morto, que só pode ser visto pelo lado da Jordânia. Confira aqui a sugestão de resort do Escolha Viajar.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer na Jordânia 4 – Mapa de Madaba

Conhecida como cidade dos mosaicos, Madaba está localizada apenas 30 quilômetros ao sul de Amã. A produção de desenhos com pequenos pedaços de pedra colorida surgiu e dominou a localidade durante os períodos de domínio romano e bizantino, entre os séculos II e VII. Há mosaicos espalhados por igrejas, fortificações até mesmo dentro de residências comuns. Entre todos, o grande destaque e uma das coisas imperdíveis o que fazer na Jordânia é o ‘Mapa de Madaba’. Ele cobre parte do assoalho da basílica greco-ortodoxa de São Jorge, e pode ser visitado das 8h30 às 18h, com exceção de sextas e domingos, quando o templo abre apenas às 10h30.

O mapa data do século VI e mostra a cidade de Jerusalém. Suas dimensões originais eram de 21 X 7 metros, mas, hoje, foram reduzidas a 16 X 5 metros. Mesmo assim, é perfeitamente possível admirar os detalhes dos dois milhões de pedacinhos de pedra coloridos com os quais foi composto. Nele estão desenhados vales, rios, cidades, palmeiras, animais, desertos, barcos e alguns dos marcos da cidade que seguem em pé, como a Igreja do Santo Sepulcro, o Portão de Damasco e a Torre de Davi. Se no século VI o mapa serviu como guia para os peregrinos que queriam chegar à Cidade Santa, hoje ele ajuda arqueólogos a escavarem Jerusalém em busca de estruturas antigas que ainda não vieram à luz.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

 


O que fazer na Jordânia 5 – Castelo de Kerak

O Castelo de Kerak está localizado na cidade de Al-Karak, no coração da Jordânia e 140 quilômetros ao sul de Amã. As ruínas são o que restou de um gigantesco castelo fortificado construído pelos Cavaleiros Cruzados em 1140. Estrategicamente posicionado a sobre uma colina, dele os cristãos tinham plena visão e controle das rotas comerciais árabes que saíam da Síria com destino ao Egito e Meca. Tal vantagem fez do castelo uma fortificação cobiçada, que chegou a ser sitiada duas vezes por Saladino, o sultão que capturou Jerusalém dos Cruzados. Mas Kerak não caiu.

Sua destruição aconteceu apenas em 1840, quando foi atacada por um paxá egípcio. Hoje, se destacam entre as ruínas parte do muro norte, onde é possível ver duas galerias de arcos sobrepostas, e também a extensa rede de túneis subterrâneos no subsolo. Segundo um guia local, esses túneis eram capazes de abrigar até 7.000 soldados durante um ataque. A entrada custa menos de US$ 3 e dá direito a visitar também o pequeno museu sobre a história do castelo. O horário de visitação é das 8h ás 19h de abril a setembro, e até as 16h de outubro a março.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer na Jordânia 6 – Deserto de Wadi Rum

Se você já foi ao Saara ou ao Atacama e acha que já viu desertos suficientes para uma encarnação, vamos dar apenas um motivo que torna o Wadi Rum uma das coisas imperdíveis o que fazer na Jordânia: ele é TODO vermelho. Localizado a , o Wadi Rum é um deserto de 720 km² todo formado por areia e montanhas de granito e aretino vermelhos. Algumas das formações rochosas chegam a atingir 1.700 metros de altura. Outras, guardam petroglifos e inscrições milenares deixadas pelos muitos povos que habitaram a região. Um deles ainda está por lá: o beduíno, também conhecido como povo do deserto.

⇒ Vai para o Wadi Rum? Reserve aqui sua hospedagem pelo Booking ⇐

São deles as cooperativas que promovem os passeios pela área, que é de preservação. Existem inúmeras opções para explorar o Wadi Rum, sendo que a mais popular e confortável é o passeio de jipe 4X4. Há nove pacotes diferentes entre os quais o viajante pode optar quando chegar ao centro de visitantes da reserva, que podem durar de duas horas até o dia todo ou mais, incluindo pernoite em um acampamento beduíno. Há beduínos que recebem os turistas em suas verdadeiras casas e também lugares que são verdadeiros hotéis no deserto, com quase todo o conforto de um estabelecimento comum. A estadia pode ser arranjada pelo seu guia/agência ou no próprio centro de visitantes.

