Página inicial Dicas de viagem Veja 15 praias da Oceania que fazem a distância valer a pena

Veja 15 praias da Oceania que fazem a distância valer a pena

por Escolha Viajar
Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Quando se fala em Oceania, a primeira coisa que vem à cabeça dos brasileiros é que se trata de uma parte do globo terrestre muito, muito distante… O que não está  errado, já que são necessárias pelos menos 17 horas e meia de voo – sem contar o tempo de escalas -, para se chegar ao destino mais próximo do Brasil naquele continente, a Polinésia Francesa. Até a Nova Zelândia são 18 horas e meia; até a Austrália, 22 horas. Nossos tornozelos incham só de pensar em passar tanto tempo dentro de um avião, não é mesmo? Então, por que viajar para lugares tão longínquos, cujas passagens aéreas custam uma fortuna ainda por cima? Simplesmente porque as praias da Oceania são as mais belas do planeta!

⇒ VEJA FOTOS! 20 praias da Europa para aproveitar o verão
⇒ PREPARE-SE: Saiba se você precisa de visto para viajar a 55 países

É verdade que Navagio Beach, a praia mais linda do mundo, está localizada na Ilha de Zakynthos (Grécia), mas quase todas as outras integrantes de listas das faixas de areia e ilhas mais encantadoras do planeta ficam nesse continente longínquo, onde os mares do sul foram abençoados com águas transparentes e de cores quase inacreditáveis. Entre elas Moorea, Bora Bora, Bondi, Whitehaven e Anakena, além de outros tesouros menos famosos, mas que nada ficam a dever em termos de deixar seu queixo caído.

Tem praia com estátuas gigantes, ilhas perfeitas para lua de mel, praias badaladas e cheias de turistas, ilhas de preservação natural, praias no meio da cidade, ilhas a cinco horas de barco da civilização, de areia branca, de pedras, com coqueiros, de águas verdes, de águas azuis, para surfe, para snorkel, para ver o amanhecer ou o pôr do sol. Só uma coisa é unânime em todas essas praias da Oceania: sua beleza deslumbrante.

Se você, como todo brasileiro, é apaixonado por areia, sol e mar, não deixe que a distância o impeça de conhecer estes lugares paradisíacos. Veja 15 praias da Oceania que você não pode perder (e saiba como chegar até elas):

SEGURO VIAGEM com 5% de desconto
O Seguro Viagem é OBRIGATÓRIO para a maioria dos países da Europa e protege sua saúde no exterior. Faça aqui sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Use o código promocional: ESCOLHAVIAJAR5!

Praias da Oceania que você não pode perder – Anakena (Chile)

A praia de Anakena não fica na Oceania, mas no lugar mais isolado do mundo, bem no meio do caminho entre aquele continente e a América do Sul. Para chegar até ela é preciso pegar um voo Brasil-Chile (4 horas saindo de São Paulo) e, depois, outro de Santiago até a Ilha de Páscoa (mais 5h30). Anakena é a única praia de areia da ilha e está localizada a 45 quilômetros de Hanga Roa, o vilarejo principal de Páscoa.

Por que Anakena vale a viagem? Para começar, ela foi eleita uma das 10 praias mais lindas da América do Sul pelo site de viagens TripAdvisor. Além do mar azul Caribe e areias branquinhas para descansar, esse é o único lugar no mundo em que você poderá ver os famosos moais – as estátuas gigantes da Ilha de Páscoa – à beira-mar.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Ilha de Moorea (Polinésia Francesa)

Para chegar à Ilha de Moorea, você precisa pegar um voo Brasil-Chile (4 horas saindo de São Paulo), outro de Santiago para a capital da Polinésia – Papeete (mais 13h15). Depois de desembarcar na Ilha de Tahiti, você ainda precisa pegar um ferry de 45 minutos até Moorea.

Por que Moorea vale a viagem? A Polinésia toda é considerada um dos destinos mais belos e românticos do mundo, sendo Moorea em especial uma ilha cercada de barreiras de corais que formam uma grande lagoa de águas verdes fluorescentes lotadas de peixes coloridos. A infraestrutra turística é formada por luxuosos resorts cinco estrelas que acomodam seus hóspedes em bangalôs erguidos sobre o mar. Mas os preços são mais atrativos em Moorea do que na vizinha mais famosa, Bora Bora.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Ilha de Bora Bora (Polinésia Francesa)

Para chegar à Ilha de Bora Bora, você precisa pegar um voo Brasil-Chile (4 horas saindo de São Paulo), outro de Santiago para a capital da Polinésia – Papeete (mais 13h15) – e ainda um terceiro voo doméstico de uma hora entre a Ilha de Tahiti e o aeroporto de Bora Bora.

Por que Bora Bora vale a viagem? A Polinésia toda é considerada um dos destinos mais belos e românticos do mundo, sendo Bora Bora a joia mais preciosa entre todas as ilhas dos seus cinco arquipélagos. Chamada de ‘Pérola do Pacífico’, tem uma forma inusitada em que a ilha central é cercada de várias outras pequenas ilhotas – ou motus – que formam uma barreira ao mar aberto e transformam o lugar em uma lagoa de águas azuis, transparentes e onde é possível nadar com peixes, arraias e tubarões. Servida por alguns dos resorts mais luxuosos do mundo, Bora Bora é a lua de mel dos sonhos de 11 entre 10 casais apaixonados.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Cathedral Cove (Nova Zelândia)

Para chegar a Cathedral Cove, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas saindo de São Paulo) e mais um até Auckland, na Nova Zelândia (mais 12 horas). Uma vez desembarcado na maior cidade do país, é preciso pegar a estrada, de ônibus ou de carro, para vencer os 175 quilômetos até a praia de Hahei. É lá que começa a trilha de uma hora a pé até Cathedral Cove, que fica em uma área de preservação natural.

Por que Cathedral Cove vale a viagem? Isolada e longe de qualquer muvuca, a praia mais linda da Nova Zelândia é uma mistura exótica de mar azul e verde profundos com rochas calcárias brancas esculpidas ao longo de milhares de anos. Um visual de tirar o fôlego!

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Parque Nacional Abel Tasman (Nova Zelândia)

Para chegar ao Parque Nacional Abel Tasman, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas saindo de São Paulo) e mais um até Auckland, na Nova Zelândia (mais 12 horas). Uma vez desembarcado na maior cidade do país, são 950 quilômetros até o parque, que fica na ilha sul.

Você pode optar por voar até Nelson e, de lá, pegar um ônibus até as cidades de Motueka, Marahau ou Kaiteriteri, de onde saem passeios diários para as praias de Abel Tasman. Ou ir descendo desde Auckland de carro alugado ou ônibus, parando pelas várias atrações da Nova Zelândia no caminho.

Por que Abel Tasman vale a viagem? Este parque nacional abriga uma dúzia de praias isoladas, onde é possível passear barco ou caiaque, acampar, fazer trilhas ou apenas curtir o sol na beira do mar muito, mas muito verde. Na foto, Anchorage Beach.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Coral Coast (Fiji)

Para chegar à Coral Coast, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas saindo de São Paulo), mais um até Auckland, na Nova Zelândia (mais 12 horas), e outro até Nadi, nas Ilhas Fiji (mais 4 horas). Uma vez desembarcado no país, você pode contratar um transfer ou pegar o ônibus intermunicipal até a Coral Coast, que fica a 80 quilômetros de Nadi.

Por que a Coral Coast vale a viagem? A região é a forma mais barata de conhecer as Ilhas Fiji, contando com pousadas charmosas à beira-mar por preços amigáveis e cheias de surfistas atraídos pelas suas ondas famosas.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Ilha de Mana (Fiji)

Para chegar a Mana Island, no arquipélago das Mamanuca, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas saindo de São Paulo), mais um até Auckland, na Nova Zelândia (mais 12 horas), e outro até Nadi, nas Ilhas Fiji (mais 4 horas). Uma vez desembarcado no país, você pode contratar um transfer particular de hidroavião ou pegar o ferry turístico da empresa South Sea Cruises, que navega até Mana em 1h30.

Por que Mana Island vale a viagem? Ela reúne tudo o que há de melhor em Fiji a uma distância razoável de barco de Nadi – uma hora e meia. Estamos falando de areias brancas, águas mornas e transparentes e pores do sol inesquecíveis! Além disso, a ilha abriga um hostel, que permite hospedagem econômica em meio ao paraíso.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Ilha Drawaqa (Fiji)

Para chegar à Ilha Drawaqa, no arquipélago das Yasawa, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas saindo de São Paulo), mais um até Auckland, na Nova Zelândia (mais 12 horas), e outro até Nadi, nas Ilhas Fiji (mais 4 horas). Uma vez desembarcado no país, você pode contratar um transfer particular de hidroavião ou pegar o ferry turístico da empresa Awesome Fiji, que navega até Drawaqa em três horas.

Por que a Ilha Drawaqa vale a viagem? Esta ilha tem duas praias – uma iluminada pelo sol da manhã e outra pelo sol da tarde -, águas mornas e transparentes, inúmeros pontos de snorkel e mergulho, um hotel a preços não exorbitantes e cerveja sempre gelada. Precisa mais?

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Long Beach (Fiji)

Para chegar a Long Beach, na Matacawalevu Island, arquipélago das Yasawa, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas saindo de São Paulo), mais um até Auckland, na Nova Zelândia (mais 12 horas), e outro até Nadi, nas Ilhas Fiji (mais 4 horas). Uma vez desembarcado no país, você pode contratar um transfer particular de hidroavião ou pegar o ferry turístico da empresa Awesome Fiji, que navega até Long Beach em quatro horas.

Por que Long Beach vale a viagem? Toda a beleza das praias de Fiji está lá, isolada do mundo, sem luz, internet ou água encanada. Serão apenas você, a família que gere a pequena pousada local, o mar verde/azul, tardes preguiçosas na rede e noites incrivelmente estreladas.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Bondi (Austrália)

Para chegar a Bondi Beach, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas), e mais um até Sydney, na Austrália (mais 18 horas, com conexão na Nova Zelânda). Bondi é uma praia urbana, sendo necessário apenas pesquisar um ônibus ou pegar o metrô de qualquer ponto da cidade até a estação Bondi Junction.

Por que Bondi vale a viagem? Considerada uma das praias mais lindas do mundo, ela conta com toda a infraestrutura de primeiro mundo e segurança de Sydney. Há banheiros, chuveiros, vestiários, churrasqueiras, área para piquenique e muita badalação nos bares e restaurantes ao redor. Além de ondas que atraem surfistas de todos os cantos, a beleza natural de suas areias brancas e águas azuis são ímãs para todo tipo de gente bonita e bronzeada.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Coogee (Austrália)

Para chegar a Coogee Beach, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas), e mais um até Sydney, na Austrália (mais 18 horas, com conexão na Nova Zelânda). Coogee é uma praia urbana, sendo necessário apenas pesquisar um ônibus de qualquer ponto da cidade até o bairro do mesmo nome.

Por que Coogee vale a viagem? Ela lembra muito a beleza da vizinha mais famosa, Bondi, com a vantagem de ficar menos lotada nos dias quentes e de ser menos procurada por surfistas, já que fica a uma distância maior do centro da cidade e não pode ser acessada de metrô, apenas de ônibus. É popular por ter duas ‘rock pools’, piscinas dentro do mar onde é possível nadar sem o perigo oferecido pelas fortes ondas.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Manly (Austrália)

Para chegar a Manly Beach, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas), e mais um até Sydney, na Austrália (mais 18 horas, com conexão na Nova Zelânda). Manly é uma praia urbana, mas afastada do centro da cidade. Para chegar a ela é preciso pegar um ferry desde a baía de Sydney, em um trajeto de 20 minutos até o bairro de Manly.

Por que Manly vale a viagem? Localizada a 20 minutos de ferry do agito de Sydney, é tão bonita quanto as outras praias da cidade, mas conserva um clima calmo que atrai famílias, jovens bronzeados e surfistas. Assim como Coogee e Bondi, oferece muitos bares e restaurantes próximos da orla, chuveiro, banheiro e vestiário, mas não tem as populares ‘rock pools’, as piscinas de pedra dentro do mar. Em compensação, existe uma prainha de águas muito calmas na sua extremidade direita, chamada de Shelly Beach.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Byron Bay (Austrália)

Para chegar a Byron Bay, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas), mais um até Sydney, na Austrália (mais 18 horas, com conexão na Nova Zelânda) e ainda um terceiro voo doméstico, até a Gold Coast (1h20). E não terminou. Do aeroporto de Coolangatta, ainda é preciso pegar um ônibus ou contratar um transfer, que te leva até a praia em uma hora. Uma alternativa é viajar de ônibus ou carro desde outras cidades turísticas da costa leste da Austrália, como Surfers Paradise (90 quilômetros), Brisbane (165), Noosa Heads (305) ou Rainbow Beach (405).

Por que Byron Bay vale a viagem? Reduto hyppie nos anos 1970, a região hoje é uma reserva natural procurada por surfistas e famílias que buscam boas ondas e sossego sob a luz do antigo farol. Além de relaxar nas belas praias de mar semi-aberto, águas transparentes e areias brancas, você pode percorrer a caminhada costeira até o farol que dá nome à baía e badalar nos bares e restaurantes.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Lago Mackenzie (Austrália)

Para chegar ao Lago McKenzie, em Fraser Island, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas), mais um até Sydney, na Austrália (mais 18 horas, com conexão na Nova Zelânda) e ainda um terceiro voo doméstico, até Brisbane (1h30). E não terminou.

Do aeroporto ainda é preciso pegar um ônibus ou trem até a estação de ônibus, de onde saem os coletivos que percorrem os 235 quilômetros até Rainbow Beach. É de lá que partem os ferries para Fraser Islad. Uma alternativa é viajar de ônibus ou carro desde outras cidades turísticas da costa leste da Austrália, como Noosa Heads (140 quilômetros) ou Surfers Paradise (315).

Por que o Lago McKenzie vale a viagem? A cor inacreditável de suas águas já seria motivo suficiente, e elas ainda são mornas, circundadas por uma praia de areia branca e fofinha, que surge em meio à floresta que compõe a área de preservação de Fraser Island.

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar


Praias da Oceania que você não pode perder – Whitehaven (Austrália)

Para chegar a Whitehaven Beach, em Whitsunday Island, você precisa pegar um voo Brasil-Chile ou Argentina (pelo menos quatro horas), mais um até Sydney, na Austrália (mais 18 horas, com conexão na Nova Zelânda) e ainda um terceiro voo doméstico, até Proserpine (5h20, com conexão em Brisbane). E não terminou. Do aeroporto, é preciso pegar um shuttle até Arlie Beach, de onde parte os barcos para Whitsunday Island. Uma alternativa é viajar de ônibus ou carro até Airlie desde outras cidades turísticas da costa leste da Austrália, como Townsville (275 quilômetros) ou Cairns (620).

Por que Whitehaven vale a viagem? Considerada uma das praias mais belas do mundo, ela está localizada em uma área de preservação onde só é possível chegar de barco, hidroavião ou acampar com autorização do governo. Suas areias muito brancas, compostas de pura sílica, se estendem por nada menos do que sete quilômetros e terminam em um banco, onde é possível caminhar mar adentro na maré baixa. Você pode ainda subir no mirante de Hill Inlet para ter uma visão aérea deste deslumbrante cenário!

Foto: Ticiana Giehl e Marquinhos Pereira/Escolha Viajar

Posts relacionados

Deixe um comentário

1 comentário

Marcia 9 de setembro de 2016 - 21:02

Nossa, uma praia mais linda que a outra.

Responder

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes, de acordo com a nossa Política de Privacidade, para melhorar sua experiência. E, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Saiba Mais