Página inicial AméricaUruguai Roteiro em Montevidéu: O que fazer em 1, 2 ou 3 dias de viagem [com mapas]

Roteiro em Montevidéu: O que fazer em 1, 2 ou 3 dias de viagem [com mapas]

por Escolha Viajar
Roteiro em Montevidéu - Praia de Pocitos

Com a crise econômica e a alta das moedas estrangeiras, muitos brasileiros tem optado por viajar dentro da América Latina, onde o nosso pobre real ainda consegue ter algum valor e para onde as passagens custam infinitamente menos. No lugar de Paris e Nova York, entraram na rota turística brasileira Buenos Aires, Santiago do Chile e a charmosa capital do Uruguai, Montevidéu. É uma cidade pequena, com uma área de apenas 200 km² e 1,3 milhão de habitantes, o que torna a locomoção simples e rápida, mesmo não existindo metrô. Por isso, é muito fácil montar um roteiro em Montevidéu em que se possa conhecer, se não todas, pelo menos as melhores e mais populares atrações turísticas locais em apenas 1, 2 ou 3 dias de viagem. O que torna a cidade uma excelente pedida para aqueles feriadões esticados.

⇒ ONDE SE HOSPEDAR EM MONTEVIDÉU e gastar pouco
⇒ GUIA DE VIAGEM MONTEVIDÉU: Tudo que você precisa saber!

O Escolha Viajar elaborou opções de roteiro em Montevidéu para quem tem um, dois ou três dias de viagem. As atrações estão em ordem de importância e proximidade, por isso, se você vai ficar apenas 24 horas siga as dicas do ‘dia 1’; se vai ficar 48 horas, ‘dia 1’ e ‘dia 2’; e 72 horas, ‘dia 1, ‘dia 2’ e ‘dia 3’. No primeiro colocamos tudo o que é essencial e concentramos as atrações do centro histórico, todos a curtas caminhadas de distância. No segundo, focamos em passeios além da Ciudad Vieja para que você veja outras facetas da capital, mas que ficam nas proximidades e ao alcance de uma viagem de ônibus ou táxi.

No terceiro, terminamos de visitar o centro histórico e seguimos até as atrações dos bairros de Tres Cruces e Prado (este bem mais afastado). Observe que, como a cidade é pequena, você pode tranquilamente misturar os dias – fazer apenas o 1 e o 3, por exemplo – e mesmo atrações diferentes das que sugerimos dentro de um mesmo dia. Isso fica por conta das suas preferências turísticas, do que gosta de fazer quando está viajando e do quanto pode/quer gastar com transporte. Afinal, nós damos a sugestão, mas quem monta o roteiro em Montevidéu é o seu coração viajante 😉 . Confira:

Roteiro em Montevidéu – Dia 1

Se você só tem um dia de viagem para conhecer Montevidéu, aproveite para circular pelo centro histórico, mais conhecido como Ciudad Vieja. É um roteiro gostoso e que pode ser feito todo a pé! O ponto de partida será, logicamente, a Plaza Independencia, que é o coração de Montevidéu e seu principal cartão-postal. A praça quadrangular abriga a estátua equestre de José Artigas, o grande herói nacional uruguaio, e também seu mausoléu, uma construção grandiosa da época da ditadura que fica embaixo da estátua. A entrada é livre. Ao redor da praça ficam alguns dos prédios mais icônicos de Montevidéu, como o Palácio Salvo e o Teatro Solís.

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

O Palácio Salvo, na esquina com a avenida 18 de Julio,  foi inaugurado em 1928. Com os seus 95 metros e 27 andares, foi o edifício mais alto da América do Sul por vários anos. Para visitar o prédio por dentro, há visitas guiadas às terças, quintas e sábado, às 16h. Não é preciso reserva e o custo é de US$ 7. Já o Teatro Solís, de 1856, é considerado o ‘irmão menor’ do Colón, de Buenos Aires. De arquitetura baseada nos teatros italianos, o prédio foi restaurado em 2014 e é palco de tradicionais montagens de ópera a espetáculos contemporâneos de música e dança. Visitas guiadas estão disponíveis em diversos horários e idiomas (para maiores informações, consulte o site oficial).

Depois de visitados os dois prédios, você pode admirar a Puerta de la Ciudadela, único resquício da muralha que cercava a cidade até 1829. É dela que parte a Peatonal Sarandí, a principal rua de pedestres e uma das atrações de Montevidéu mais procuradas pelos turistas. Ela segue em linha reta desde a praça até a ‘rambla’ – o calçadão à beira do Rio da Prata. Ao longo da peatonal, há muitos vendedores de artesanatos e lembrancinhas, sebos, lojas, padarias, galerias de arte e restaurantes. Na Plaza Constitución, faça uma parada para visitar a Catedral de Montevidéu. Mas você não precisa percorrer toda extensão da peatonal, cujo trecho final não é tão agradável assim com a proximidade da zona portuária.

Viaje para o exterior com internet no celular
Chegue ao seu destino com o celular funcionando! A EasySim4u oferece plano de dados em países do mundo todo para que você fique conectado à internet o tempo todo. Faça simulação de preços e compre aqui!
⇒ Reserve já seu hotel em Montevidéu e garanta os melhores preços! ⇐

Nossa sugestão é: quando chegar à Calle Perez Castellano, dobre à direita e ande mais três quadras para visitar o Mercado del Puerto. Esta é parada obrigatória para todos que quiserem provar o melhor da culinária uruguaia. Localizado entre as ruas Piedras e Perez Castellano, o mercado foi construído em 1868 no mesmo estilo de estrutura de metal que mais tarde se consagrou com a Torre Eiffel. O local tinha como propósito abrigar os vendedores de frutas, carnes, peixes e outros gêneros alimentícios. Mas o perfil do mercado mudou ao longo do século seguinte. Ele se tornou um ponto turístico gastronômico que reúne cerca de 20 restaurantes de comida típica uruguaia.

Roteiro em Montevidéu - Mercado del Puerto

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Não existe lugar melhor na cidade para provar a famosa parrilla, a carne assada na grelha sobre as brasas. Ainda é possível provar o Medio y Medio, bebida patenteada pelo Mercado del Puerto e que consiste em uma refrescante e deliciosa mistura de champanhe e vinho branco. Pelo custo-benefício, o Escolha Viajar recomenda o restaurante Estancia del Puerto. O atendimento é ótimo, a comida excelente e os preços, maravilhosos. Um almoço para duas pessoas sai por cerca de US$ 45, com bebidas. Depois de se fartar com a excelente comida uruguaia, sugerimos uma pequena caminhada de 15 minutos para fazer a digestão e seguir seu roteiro em Montevidéu até a última atração do dia.

Ao sair do mercado, pegue a rua Piedras (aquela que tem uma fonte antiga na esquina) e siga até a rua Juan Carlos Gómez, onde você deve dobrar à direita até a rua Rincón e entrar nela à esquerda. Você estará quase na porta do Museu Andes 1972 é uma atração relativamente nova em Montevidéu (não existia na primeira vez em que o Escolha Viajar esteve na cidade, em 2010) e que tem chamado a atenção do público. O acervo privado é dedicado à história do acidente aéreo que emocionou o mundo em 1972, quando um pequeno avião fretado caiu em meio à Cordilheira dos Andes levando um jovem time de rugby universitário do Uruguai.

Roteiro em Montevidéu - Museu Andes 1972

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Depois de semanas de buscas infrutíferas, as 45 pessoas a bordo foram declaradas mortas. Mas, 72 dias após o desastre, dois passageiros foram resgatados com vida após caminharem por dias em meio às montanhas em busca de ajuda. No total, 16 pessoas sobreviveram ao desastre, mas chocaram o mundo ao revelar a qual custo. Isolados no meio da neve e sem comida, eles foram obrigados a se alimentar da carne dos mortos na queda do avião. O Museu Andes 1972 reúne objetos originais do desastre ou similares usados na época, além de peças doadas pelos próprios sobreviventes e uma ampla explicação sobre o que causou o desastre e como foi possível sobreviver feita através de painéis explicativos e uma sessão de vídeo.

O museu abre de segunda à sexta, das 10h às 17h, e aos sábado até as 15h. O ingresso custa US$ 7. Depois da visita, está encerrado seu primeiro – talvez único dia de roteiro em Montevidéu. Volte para o hotel para tomar um banho e descansar um pouco. À noite, as opções para jantar são inúmeras, dependendo do quanto você quer gastar, onde você está hospedado e de como quer se locomover. Quem busca refeições mais sofisticadas deve ir em direção à rambla, onde há vários restaurantes com vista para o Rio da Prata. Mas você provavelmente terá que ir e voltar de táxi.

Quem busca algo prático e rápido pode ir ao shopping Punta Carretas e aproveitar para namorar algumas vitrines depois. Aqui, o acesso via ônibus é mais fácil, além de ser uma região com muitos hotéis nas proximidades. Quem fica na região do centro histórico pode perambular pela Avenida 18 de Julio, onde há muitas opções a baixo e médio custo ao alcance de uma curta caminhada. Entre elas a popular rede de fast food uruguaia La Pasiva. Aliás, o Escolha Viajar tem uma excelente sugestão de hospedagem econômica nessa região da cidade! Confira aqui.

Roteiro em Montevidéu - Chivito, prato típico uruguaio

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro em Montevidéu – Dia 2

Tem dois dias para conhecer a capital do Uruguai? Ótimo, você poderá ter uma visão de outra parte da cidade que não o centro histórico. Comece o dia indo até Pocitos, bairro onde fica a praia urbana mais bonita e popular de Montevidéu e localizado a apenas 10 minutos de ônibus do centro da cidade. Para chegar até ela, basta pegar qualquer um dos coletivos que passam pela parada da Plaza Cagancha, na Avenida 18 de Julio, em que esteja escrito Pocitos. Ou um táxi, se o seu orçamento permite. Pode até parecer piada para um brasileiro visitar uma praia tão feinha se comparadas às do nosso litoral, mas Pocitos faz parte da cultura e história da cidade e merece uma parada no seu roteiro em Montevidéu.

Você verá os uruguaios relaxando ao sol com seus mates, as crianças brincando, aposentados curtindo a vista dos bancos da ‘rambla’ – o calçadão à beira-mar -, muita gente praticando esportes etc. Além disso, na ponta esquerda da praia fica o famoso letreiro ‘Montevideo’, onde todo turista quer tirar uma foto. Depois, é só voltar caminhando pela areia, sentindo a água geladíssima do Rio da Prata nos pés e admirando os edifícios que cercam a orla. Há poucos quiosques na praia, mas se quiser pode aproveitar sua manhã ou tarde para se deliciar com uma Norteña – a mais popular das cervejas uruguaias – com o vento do Prata soprando nos cabelos.

Quando cansar da areia, é hora de circular pelas ruas charmosas do bairro. Pocitos é o antigo point da alta sociedade local, e seus prédios construídos a partir dos anos 1950 dão ao lugar um ar de Copacabana. A rambla de pedras vermelhas também lembra um pouco o calçadão carioca. Você pode aproveitar um dos inúmeros restaurantes locais para almoçar e, na sobremesa, aproveitar para conhecer outra das delícias culinárias uruguaia: a torta Ramón Novarro, feita com chocolate e doce de leite. O doce é especialidade da cafeteria Cake’s, na rua José Ellauri 1067.

Os preços não são dos mais convidativos, mas a cada mordida da Ramón Novarro você sentirá que valeu o gasto! Para fazer a digestão, é hora de uma revigorante caminhada pela rambla, na direção do centro da cidade – oposta à do letreiro ‘Montevideo’. A rambla é uma atração da cidade por si só e nada menos do que o mais longo calçadão do mundo, segundo a Wikipedia! Ela se estende por mais de 22 quilômetros às margens do Rio da Prata. Calma, você não precisa caminhar tudo isso, hehe. Sugerimos um passeio pelo trecho mais popular dela, desde Pocitos até a Playa Ramirez.

Não é todo mundo que se anima a andar por 3,3 quilômetros (cerca de 40 minutos), mas você pode fazer a caminhada no seu ritmo, parando para admirar a vista, tirar fotos, tomar uma cervejinha nos restaurantes pelo caminho etc. Outra opção é caminhar até onde você achar agradável e depois completar o trajeto de táxi – não há ônibus nessa parte da cidade.

Roteiro em Montevidéu - Praia de Pocitos

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Uma vez em Playa Ramirez, que é um pequeno trecho de areia sem grande atrativos, você terá chegado também ao Parque Rodó, o refúgio verde mais charmoso e popular da capital uruguaia. Pequeno, arborizado e florido, é uma excelente opção para descansar um pouco à sombra durante seu roteiro em Montevidéu, especialmente se você tiver optado por fazer a caminhada de 40 minutos desde Pocitos, hehe. O parque abriga fontes, monumentos e uma lago artificial com pedalinhos. O acesso é livre.

Conforme o fim do dia se aproxima, é hora de se dirigir ao melhor lugar de Montevidéu para assistir ao famoso pôr do sol no Rio da Prata: o Farol de Punta Carretas. Você já passou por ele ao longo do dia, pois está localizado na rambla entre Pocitos e o Parque Rodó. Se estiver a fim de caminhar, seja pela primeira ou segunda vez no dia, são 2,5 quilômetros de volta pelo calçadão (cerca de 30 minutos). Se não, o táxi é novamente a opção para se locomover.

Erguido em 1876, o farol de 21 metros de altura ainda guia os barcos pelas águas do Prata e sua luz atinge 15 milhas de distância. A entrada para visitação é das 10h ao pôr do sol. Não encontramos preços atualizados do ingresso, que custava US$ 1 em 2010, mas pode ter certeza de que não será caro. E, assim, você encerrará seu segundo dia de roteiro em Montevidéu com a visão magnífica do sol encerrando o dia dele em um mergulho nas geladas águas do Rio da Prata. Para a noite, valem as mesmas opções do ‘dia 1’ .

Roteiro em Montevidéu - Farol de Punta Carretas

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Roteiro em Montevidéu – Dia 3

Se você tem três dias de viagem, é possível fazer um roteiro em Montevidéu com todas as principais atrações da capital uruguaia. Vá até a Plaza Independencia – que você já visitou no ‘dia 1’ -, onde começa a 18 de Julio, a principal avenida da cidade e que liga o centro histórico ao Obelisco, em Tres Cruces. Percorrê-la é uma atração turística devido aos prédios históricos e belas praças localizados no seu percurso, embora a parte da via próxima do Obelisco esteja um tanto degradada. Logo nas primeiras duas quadras do passeio você encontrará a Plaza Fabini, onde fica uma enorme fonte de bronze chamada Entrevero. Se destaca ainda o Palácio Lapido, em estilo expressionista alemão da década de 30 (número 948/950).

Um pouco adiante está a Plaza Cagancha, toda arborizada, cheia de lampiões antigos e uma fonte charmosa. Logo em frente á Cagancha, no meio da avenida, fica o Pilar da Paz, que marca o quilômetro zero das estradas uruguaias. Nessa parte da avenida, você vários prédios construídos entre os anos 1900 e 1920, com seus detalhes e cúpulas no topo, entre os quais se destaca o London-París (esquina com a Río Negro). Outra atração da avenida que vem logo a seguir é a Fonte dos Cadeados, na esquina com a Passeo Yí. Enquanto muitas cidades turísticas do mundo têm agido no sentido de proibir ou mesmo retirar os populares ‘cadeados do amor’, como ocorreu na Pont des Arts em Paris, Montevidéu tem um lugar especial para eles.

A singela fonte de pedra foi instalada pelos proprietários do Bar Facal, outro reduto histórico da capital uruguaia, para atrair mais clientes. Mas, pouco depois ser colocada na calçada, ela começou a receber os primeiros cadeados do amor. Ao invés de mandar retirar os cadeados, os donos decidiram aproveitar o potencial turístico da fonte e mandaram instalar uma placa onde se lê:  “Si se coloca un candado con las iniciales de dos personas que se aman volverán juntas a visitarla y el amor vivirá para siempre”.

Hoje, a grade ao redor da fonte é completamente coberta por muitas camadas de cadeados. Se quiser colocar o seu, nem precisa carregar um durante todo seu roteiro em Montevidéu, pois várias lojinhas nos arredores vendem a tranca e gravam os nomes dos pombinhos na hora. Seguindo pela 18 de Julio, você encontrará o Palácio Municipal, construído em tijolos à vista na década de 40 para abrigar a prefeitura.

Faça uma parada neste aqui, porque nos fundos existe um elevador que leva os turistas para ver a cidade do alto dos seus 78 metros! A entrada é gratuita e o ticket pode ser adquirido no centro de informações turísticas, ao lado do edifício. A entrada fica na esquina com a Rua Ejido e o rorário de funcionamento é de segunda a sexta das 10h às 12h e das 13h às 15h30. Por fim – do passeio e da avenida, você chegará ao Obelisco dos Constituintes.

Roteiro em Montevidéu - Obelisco dos Constituintes

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Ele foi construído em 1930 para comemorar os 100 anos da primeira Constituição uruguaia, é feito em granito, tem 40 metros de altura e serviu como inspiração para o Obelisco de Buenos Aires, erguidos seis anos mais tarde. Além de parada obrigatória para fotos, o monumento é também a porta de entrada para o Parque Batlle, outro refúgio verde da cidade. Siga pela Avenida Dr. Luis Morquio até a Fonte Iluminada e, depois, siga contornando o parque pela direita até chegar à Avenida Ramón V. Benzano. Ao entrar nela, à esquerda, você cruzará toda a extensão do parque, poderá apreciar um pouco de sombra, sentar nos banquinhos, tirar fotos e, no final dela, terá chegado ao Estádio Centenário!

Declarado monumento histórico do futebol pela FIFA, o Estádio Centenário de Montevidéu é uma atração indispensável no roteiro em Montevidéu tanto para quem ama quanto para os não tão apaixonados assim pelo mundo da bola. Embora seu estado de conservação não esteja lá nenhuma Brastemp, não há como não imaginar a emoção dos uruguaios ao lotar as arquibancadas na Copa de 1930. Isso mesmo, o estádio foi construído há 87 anos para receber a primeira de todas as Copas do Mundo! Além de visitar as arquibancadas, você pode também subir na torre, de onde se tem uma vista panorâmica da cidade.

Roteiro em Montevidéu - Estádio Centenário

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Dentro do estádio fica ainda o Museu do Futebol, cujo acervo mostra peças históricas uruguaias e latino americano em geral – inclusive do Brasil, é claro – como camisas, troféus, bolas e fotos. O Museu do Futebol abre de segunda a sexta, das 10h às 17h. Os ingressos custam US$ 5,35 para ver o museu e as arquibancadas do estádio, ou US$ 7 para ter acesso também ao mirante no alto da torre. Para maiores informações, visite o site oficial. Se você o caminho até aqui devagar, tirando muitas fotos e parando para comer, provavelmente a tarde já estará chegando ao fim – especialmente se estiver viajando no outono ou inverno, quando os dias são mais curtos.

Nesse caso, pode encerrar seu passeio neste ponto com um sorriso nos lábios, pois o roteiro em Montevidéu estará cumprido. Se você percorreu o caminho com mais agilidade e ainda tem uma boa parte do dia pela frente – e disposição para aproveitá-lo, é claro, nossa sugestão é negociar com um taxista para ir até o bairro do Prado, que fica a cerca de sete quilômetros de distância. Antiga moradia dos senhores rurais de Montevidéu, o local é muito charmoso e arborizado.

Nele fica o famoso Jardim Botânico de Montevidéu, que não chega nem aos pés do Rio de Janeiro, por exemplo, mas com certeza vale a visita. Dentro dele existe um Rosedal, ou jardim de rosas, plantado na década de 1910 e cujas mudas foram trazidas diretamente da França. Próximo ao jardim fica também o Hotel del Prado, prédio neoclássico de 1912, e a Fonte das Nereidas. Agora sim, acabou o roteiro em Montevidéu. Para a noite, valem as mesmas opções do ‘dia 1’ 😉 .

Roteiro em Montevidéu - Jardim Botânico

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

*** O Escolha Viajar esteve em Montevidéu em maio/2010 e dezembro/2016 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

6 comentários

Ingrid Steinstrasser 13 de agosto de 2018 - 17:28

Tererê é gelado e doce, coisa de paraguaio. No Uruguai se toma mate: quene e amargo

Responder
Escolha Viajar 13 de agosto de 2018 - 19:45

Olá, Ingrid!
Você tem toda razão, fizemos a correção e pedimos mil desculpas pelo engano.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Lázaro 12 de Maio de 2018 - 22:22

Excelente trabalho pessoal. Estou em Montevidéu agora mesmo seguindo as dicas de vocês. Muito bom.

Responder
Escolha Viajar 13 de Maio de 2018 - 20:44

Olá, Lázaro!
Ficamos muito felizes em ajudar na sua viagem.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder
Flavio 22 de dezembro de 2017 - 00:01

Excelente o roteiro, muito organizado e me ajudou a definir tudo. 🙂

Responder
Escolha Viajar 22 de dezembro de 2017 - 18:21

Olá, Flavio!
Ficamos muito felizes em ajudar na sua viagem.
Um abraço,
Tici&Marquinhos

Responder