É possível contratar ainda tours de camelo ou cavalo e fazer algumas trilhas a pé. Seja qual for o tour que você escolher, garanta que ele passará pela incrível formação da Ponte de Pedra – ‘Rock Bridge’ – e que inclua o espetáculo do pôr do sol, quando tudo o que já é vermelho fica ainda mais rubro. O Wadi Rum está localizado 60 quilômetros ao norte do popular balneário de Aqaba, a três horas e meia de viagem de carro de Amã e a uma hora e meia de Petra. O centro de visitantes do deserto abre das 8h às 16h. A entrada sai por US$ 7, sem o custo do tour escolhido. Mais informações podem ser consultadas no site do Wadi Rum.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer na Jordânia 7 – Cânion de Wadi Mujib

Sendo um país erguido sobre montanhas, não é de estranhar que haja um cânion entre as coisas imperdíveis o que fazer na Jordânia. É o Wadi Mujib, ou Vale Mujib, que também dá nome ao rio que corre no fundo de seus 1.300 metros de altura. Na verdade, o rio está 240 metros abaixo do nível do mar, o que faz a altitude máxima do cânion ser de 900 metros. Localizado entre Kerak e Madaba, 90 quilômetros ao sul de Amã, ele pode ser admirado de um mirante panorâmico que fica na estrada entre as duas cidades. Os mais aventureiros tem como opção contratar tours para fazer trilhas pelo fundo do cânion ou ainda canoagem.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


O que fazer na Jordânia 8 – Ruínas de Petra

As ruínas da cidade de Petra tê, mais de 2 mil anos de história desde a fundação pelos Nabateus, um povo beduíno que governou parte da Jordânia. Vem das pedras vermelhas do deserto a alcunha de ‘cidade rosa’, já que seus prédios eram escavados nas rochas desta coloração. Bastião de caravanas que vinham ou iam para o Oriente, o lugar chegou a abrigar 30 mil pessoas em seu auge. Dos Nabateus, Petra passou para o domínio dos romanos, bizantinos e cruzados até ser esquecida em meio às areias do tempo. Há ruínas de todos estes períodos espalhadas por seus 264 km².

⇒ Vai para Petra? Reserve aqui sua hospedagem pelo Booking ⇐

Por isso, reserve pelo menos dois dias para conhecer Petra, pois fica extremamente cansativo tentar ver tudo em apenas uma visita, principalmente se você quiser percorrer as trilhas, como a Al Kubtha. Só o cânion de entrada, com paredões de rocha de mais de 200 metros de altura, tem dois quilômetros de extensão. Fora ele, as grandes atrações do sítio arqueológico são o Treasury, o Monastery, a série de tumbas ornamentadas e as ruínas romanas. Além disso, não perca o  show ‘Petra by Night’, quando o caminho até as ruínas e a fachada do Treasury são iluminados por milhares de velas.

Petra fica no sul da Jordânia, em uma cidade chamada Wadi Musa. Para chegar até ela você pode contratar um motorista particular ou pegar um táxi (privado ou coletivo, que funciona como ônibus) de qualquer cidade do país, pois o mesmo é muito pequeno. Desde a capital, Amã, são apenas três horas de carro pela rodovia expressa. O ingresso no sítio arqueológico de Petra custa 50 dinares (cerca de US$ 70) por um dia e 55 (US$ 77) por dois. Você pode conferir aqui todas as informações sobre como visitar Petra.

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

LEIA TAMBÉM:

⇒ COMO VISITAR PETRA, uma das Sete Maravilhas do Mundo

⇒ ROTEIRO DE VIAGEM NA JORDÂNIA: 6 dias de Amã ao Wadi Rum ⇐

⇒ ROTEIRO DE VIAGEM EM JERUSALÉM: O que fazer em 1, 2 ou 3 dias

⇒ ONDE SE HOSPEDAR EM JERUSALÉM e gastar pouco dinheiro

⇒ O QUE FAZER EM JERUSALÉM: 10 atrações que são imperdíveis

 

 

Posts relacionados

Deixe um comentário

12 comentários

Renata 27 de junho de 2019 - 00:18

Oi tudo bom?

Vou para a Jordania com a minha mae em agosto e queriamos saber se vcs contrataram tour e guias turisticos e se tem dicas. Ou si fecharam hotel e alugaram carro?

Da para se virar no país com ingles?

Acham tranquilo viajar duas mulheres?

Responder
Escolha Viajar 29 de junho de 2019 - 17:47

Olá, Renata!
A Jordânia foi o único país até hoje em que fechamos um pacote de hospedagem, passeios, guia e motorista particulares. Estávamos com problemas de saúde na época e não tínhamos condições de planejar a viagem nós mesmos. Foi muito caro, mas muito bom também. Se você gosta de viajar com agência, recomendamos o serviço da Jordan Select Tours (https://www.select.jo/). Se preferem viajar sozinhas, não vemos nenhum problema. A Jordânia é um país muito receptivo, pacífico e dá para se virar com o inglês. Todas as nossas dicas sobre a Jordânia estão neste texto: https://www.escolhaviajar.com/jordania/.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Adelaide 26 de fevereiro de 2019 - 14:49

Ola, estamos pensando em conhecer a Jordania, e queremos incluir outro país, mas já fomos para a Grécia, Turquia, Israel e Egito. qual outro país pode ser incluso no mesmo pacote?Obrigado.

Responder
Escolha Viajar 2 de março de 2019 - 17:32

Olá, Adelaide!
Os países que nós conhecemos na região são exatamente os que você já visitou. Fomos do Egito para a Jordânia e da Jordânia para Israel. Outros dois países que temos muitas vontade de conhecer e que ficam próximos da Jordânia são o Líbano e o Irã. Fica a sugestão.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Nancy 7 de setembro de 2018 - 10:58

Bom dia, Ticiana e Marquinhos!
Estou planejando passar 3 dias (na verdade, 2 dias e meio) na Jordânia, saindo de Tel Aviv, no início de outubro. O que vcs me recomendariam? Jerash e Aman em 1 dia e 2 dias em Petra? Na fronteira há táxis confiáveis?
Parabéns pelo site de vcs e desde já lhes agradeço as informações.

Responder
Escolha Viajar 10 de setembro de 2018 - 22:01

Olá, Nancy!
Um dia para Amã/Jerash e dois para Petra é perfeito. Sobre o táxi, acredito que o melhor é você pedir que o seu hotel em Amã envie um táxi para lhe buscar na fronteira.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Elisa Barros 2 de agosto de 2018 - 18:07

Boa noite Ticiana e Marquinhos! Antes de mais nada obrigada por compartilharem dicas tão preciosas!
Estou querendo combinar na mesma viagem Egito e Jordânia. Quantos dias vocês acham necessários para fazer o básico na Jordânia (incluindo Mar Morto e Petra, principalmente)? Teremos 2 semanas para fazer tudo e penso se a Jordânia é tranquilo de fazer por conta própria (Egito não tenho coragem. rs). Obrigada desde já.

Responder
Escolha Viajar 4 de agosto de 2018 - 19:11

Olá, Elisa!
Sim, é muito tranquilo viajar pela Jordânia. Você pode ter uma ideia melhor de como organizar seu tempo de viagem com os nossos dois roteiros, onde detalhamos as atividade dia a dia: https://www.escolhaviajar.com/roteiro-de-viagem-pelo-egito/ e https://www.escolhaviajar.com/roteiro-de-viagem-pela-jordania/
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Beatriz Antonini 4 de novembro de 2017 - 22:37

Olá Ticiana
Gostei demais das informações fornecidas por vocês . Estou indo prá Jordania e Israel em fevereiro , e já li bastante sobre as fronteiras ! Vocês fizeram este trajeto ? Em qual fronteira ? Desde já agradeço !
Beatriz Antonini

Responder
Escolha Viajar 5 de novembro de 2017 - 09:01

Olá, Beatriz!
Sim, nós cruzamos da Jordânia para Israel pela Passagem Allenby/Ponte Rei Hussein, que fica a 57 quilômetros de Amã. Saímos do hotel às 7h com o motorista, que nos deixou na fronteira onde pagamos as taxas, trocamos dinheiro e atravessamos de ônibus. Do outro lado, pegamos uma van direto para Jerusalém.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Danielle Maia 17 de julho de 2017 - 17:50

Queridos Ticiana e Marquinhos,
Tenho pesquisado muito sobre a Jordänia, e o site de vocës foi o mais completo que achei. MUITO obrigada!!!

Estarei na Jordânia em janeiro de 2018, mas já tenho preparado a viagem há uns dias. Estou pensando em alugar um carro em Amã e talvez devolvê-lo em Wadi Musa. Como vocës mesmo dizem, o país é pequeno… Será que 24 horas é suficiente para fazer o trajeto parando nos locais que indicaram? Sairíamos cedo de Amä em um dia, passaríamos em Jerash e voltando passaríamos por Madaba, Castelo de Karnak, Cänion de Wadi Mujib e dormiríamos em Petra. O que acham? Abraços, Danielle

Responder
Escolha Viajar 23 de julho de 2017 - 07:22

Olá, Danielle!
Não, não é possível ver tudo isso em um dia só. De Amã até Jerash é uma hora de viagem, mais entre uma ou duas horas de visita (nós ficamos duas porque as ruínas são sensacionais). Depois, de Jerash até Madaba é 1h30 de estrada, mais a visita – se for só para ver o mapa, são 10 minutos na igreja. Então, mais uma hora de estrada até Wadi Mujib, com 15 minutos para fotos no mirante. Al-Karak fica a quase 1h30 de Wadi Mujib, sendo que vocês vão gastar entre 30 minutos e uma hora para ver o castelo. Por fim, tem mais 2h15 até chegar a Wadi Musa. Isso sem contar tempo para almoço, para achar onde estacionar, comprar ingressos e ocasionais erros de rota… Nosso conselho é que você fique mais dias e aproveite a Jordânia como ela merece 😉
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais