Página inicial EuropaFrança O que ver no Museu d’Orsay: roteiro por 25 obras imperdíveis [com mapas]

O que ver no Museu d’Orsay: roteiro por 25 obras imperdíveis [com mapas]

por Escolha Viajar
Visitantes percorrem o átrio cheio de esculturas do Museu D'Orsay, em Paris

O Museu d’Orsay, em Paris, abriga o principal acervo do mundo dedicado ao impressionismo, realismo e simbolismo. Todos os maiores artistas da segunda metade do século XX e do início do século XIX têm obras expostas lá. É o segundo principal museu da França – atrás apenas do Louvre – e um dos mais importantes e interessantes do planeta. Não é à toa que há pelo menos 25 obras que são imperdíveis neste museu e vamos te guiar a todas elas.

⇒ Reserve já seu hotel em Paris e garanta os melhores preços! ⇐

Entre os artistas em exibição permanente no d’Orsay, estão Paul Cézanne, Gustave Courbet, Edgar Degas, Eugène Delacroix, Antoni Gaudí, Paul Gauguin, Vincent van Gogh, Gustav Klimt, Édouard Manet, Henri Matisse, Jean-François Millet, Piet Mondrian, Pierre-Auguste Renoir, Auguste Rodin e Henri de Toulouse-Lautrec. Mas a grande atração do museu são mesmo as pinceladas impressionistas de Claude Monet! É mole ou quer mais?

Além das pinturas, estão expostas ao longo dos cinco andares do museu esculturas célebres, objetos decorativos, fotografias e desenhos, testemunhos da incrível criação artística que efervesceu na Europa entre 1848 a 1914. Não bastasse esse gigantesco e variado acervo, o d’Orsay funciona na estação ferroviária construída para a Exposição Universal de 1900. O prédio do arquiteto Victor Laloux é belíssimo por dentro e por fora.

Escultura e relógio se destacam no átrio do Museu D'Orsay, em Paris

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar

O átrio principal do museu é todo aberto e preenchido por esculturas. Sobre elas, predomina um belíssimo relógio. O prédio tem cinco andares, sendo que as exposições principais estão dividias entre o térreo – ou 0 -, 2º e 5º. No último andar, há um café, cinema, loja de souvenires e o belíssimo relógio da estação, vazado para a vista do lado de fora. É realmente bastante coisa para ver! Para facilitar a sua vida, fizemos uma lista com as 25 obras essenciais do museu.

⇒ O QUE VER NO LOUVRE: 19 obras que você não pode perder ⇐

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Vale notar que esta é uma seleção sem pretensões, pois não somos especialistas em arte. Ela foi elaborada com base em tudo o que pesquisamos antes de visitar o museu e também na beleza do que vimos nas três vezes em que estivemos no d’Orsay. Mais adiante no texto, daremos detalhes sobre as obras, com fotos e mapas de como visitá-las. Antes, vamos explicar quando ir, como comprar seus ingressos, onde fica e como chegar no Museu d’Orsay.

O que ver no Museu d’Orsay?

1 → Quadro As Respigadoras, de Jean-François Millet
2 → Escultura O Homem Caminhando, de Auguste Rodin
3 → Quadro Arearea ou Joyeusetés, de Paul Gauguin
4 → Quadro Igreja de Anvers, de Vincent van Gogh
5 → Quadro Noite Estrelada Sobre o Rio Ródano, de Vincent van Gogh
6 → Quadro Autorretrato, de Vincent van Gogh
7 → Quadro A Sesta, de Vincent van Gogh
8 → Quadro Retrato de Dr. Gachet, de Vincent van Gogh
9 → Quadro O Quarto de Van Gogh em Arles, de Vincent van Gogh
10 → Quadro Os Raspadores de Assoalho, de Gustave Caillebotte
11 → Escultura A Pequena Dançarina de Quatorze Anos, de Edgar Degas
12 → Quadro Prima Ballerina, de Edgar Degas
13 → Quadro A Aula de Dança, de Edgar Degas
14 → Quadro O Almoço Sobre a Relva, de Edouard Manet
15 → Quadro Olímpia, de Edouard Manet
16 → Quadro Os Jogadores de Cartas, de Paul Cézanne
17 → Quadro Natureza-morta com Maçãs e Laranjas, de Paul Cézanne
18 → Quadro O Baile no Moulin de la Galette, de Pierre-Auguste Renoir
19 → Quadro Papoulas, de Claude Monet
20 → Quadros Catedral de Rouen, de Claude Monet
21 → Quadro A Estação Saint-Lazare, de Claude Monet
22 → Quadros Mulher com Sombinha, de Claude Monet
23 → Quadro O Parlamento em Londres, de Claude Monet
24 → Quadros A Lagoa de Ninfeias, de Claude Monet
25 → Quadro Ninfeias Azuis, de Claude Monet

Fachada do Museu D'Orsay iluminada pelo entardecer, em Paris

Foto: Daniel Vorndran DXR/Wikimedia Commons


Museu d’Orsay – Horários de funcionamento

O museu abre todos os dias, MENOS NAS SEGUNDAS-FEIRAS. Fica fechado também nos feriados de 1º de janeiro, 1º de maio de 25 de dezembro. O horário de funcionamento é das 9h às 18h, sendo estendido até as 21h45 nas quintas-feiras. A entrada só é permitida até as 16h nas terças, quartas, sextas, sábado e domingos; e até as 20h nas quintas. As salas começam a ser esvaziadas às 17h30 nas terças, quartas, sextas, sábado e domingos; e às 21h30 nas quintas.

Visitante para para foto diante do relógio do quinto andar do Museu D'Orsay, com os céus de Paris ao fundo

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Museu d’Orsay – Como comprar ingressos

Os ingressos para o d’Orsay custam 16 euros e podem ser adquiridos com antecedência aqui. Você entra com hora marcada, sem filas ou espera.  O ticket combinado com o Museu de l’Orangerie – onde estão quadros da série Ninfeias, de Monet – sai por 22 euros (compre aqui). Dá para comprar ingresso na hora? Dá, mas você pode enfrentar longas filas dependendo do horário em que fizer a visita e da época em que for viajar. Não recomendamos.

⇒ JARDINS DE MONET: Como visitar saindo de Paris [passo a passo] ⇐

O d’Orsay aceita também o Paris Museum Pass, um passaporte turístico que permite entrada em mais de 60 museus e monumentos da cidade. Sai mais em conta do que comprar todos os ingressos individualmente. O passe de 2 dias custa 57 euros, o de 4 dias sai por 73 euros, e o de 6 dias vale 83 euros. Você pode comprar o seu aqui. O aluguel de audioguia custa 5 euros e pode ser solicitado na entrada do museu – disponível apenas em inglês e francês.

Se quiser ouvir as explicações de um guia pessoalmente, você pode optar por contratar um tour pelo museu. O passeio de duas horas em inglês ou francês custa 54 euros e a reserva pode ser feita aqui. O preço do ingresso no museu já está incluído. É possível visitar o d’Orsay de forma gratuita? Sim, o acervo é aberto ao público de graça no primeiro domingo de cada mês. Além disso, menores de 18 anos nunca precisam pagar ingresso.

Visitantes percorrem o átrio cheio de esculturas do Museu D'Orsay, em Paris

Foto: Ticiana Giehl/Escolha Viajar


Museu d’Orsay – Onde fica e como chegar

O d’Orsay está localizado no coração de Paris, na margem esquerda do Rio Sena – ou ‘rive gauche’ – e muito perto de diversas outras atrações turísticas da cidade. A mais próxima é o Jardim des Tuileries, a penas 5 minutos de caminhada de distância, cruzando a ponte para o outro lado do rio. Em uma das pontas do parque ficam o Museu de l’Orangerie e a Place de la Concorde. Na outra, o Museu do Louvre. Tudo entre 10 e 15 minutos andando desde o d’Orsay.

⇒ O QUE FAZER EM PARIS: 16 atrações que são imperdíveis ⇐

Ficando na margem esquerda do Sena, é possível acessar o Museu Rodin e a Esplanada des Invalides em 20 minutos de caminhada (cerca de 1,5 quilômetros). Na mesma distância, só que indo para a direção oposta, está a Igreja de Saint-Sulpice. Um pouco mais adiante – 5 minutos – fica o Jardim de Luxemburgo. Marcamos todos esses locais no mapa abaixo para que você possa montar um roteiro a pé por algumas atrações de Paris além do d’Orsay se quiser.

Aliás, não deixe de conferir nossa sugestão de roteiro em Paris para 1, 2, 3, 4, 5 ou 6 dias de viagem! Para chegar ao d’Orsay usando transporte público também são muitas as opções. A mais popular e prática é o metrô. Você deve pegar a linha 12 e descer na Estação Solférino. Quem precisa usar o trem regional – o RER – deve pegar a linha C e descer na Estação Musée d’Orsay. De ônibus, as linhas que atendem o museu são as seguintes: 63, 68, 69, 73, 83, 84, 87 e 94.


Como encontrar as 25 obras imperdíveis

O Museu d’Orsay tem 57 mil metros quadrados divididos em cinco andares, mas não é nem de longe tão complicado ou cansativo de visitar quanto o Louvre. As obras não ficam espalhadas por alas distantes umas das outras e não interligadas entre si, mas em salas relativamente pequenas e bem próximas. As obras de van Gogh estão todas em uma ou duas salas contíguas, as de Monet em outras e assim por diante. Claro que isso não é uma regra.

⇒ O QUE FAZER EM REIMS: Roteiro de 1 dia saindo de Paris ⇐

Dependendo do estilo de uma obra ou do seu material – pintura, escultura etc -, ela pode estar separada do conjunto do artista. Uma desvantagem em relação ao Louvre é que o mapa do d’Orsay está sempre mudando. Já estivemos lá ao menos três vezes e nunca encontramos as obras no mesmo lugar! Também é infelizmente comum elas simplesmente não estarem no museu. Algumas vezes, elas são cedidas para exposições itinerantes ao redor do mundo.

Quase todas as obras imperdíveis do d’Orsay estão hoje no quinto andar. Pelo sim, pelo não, suba até lá. De qualquer forma, você vai receber um mapa atualizado no momento da sua entrada no museu. Então, se não achar alguma das nossas indicações aqui do texto, é só procurar no papel. Confira a seguir alguns detalhes, fotos e mapas de onde encontrar as 25 obras essenciais do Museu d’Orsay, divididas pelos andares onde estão localizadas.

O que ver no térreo do d’Orsay

 

  • Quadro As Respigadoras, de Jean-François Millet (sala 4): exemplar do realismo, essa tela de 1857 retrata a pobreza dos trabalhadores do campo através de três mulheres que colhem trigo
  • Quadro Olímpia, de Edouard Manet (sala 14): exemplar do realismo, essa tela de 1863 retrata uma prostituta nua sobre a cama que confronta a sociedade com seu olhar atrevido

Mapa do térreo do Museu d'Orsay

 

 


O que ver no 2º andar do d’Orsay

 

  • Escultura O Homem Caminhando, de Auguste Rodin (Terrasses des Esculptures): exemplar do impressionismo, essa escultura em  bronze de 1907 mostra a figura incompleta de um homem – sem braços ou cabeça – caminhando
  • Escultura A Pequena Dançarina de Quatorze Anos, de Edgar Degas (Terrasses des Esculptures): exemplar do impressionismo, essa escultura em  bronze de 1922 mostra a figura de uma jovem estudante de dança chamada Marie van Goethem

Mapa do segundo andar do Museu d'Orsay


O que ver no 5º andar do d’Orsay

 

  • Quadro Arearea ou Joyeusetés, de Paul Gauguin (salas 38-40): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1892 retrata duas mulheres e um cachorro na ilha de Taiti, na Polinésia Francesa
  • Quadro Os Raspadores de Assoalho, de Gustave Caillebotte (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1894 retrata três trabalhadores sem camisa raspando o assoalho de um apartamento em Paris

 

  • Quadro Igreja de Anvers, de Vincent van Gogh (salas 43-45): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1890 retrata a igreja de um pequeno vilarejo perto de Paris
  • Quadro Autorretrato, de Vincent van Gogh (salas 43-45): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1889 é o mais famoso dos 35 autorretratos do pintor holandês
  • Quadro Retrato de Dr. Gachet, de Vincent van Gogh (salas 43-45): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1890 retrata o médico Paul Gachet sentado à mesa, com a cabeça apoiada no braço
  • Quadro Noite Estrelada Sobre o Rio Ródano, de Vincent van Gogh (salas 43-45): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1888 retrata a paisagem vista à noite à beira do Rio Ródano, no sul da França
  • Quadro A Sesta, de Vincent van Gogh (salas 43-45): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1890 remete à obra de Millet e retrata dois trabalhadores do campo dormindo sobre o feno
  • Quadro O Quarto de Van Gogh em Arles, de Vincent van Gogh (salas 43-45): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1889 retrata o quarto que o pintor alugou numa pensão na cidade de Arles

 

  • Quadro Prima Ballerina, de Edgar Degas (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1878 retrata uma bailarina que parece voar enquanto rodopia sozinha no palco
  • Quadro A Aula de Dança, de Edgar Degas (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1874 retrata alunas de balé ao fim de uma aula do mestre Jules Perrot, amigo do pintor

 

  • Quadro O Almoço Sobre a Relva, de Edouard Manet (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1862 retrata uma mulher nua sentada na grama junto a dois homens completamente vestidos
  • Quadro O Baile no Moulin de la Galette, de Pierre-Auguste Renoir (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1876 retrata um baile popular ao ar livre no bairro de Montmartre, em Paris

 

  • Quadro Os Jogadores de Cartas, de Paul Cézanne (salas 29-37): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1895 retrata dois homens jogando cartas em uma mesa de bar e faz parte de uma série de 5 quadros
  • Quadro Natureza-morta com Maçãs e Laranjas, de Paul Cézanne (salas 29-37): exemplar do pós-impressionismo, essa tela de 1899 retrata as frutas e um jarro sobre uma toalha que ganham dimensões e perspectivas distorcidas

 

  • Quadro Papoulas, de Claude Monet (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1873 retrata a mulher e o filho do pintor passeando por um campo florido de papoulas
  • Quadros Catedral de Rouen, de Claude Monet (salas 29-37): exemplares do impressionismo, essas quatro telas de 1892-3 fazem parte de uma série que retrata os diferentes efeitos da luz ao longo do dia e do ano na Catedral de Rouen
  • Quadro A Estação Saint-Lazare, de Claude Monet (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1877 faz parte de uma série de quadros em que o pintor retratou a enfumaçada estação de trem sob diferentes efeitos de luz
  • Quadros Mulher com Sombrinha, de Claude Monet (salas 29-37): exemplares do impressionismo, essas duas telas de 1886 retratam a enteada do pintor ao ar livre, virada para esquerda e direita, de forma que pareça em movimento
  • Quadro O Parlamento em Londres, de Claude Monet (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1904 faz parte de uma série que retrata os diferentes efeitos da luz ao longo do dia e do ano no Parlamento britânico
  • Quadros A Lagoa de Ninfeias, de Claude Monet (salas 29-37): exemplares do impressionismo, essas duas telas de 1899-1900 fazem parte de uma longa série que retrata o lago nos jardins da casa do pintor, com suas flores e a ponte japonesa
  • Quadro Ninfeias Azuis, de Claude Monet (salas 29-37): exemplar do impressionismo, essa tela de 1916 faz parte de uma longa série que retrata o lago nos jardins da casa do pintor, com suas flores mostradas em detalhes

Mapa do quinto andar do Museu d'Orsay

*** O Escolha Viajar esteve na França em julho/2011, agosto/2015 e setembro/2018 ***

Posts relacionados

Deixe um comentário

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais